i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Editorial

O pacote anticrime está aprovado

  • PorGazeta do Povo
  • 11/12/2019 21:42
Entrevista de Sergio Moro à Gazeta do Povo
O ministro da Justiça, Sergio Moro.| Foto: Rodrigo Sierpinski/Gazeta do Povo

Apesar de o ministro da Justiça, Sergio Moro, ter manifestado a intenção de retomar, no Senado, alguns pontos do pacote anticrime que haviam sido perdidos durante a tramitação na Câmara, os senadores preferiram o certo ao duvidoso e escolheram garantir a aprovação, com seus pontos positivos e negativos, do texto enviado pelos deputados e que tinha passado pela CCJ do Senado na terça-feira. No dia seguinte, a mesma comissão também aprovou o pedido de urgência, permitindo que o texto fosse a plenário, onde foi aprovado. Repetiu-se, assim, a estratégia usada durante a tramitação da reforma da Previdência: manter o texto no Senado para não correr o risco de ter de devolver o projeto à Câmara e vê-lo ainda mais desfigurado. Com isso, o pacote anticrime vai para a sanção do presidente Jair Bolsonaro.

O relator do texto no Senado, Marcos do Val (Podemos-ES), admitiu que a opção por preservar o projeto da forma como veio da Câmara significou deixar de lado pontos que os senadores tenderiam a recolocar no pacote. “Acreditamos sinceramente que o caminho apresentado pelo substitutivo, embora tenha suprimido inovações que nos pareciam bastante meritórias, é o mais adequado para os tempos que vivemos”, afirmou o senador. Ficaram de fora, por exemplo, o plea bargain, a adoção da videoconferência como regra, o endurecimento do regime de prisão para reincidentes, novas exigências para embargos infringentes ou de nulidade. Outra proposta importante de Moro, a alteração no Código de Processo Penal para permitir a prisão após condenação em segunda instância, também foi retirada no grupo de trabalho da Câmara, mas pelo menos neste caso os senadores estão agindo: a CCJ aprovou em caráter terminativo outro projeto de lei com o mesmo efeito – no entanto, há o risco de a matéria ter de ir ao plenário do Senado, e neste caso esbarrará no presidente da casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que prometeu deixar o assunto paralisado até abril de 2020, pelo menos.

O Senado quer assumir o protagonismo na hora de trazer de volta os bons itens do pacote anticrime que ficaram pelo caminho

Isso não significa, no entanto, que os senadores estejam abrindo mão definitivamente daquilo que consideram válido nas propostas de Moro, mas que ficou de fora do pacote anticrime. Assim como está ocorrendo no caso do Código de Processo Penal, e assim como se fez na própria reforma da Previdência, o Senado quer assumir o protagonismo na hora de trazer de volta os bons itens do pacote que ficaram pelo caminho. Um grupo de senadores mais alinhados com o combate à corrupção já prometeu apresentar um projeto com este objetivo em fevereiro do ano que vem. E, como a versão atual do pacote anticrime também tem alguns trechos bastante problemáticos e que nem faziam parte do texto original, a exemplo de alguns dispositivos que restringem indevidamente o poder dos juízes, um “pacote anticrime paralelo” poderia servir também para retirar estes pontos, caso eles já não sejam vetados por Bolsonaro.

O combate à criminalidade – seja a violência urbana, seja o crime organizado, sejam os esquemas de corrupção – envolve uma série de esforços. Há o policiamento ostensivo, preventivo, que funciona como um desestímulo ao criminoso, bem como o trabalho de investigação para solucionar os crimes já cometidos. Também ali o Ministério da Justiça, em colaboração com os estados, vem conseguindo bons resultados, como a redução no número de homicídios. O pacote originalmente proposto por Moro prioriza a segunda etapa, que começa quando um criminoso é identificado e tem de responder à Justiça.

O país construiu, aos poucos, um arcabouço jurídico-legal com recursos infindáveis que freiam os processos e geram, na prática, um “direito à impunidade”. Mesmo depois da condenação, progressões de pena, “saidinhas”, indultos e toda sorte de dispositivos legais transformam o Código Penal em peça de ficção, pois as penas raramente são cumpridas até o fim, e é difícil até mesmo recuperar o patrimônio oriundo da atividade criminosa. A experiência de Moro na magistratura lhe permitiu identificar acertadamente onde estão os pontos problemáticos; no Poder Executivo, o ex-juiz tomou para si a missão de propor os meios de sanar as deficiências da lei atual, que impedem que a justiça seja feita. A aprovação do pacote anticrime torna realidade uma parte deste desejo, mas os pedaços do texto deixados pelo caminho mostram que ainda há muito a melhorar.

12 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 12 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • T

    Tercio Baggio de Alencar

    ± 16 horas

    O problema não foi a desidratação. O problema foi a criação d ojuiz de garantias, que nunca foi discutida com a magistratura ou o MP ou quem quer que seja. A base do juiz de garantia é dizer que o juiz que até hoje normalmente trabalhou é parcial. Criou-se o caos. Só quem já trabalhou em grandes operações sabe a impossibilidade de assumir o processo em fase avançada, tornando impossível conhecer detalhes e pessoas.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • A

      Ae Carvalho

      ± 22 horas

      Pacote de Moro foi injustamente e injustificavelmente desidratado. Mas avancemos, vamos eleger melhor os nossos representantes no Congresso.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • B

        BS.

        ± 23 horas

        O pacote é de Alexandre Moraes. O Moro queria o excludente e a prisão em segunda instância. Mais respeito aos leitores ao passar informações. Ñão se ganha nada em cima de manipulação. A íntegra em pdf, pode ser lida aqui: https://www.poder360.com.br/justica/pacote-anticrime-de-moro-e-na-realidade-de-alexandre-de-moraes/

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        3 Respostas
        • G

          Guajuvira

          ± 21 horas

          Quem se importa de quem é?

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

        • L

          Luigi Tenco

          ± 21 horas

          B. oshta, o Moro vai ficar na frente do candidato no pt, não adianta, kkkkkkkk

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

        • L

          Luigi Tenco

          ± 22 horas

          BS. (antigo B. oshta) pedindo pra falarmos a verdade, kkkkkkk UM MENTIROSO PATOLÓGICO pedindo pra ouvir verdades, kkkkk CYNICO, HYPRÓQUITA, MAU CARRATHER, KNALLA.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

      • A

        Afonso Celso Frega Beraldi

        ± 23 horas

        O que acho hilario, sao os presidentes da Câmara e Senado dizerem ao final de cada votação importante, que foi uma vitória da casa A ou B. Esses caras nao tem vitória. Quem tem vitória ou derrota é o Brasil e o povo brasileiro. Creio que estes parlamentares nao sao brasileiros, já que acham que a vitória é deles ou do "parlamento". São um poço de vaidades que só prejudica o Brasil, além do que são medrosos, mendazes e mal intencionados.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • D

          Denis Sebascon

          ± 24 horas

          Tenho medo quando os parlamentares propõe alguma coisa, principalmente os PL's surgidos na Câmara. Vide PL apresentado pela de****da Gleisi Hoffmann de emendas impositivas a Estados e Municípios sem fiscalização de nenhum órgão. Alguém tem dúvida do real objetivo deste projeto?

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • M

            MORALES

            ± 1 dias

            Não era de se esperar que bandidos aprovassem lei que aperta cerco contra o crime, porém sabiamente o Ministro e o Senado aproveitaram os passarinhos nas mãos agora, e deixar os que estão voando para colocar na gaiola no próximo ano. Parabéns ao Ministro. Parabéns ao Senado. Fica a lição pro povo que coloca bandido em sério na Câmara.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • S

              Sergio

              ± 1 dias

              É difícil endurecer leis contra o crime, porque os principais interessados em aliviar a própria barra são os parlamentares que normalmente estão envolvidos em algum escândalo. Sobra para a população que são obrigados a conviver com bandidos nas ruas, na casa, no trabalho, etc.

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              • J

                J A Schmidt

                ± 1 dias

                Numa casa de criminosos como a Câmara seria impossível imaginar que um pacote anti-crime pudesse passar, o Brasil continua uma terra de impunidade e o paraíso dos malfeitores.

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

                • I

                  Indignado

                  ± 1 dias

                  O PACOTE ANTICRIME foi desidratado. O Exmo Sr. Sérgio Moro, disse: “espero que o Senado resgate parte dos pontos retirados pela Câmara” O QUE NÃO OCORREU. Cabe lembrar que a inoperância do nosso Congresso Nacional, que por omissão e por interesses escusos, permitiu que no dia 07.11.2019, com o voto de “minerva” do Exmo. Sr. Dias Toffoli, contra a prisão em 2ª instância, foi institucionalizado "O DIA NACIONAL DA IMPUNIDADE". Os criminosos corruPTos estão condenados e fora da prisão, graças a decisão do STF. Em razão disso fica aqui a minha sugestão: NO DIA DA ELEIÇÃO A DECISÃO É SÓ NOSSA. Pensem nisso!

                  Denunciar abuso

                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                  Qual é o problema nesse comentário?

                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                  Confira os Termos de Uso

                  Fim dos comentários.