i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Editorial

Os desafios de um povo

  • PorGazeta do Povo
  • 19/09/2020 18:00
Distribuição de renda do país, com grandes grupos na pobreza e poucos privilegiados, tem claras origens históricas: políticas sociais como o Bolsa Família ajudam a reparar isso.
Distribuição de renda do país, com grandes grupos na pobreza e poucos privilegiados, tem claras origens históricas.| Foto: Jonathan Campos/Arquivo/Gazeta do Povo

O ano de 2021 será o primeiro da terceira década do século 21. A história reservou à humanidade encerrar a segunda década com o ano de 2020 marcado por um dos mais graves e sofridos eventos de impacto mundial, constituído pela crise sanitária, econômica, psicológica e social derivada da pandemia do coronavírus, cujos efeitos serão sentidos por muitas décadas à frente. A transmissão rápida da doença em todas as regiões do mundo de forma simultânea, o isolamento social, a parada no sistema produtivo, o aumento do desemprego, a perda de renda, o empobrecimento rápido e a angústia pela retenção de crianças, pais, mães e famílias inteiras em suas casas, tudo no curso de um único ano, são elementos de um panorama imprevisto que, por seu potencial destrutivo, obrigatoriamente levará a humanidade ao confronto com seus hábitos, vícios e erros.

É nesse contexto que o Brasil – país de dimensões continentais, com abundantes recursos naturais e formado por uma miríade de raças e imigrantes – tem o desafio histórico de, nos próximos 80 anos restantes deste século, consertar seus erros, abandonar vícios e reformar suas instituições para adentrar o século 22 sem miséria, sem pobreza e com padrão médio de bem-estar social equivalente ao das nações desenvolvidas. É o desafio de um povo, que se coloca diante das gerações do presente, para que seus descendentes possam desfrutar de boas condições materiais, suficientes para a realização dos valores mais elevados do espírito humano.

O Brasil tem o desafio histórico de, nos 80 anos restantes deste século, consertar seus erros para adentrar o século 22 sem miséria, sem pobreza e com padrão de bem-estar social equivalente ao das nações desenvolvidas

O povo brasileiro está diante de um chamamento histórico, no momento que a humanidade explode em inovações e tecnologias revolucionárias, mas também apresenta sérios problemas ambientais e conflitos humanitários, como o terrorismo e as tensões migratórias. Apesar dos problemas, em nenhum outro momento da história a humanidade contou com tantas possibilidades oferecidas pela ciência e pela tecnologia para a superação, mesmo nas regiões mais pobres do planeta, das causas do atraso e da miséria. A nação brasileira dispõe dos fatores necessários ao crescimento econômico, ao desenvolvimento social e, sobretudo, para deixar no passado o espetáculo de crianças e famílias inteiras vivendo em condições precárias, em alguns casos até mesmo sub-humanas.

É consenso mundial que o desenvolvimento e a superação do atraso exigem instituições de qualidade e padrão educacional elevado. O desafio maior é como atingir, em algumas décadas, elevado progresso das instituições e novo padrão de educação para todos. Oito décadas podem parecer uma eternidade; entretanto, esses 80 anos, em termos históricos, constituem um tempo relativamente curto quando se trata de superar precariedades estruturais, como é o mau funcionamento das instituições viciadas e o baixo nível educacional médio. Em teoria, parece possível levar a população a enfrentar com sucesso seu desafio histórico, a depender de lideranças políticas, empresariais e sociais. Disposição para grandes reformas, aceitação de sacrifícios e dedicação ao trabalho duro e longo capaz de consertar equívocos e criar as bases para o desenvolvimento econômico e social são aspectos da ação coletiva que dependem das lideranças nacionais nos vários setores da vida.

As dificuldades do Brasil começam quando se constata que os líderes das grandes instituições nacionais e os líderes políticos nos maiores postos nas três esferas federativas parecem incapazes de se elevar acima dos interesses políticos e do apego a cargos, títulos e benesses. Mesmo em instituições privadas há líderes incapazes de sacrifícios, movidos por interesses pessoais acima dos interesses coletivos, longe das atitudes próprias dos grandes homens e mulheres que foram decisivos em momentos difíceis e em crises graves. Lamentável será se o sofrimento humano e social derivado da pandemia nada acrescentar de melhor aos líderes políticos, empresariais e sociais, públicos e privados, tão logo a crise seja minorada. Quem não se aperfeiçoa após um grande sofrimento está condenado a repetir as mesmas dores e as mesmas consequências diante de novas crises, que sempre ocorrerão.

O auxílio emergencial de R$ 600 por pessoa que o governo federal pagou a 65,3 milhões de beneficiários, conforme os cadastros sociais em poder da Caixa Econômica Federal, revelou que o Brasil tem uma legião de miseráveis (13 milhões), um grande país de pobres (outros 54 milhões) e, subindo um pouco a régua que mede o padrão de vida, mais 20 milhões igualmente pobres. Portanto, se o país não voltar a crescer, em pouco anos a nação de pobres chegará facilmente aos 100 milhões de pessoas. Se usadas outras variáveis do atraso econômico – como a infraestrutura física e a social, carentes de expansão e modernização –, os desafios são enormes, e precisam ser enfrentados com pertinácia a partir do ano que vem, quando talvez a vida econômica tenha voltado ao normal, com o peso adicional de quase 20 milhões de desempregados numa população de 106 milhões em condições de trabalhar. Este é um ano de eleições municipais, uma oportunidade para melhorar o padrão dos líderes políticos.

6 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 6 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • P

    Polaco

    ± 2 horas

    Texto bom, pensei que iam se perder nas elucubrações, contudo não foi no âmago do problema brasileiro e maior de todos, o político. Nossa república é de ladrões, disfarçada de democracia é claro, então nesse contexto se faz necessário a reforma política pois quem manda no País hoje são os presidentes de partido, o maior e melhor negócio hoje do Brasil.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Afonso

    ± 5 horas

    Concordo, são muitos os desafios para transformar o Brasil em uma nação próspera !!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Spartacus

    ± 7 horas

    Sem controle de natalidade nada será possível. Nascendo sem nenhum planejamento milhares de pessoas dispensáveis que só trarão despesas imensas aos cofres públicos

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • F

      FB

      ± 5 horas

      Controle de natalidade?!!? Filho, o Brasil está com a taxa de natalidade abaixo da taxa de substituição faz um bom tempo já. Nossa população entrará em declínio em uma década no máximo. Isso é um desastre econômico, já que ocasionará o colapso do sistema de previdência, e você, passará fome se depender de aposentaria até lá. Então, ainda quer que o povo não tenha filhos?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Celito Medeiros

    ± 7 horas

    Muito boas frases deste Editorial: “Quem não se aperfeiçoa após um grande sofrimento está condenado a repetir as mesmas dores e as mesmas consequências diante de novas crises, que sempre ocorrerão”. – Parabéns, um texto claro e bem ordenado.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    FERNANDO LUIZ POZZOBON

    ± 7 horas

    "As dificuldades do Brasil começam quando se constata que os líderes das grandes instituições nacionais e os líderes políticos nos maiores postos nas três esferas federativas parecem incapazes de se elevar acima dos interesses políticos e do apego a cargos, títulos e benesses." Disse tudo...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.