i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Editorial

Por que a indústria brasileira patina?

  • PorGazeta do Povo
  • 08/10/2019 18:50
Fábrica da Toyota em Sorocaba (SP).
Fábrica da Toyota em Sorocaba (SP).| Foto: Divulgação/Toyota

As notícias mais recentes sobre a indústria de transformação brasileira não poderiam ser piores. A começar pelo alerta de que o Brasil poderá deixar de fazer parte das dez maiores potências industriais do mundo, passando pela informação de que de 2010 para cá a produção industrial brasileira caiu 16%, enquanto a Indonésia (país que tomará o lugar brasileiro na décima posição) cresceu 46,3%, até a conclusão de que o Brasil não superou nem sequer sua fase de indústria de transformação de primeiro grau (industrialização simples de produtos agropecuários), o resultado é um só: a industrialização brasileira respira por aparelhos.

Ainda que se possa contabilizar algum êxito setorial e ocasional, a trajetória da indústria brasileira é fraca, e as razões são várias. Além de não superar a fase industrial de primeiro grau, o Brasil está longe de ingressar na chamada “Indústria 4.0”, com incorporação de tecnologias de alta precisão em áreas como a química fina, a biotecnologia, a nanotecnologia e a inteligência artificial. Ressalte-se que há ilhas de excelência isoladas aqui e ali, mas isso é muito pouco para um país que, segundo o IBGE, atingiu 210,5 milhões de habitantes neste início de outubro de 2019. As análises, os diagnósticos e as tentativas de entender o que, afinal, aconteceu para a indústria chegar a um desempenho ruim são várias, quase todas corretas, mas ainda carentes de precisão sobre quais fatores tiveram maior responsabilidade pela situação atual.

O setor industrial brasileiro viveu décadas de um sossego movido a protecionismo e subsídios; agora, tornou-se vítima do que sempre pediu

Outras interpretações podem ser tentadas na busca de melhores respostas. Em 2004, o economista Jeremy Rifkin lançou o livro O sonho europeu, no qual ele afirma que o velho sonho americano, que vinha atraindo pessoas do mundo todo para os Estados Unidos desde o fim da Segunda Guerra Mundial, começou a acabar após o ataque terrorista de 11 de setembro de 2001. Em certo trecho, Rifkin alerta para o que se pode chamar “o conforto que fragiliza”, em referência ao fato de que os jovens norte-americanos de classe média e alta foram cumulados com conforto, riqueza, mimos e proteção exagerada, até o ponto em que foram perdendo as bases do sonho americano: trabalho duro, disciplina, parcimônia no consumo, ética pessoal, respeito à ordem, obediência às instituições e sucesso por conta própria.

Respeitadas as diferenças e as proporções, a indústria brasileira, desde o primeiro governo de Getúlio Vargas, viveu décadas mais ou menos como os jovens descritos no livro de Rifkin. Protecionismo que livrou a indústria de enfrentar concorrentes internacionais, subsídios que garantiram sucesso mesmo para empresas ineficientes, reservas de mercado que atrasaram a evolução tecnológica e dispensaram a pesquisa e o progresso científico nas fábricas, favores tributários e creditícios que, se faziam algum sentido para dar impulso à indústria nascente, contribuíram para manter a indústria brasileira bem atrás da indústria dos países desenvolvidos. O setor industrial brasileiro somente foi ameaçado em seu sossego, derivado de tanta proteção e subsídios, a partir do governo de Fernando Collor, no início dos anos 90.

Não cabe culpar exclusivamente o setor industrial e suas empresas. Os governos das últimas oito décadas deram sua contribuição para o atraso com o chamado “custo Brasil”. Erroneamente, durante muito tempo falou-se em “custo Brasil” como sendo apenas os gargalos e ineficiências na infraestrutura de transporte, telecomunicações, energia, portos, aeroportos e armazenagem. Os gargalos nesses subsetores sempre ajudaram a piorar as coisas, mas o custo Brasil vai muito além, e inclui o custo do dinheiro para investimento (juros), a carga tributária comparada com os concorrentes internacionais, a taxa de câmbio (achatada durante muito tempo), o custo judicial (Justiça demorada e cara), o custo da obediência (peso da burocracia estatal e do sistema de impostos e regulamentos) e o déficit educacional (mão de obra de baixa qualificação).

Todas as explicações de curto prazo que vêm sendo dadas não bastam para justificar o fato de que a indústria brasileira está com o pior desempenho entre as dez nações mais industrializadas do mundo, pois o problema não é somente conjuntural (derivado de causas de curto prazo): é um problema histórico, estrutural e que não se corrige em poucos anos. As confusões criadas pelos governos nas últimas décadas, as incertezas, as crises políticas, as crises econômicas, o pouco confiável ambiente institucional para investimentos e as mudanças constantes na legislação e nas políticas industriais têm parte da culpa no atual estágio da indústria brasileira.

Os empresários e as entidades que os representaram, ressalvadas as exceções de praxe, têm sua parcela de culpa e acabaram sendo vítimas do que sempre pediram: proteção, subsídios, reserva de mercado, fechamento ao mercado internacional e barreiras à competição com empresas estrangeiras. Que não se usem as análises, as críticas e os erros para uma guerra de culpados, mas que o Brasil aprenda com os erros do passado e corrija os rumos em busca do progresso na indústria de transformação.

15 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 15 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • E

    Edward Lewis

    ± 2 horas

    Excelente matéria! Análise abrangente em texto conciso e claro. Quanto a solução, todos nós temos uma lição de casa a fazer. Os empresários, pararem de chorar por protecionismo e subsídios. O governo, fecvhar essas torneiras - usadas em geral como moeda de troca para apoio - E cada brasileiro em rejeitar o lixo que chega da China e nos inunda com porcarias.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • G

    Gustavo Augusto Druziki

    ± 2 horas

    Eu sinto na pele o tamanho da burocracia estatal. A chave para acabar com tudo isto é reduzir o poder das instruções normativas dos órgãos de receita estadual e federal. Bem como reduzir os impostos. Eles tem tanto poder em editar instruções normativas e é através delas que a vida do contribuinte fica complicada. É inadimissível em uma empresa moderna investir em mão de obra para garantir tramites burocráticos dentro da lei para evitar multas. Exemplo: a emissão de notas fiscais eletrônicas é cercada de infinitas regras inúteis em todos os termos: desde calculos tributários complexíssimos até normas de validação esdrúxulas e inúteis. Hoje, somente com a classificação das mercadorias por ...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • G

      Gustavo Augusto Druziki

      ± 2 horas

      ... NCM o governo deveria através de meios eletrônicos calcular por si só os impostos e apresentar as guias de recolhimento tributário prontas no final do mês, sendo apenas auditadas pelos contadores. É o que bastava para desburocratizar tudo, reduzir a quantidade DESNECESSÁRIA de funcionários públicos trabalhando nos órgãos das receitas e baratear radicalmente todo o processo. Mas o Brasil, este é o Brasil !

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    RMSL

    ± 3 horas

    Muitos impostos, muita Burocracia e muito Protecionismo. Se reduzissem os impostos pela metade, e a produção industrial desse um boom, o governo não diminuiria sua arrecadação. Mas com o Congresso atual acho que vai demorar uns 20 anos para atingirmos um nível aceitável.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Mirtão

    ± 4 horas

    Impostos altos, subsídios, burrocracia, etc, etc, etc...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Francisco Krupa

    ± 4 horas

    Também com esses governantes que nos temos queriam o quê?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • N

    NEY PEREIRA DE ALMEIDA

    ± 4 horas

    O Brasil - através de seus maus governos - sempre agiu como um pai ignorante, inescrupuloso, rico, egoista e sem a menor visão de futuro. Assim, vem tratando suas filhas - a educação, a saúde e a economia - de forma desleixada, preocupada apenas em manter alguma aparência que lhe garanta apenas conquistar um namorado. Pois bem, o tempo passou, as filhas ficaram velhas não são mais capazes de conseguir namorado e, parceiro, para formar família, muito menos. Assim, está fadada a envelhecer na míngua.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Elias Quadros

    ± 5 horas

    Porque a tal operação, para perseguir o Lula, acabou quebrando a indústria pesada nacional.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    4 Respostas
    • M

      Maquiavel

      ± 2 horas

      Ué, mas então porque ele não quer sair da cadeia agora??

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • R

      RMSL

      ± 3 horas

      Você quis dizer que o Luladrão quebrou a indústria brasileira né?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • M

      Mirtão

      ± 4 horas

      O lula tá solto babaca!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • J

      JORGE HARDT FILHO

      ± 4 horas

      babaca

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • B

    BENEDITO APARECIDO TUPONI JUNIOR

    ± 5 horas

    Ainda tem nuita miopia da realidade no texto. Mas parece que estão começando a acordar. Ainda estou esperando os milhões de empregos da reforma trabalhista?!?!?!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Roberto Garcia

    ± 5 horas

    As Burocracia tem um peso muito grande, não abordado na reportagem. Tem lei restritiva e dificuldades quase intransponíveis para qualquer iniciativa. Tudo tem empecilhos, lentidões intermináveis, podem ficar ano inteiro para um ato de 30 minutos das autoridades burocráticas. As dificuldades trabalhistas (não só o custo em si) tornam os custos totais imponderáveis de chegar a um custo estimado final. Qualquer dano moral pode ter qualquer custo. Impossível fazer um projeto e projetar os custos. Quem vai investir e reinvestir ? O cara vai para outro lugar.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.