i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Coluna do leitor

Aumento da tarifa do transporte 1

  • Porleitor@gazetadopovo.com.br
  • 11/03/2010 21:04

Dois pontos

PEC dos Cartórios 1

Em um país onde defende-se a isonomia, não é possível manter em cargos públicos pessoas que foram beneficiadas por meio de indicações políticas, e se mantiveram no cargo interinamente durante anos e ainda querem fazer com que a hereditariedade permaneça. Eles alegam que cartórios fazem parte da "herança de família". Isso é uma ofensa aos milhões de estudantes que se preparam arduamente a fim de conseguir uma aprovação em um concurso público.

Sheyla Brandão

PEC dos Cartórios 2

Sou favorável à PEC 471, em defesa dos pequenos cartórios que prestam relevantes serviços às pequenas cidades do interior do Brasil. Se há alguns casos irregulares, também é verdade que muitas pessoas honestas e de boa-fé estão trabalhando seriamente e há muito tempo em muitos cartórios e seus direitos precisam ser respeitados. Não é possível que pessoas de bem que tenham trabalhado honestamente por tanto tempo venham a perder seu trabalho agora.

Carlos Tenório da Silva, Maringá – PR

Aumentar o preço das passagens de transporte coletivo, em Curitiba, por causa de novas licitações, é colocar o peso do aumento no bolso do contribuinte; é demonstrar impopular atitude política e má gestão pública. Representantes governamentais e os da iniciativa privada precisam gerir, no caso, me­­lhor suas respectivas iniciativas públicas e particulares, acomodando, assim, os preços das passagens dentro de suas próprias administrações e respeitando os limites impostos pelas responsabilidades fiscal e social.

Paulo Sérgio Pereira, advogado

Aumento da tarifa do transporte 2

É um absurdo aumentar a passagem em uma cidade onde não há respeito com os usuários do transporte. A tarifa de R$ 2,20 praticada hoje já é muito cara, há poucos ônibus. O usuário em Curitiba anda pior que uma sardinha em lata. Ainda mandam micro-ônibus com o mesmo valor da passagem. Esse sim é o pior transporte coletivo do mundo.

Roseli Pisula

Aumento da tarifa do transporte 3

Após a licitação os preços vão ficar um absurdo. Temos um exemplo dos pedágios, herança eterna de Jaime Lerner, com preços absurdos, que retardam nossa economia.

Luciano Wachholz

PMs rebelados

Ao ver a manifestação de policiais militares aquar­­telando-se por descontentamento com o aumento proposto por nosso governador, fico me perguntan­­do em que proporção o novo piso salarial, o qual consideramos justo, melhorará a segurança para a população. Também permanece para mim a dúvida do porquê da existência de duas polícias, a civil e a militar, mesmo sendo previsto na Consti­­tuição. Não consigo enxergar nenhum motivo lógico ou até mesmo técnico para essa separação.

Julio C. A. Fróes, administrador

Lei antifumo

Não houve mais multas relacionadas à lei antifumo devido à falta de fiscalização, como a própria reportagem declara (Gazeta, 10/3). Se houver fiscalização, pelo menos, em 30% dos lugares públicos, essas multas passariam das mil! Sou garçom free-lancer e trabalho em vários lugares. Mas não foi trabalhando que observei na rodoviária em Matinhos passageiros e funcionários da empresa de transporte fumando livremente nos corredores, e isso a alguns metros do guarda municipal.

Ney Silva

Vagas de trabalho 1

O mercado de trabalho está muito competitivo, com isso, na maioria das vezes as pessoas se veem obrigadas a voltar para o banco da escola. Mas até que ponto o número de diplomas é importante para conseguir uma oportunidade melhor na área que estudou? O importante não é apenas a formação, mas a junção da prática com o conhecimento adquirido nos cursos. E isso será possível com o aumento de oportunidades de estágio, tendo melhores remunerações e mais estímulos aos estudantes, para que sintam-se motivados a seguir na área escolhida.

Eliane Brasileiro Pimenta Cavenaghi

Vagas de trabalho 2

Empregadores e candidatos necessitam um do outro, mas não colaboram para que essa junção tenha sucesso. As empresas estão pagando salários baixíssimos e exigindo demais pelo que pagam. Com isso acabam sobrando vagas no mercado ou muitas vezes as pessoas que são contratadas se sujeitam a ganhar menos que o piso salarial. No caso dos candidatos existe uma falta de interesse por parte deles, pois muitas empresas oferecem cursos profissionalizantes gratuitos. No caso das pessoas desempregadas elas poderiam utilizar o tempo livre para melhorar seu currículo, mas já que não fazem isso não podem reclamar pela falta de vagas ou pelo salário baixo.

Andressa Leticia Wagner

Gripe A

Todas as pessoas devem ser imunizadas. Acho que não apenas adultos correm risco de se contaminarem, mas também crianças e adolescentes! O Ministério da Saúde deve voltar atrás e divulgar um novo calendário com as crianças e adolescentes incluídos!

Francieli Desengrini

Cuba 1

Ótima análise da socióloga Maria Lucia Barbosa sobre a triste situação dos cubanos que ousam pensar diferente (Gazeta, 11/3). Vergonhoso o apoio do governo brasileiro à selvagem ditadura dos irmãos Castro.

Marcos Lefevre, engenheiro

Cuba 2

Excelente o editorial "Bodas de amor bandido" a respeito da paixão doentia de alguns indivíduos pelo regime cubano (Gazeta, 7/3). É como se vivessem numa adolescência eterna, um misto de imaturidade e rebeldia cega. Ditaduras são ditaduras. Não importa a mão que segura a adaga, esquerda ou direita, ela tira a vida do mesmo jeito.

Willian Yahz

* * * * *

As mensagens devem ser enviadas à Redação com identificação do autor, endereço e telefone.

Em razão de espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados. O jornal se reserva, ainda, o direito de publicar ou não as colaborações.

Rua Pedro Ivo, 459 - Centro - Curitiba, PR - CEP 80010-020 - Tel.: (41) 3321-5999 - Fax: (41) 3321-5129.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.