i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Coluna do leitor

Gravidez na adolescência

  • Porleitor@gazetadopovo.com.br
  • 25/09/2010 21:08

A matéria sobre gravidez precoce aponta que o número de mães menores de idade diminuiu 1,3% (Gazeta, 24/9), mas acredito que o número de gestantes adolescentes ainda é muito grande! Sou jovem e tenho muitos conhecidos. Entre minhas amigas, seis estão grávidas, e todas têm entre 14 e 17 anos de idade, fato que me deixa de cabelo em pé! Estão jogando toda uma vida fora. Claro que depois de mais amadurecidas não se arrependerão, pois se Deus quiser estarão bem na vida! Mas enquanto adolescentes terão que deixar de ir a muitas festas para amamentar e cuidar do herdeiro!

Maria Aparecida Fernanda

Vaga no STF

Acredito que o professor Luiz EdsonFachin é a pessoa mais indicada para ocupar a vaga no Supremo Tribunal Federal deixada pelo ministro Eros Grau que se aposentou em agosto (Gazeta, 24/9). Pela sua conduta moral, ética e por ser um cidadão preocupado com as causas sociais, ele merece estar lá. Com todo respeito aos outros nomes que estão sendo cogitados para a vaga, está na hora de o Paraná ocupar uma cadeira no STF e o professor Fachin é a pessoa ideal.

Devonir Pereira de Santana

Ficha limpa

Com todo respeito e admiração que os membros do Supremo merecem, venho pedir encarecidamente que decidam, antes do dia 3 de outubro, sobre a aplicação ou não da Lei da Ficha Limpa nas eleições de 2010 (Gazeta, 24/9). Para isso, tenho consciência de que terá de haver mudanças de suas convicções, mas lembro o tremendo prejuízo que a nação poderá ter, do ponto de vista de representativi­­dade parlamentar e executiva, caso sejam eleitos os fichas-sujas.

Luiz Nusbaum, médico

Crimes do poder

É interessante o conceito de criminosos para algumas pessoas! Para muitas, crime é o que está próximo da sua realidade, anseios e de sua natureza sexista! Tenho uma ideia diferente. Assassinatos, estupros e roubos não deixam de ser crimes, mas o mais sujo e inaceitável crime são os que vêm acontecendo dia a dia, como podemos acompanhar via tevê, jornais, que são os desvios de dinheiros, o tráfico de influências, quebra de sigilo, crimes que, por vez, não são exercidos por criminosos, mas pelas pessoas em quem votamos em eleições!

Natalício Soares

Pesquisas eleitorais 1

Os resultados das pesquisas nunca influenciaram meus votos. Aliás, creio que elas nem deveriam existir ou, então, que deveria haver um prazo legal para acabarem no mínimo um mês antes das eleições. Elas deveriam ser bem detalhadas em relação aos municípios pesquisados e bem mais transparentes. Até hoje nunca encontrei alguém que participou de alguma delas, em qualquer âmbito e local do Brasil! Acho muito estranho.

Cissimara Gribosi

Pesquisas eleitorais 2

Claro que o resultado de pesquisas influencia; e influencia mais que propostas. Muitas pessoas com as quais converso chegam a falar que tal candidato é bom, mas não tem chances de ganhar e, por isso, votarão em quem tem chances de ganhar. É a realidade brasileira, infelizmente.

Álvaro Lagos

Sistema de saúde

Invariável e diariamente tomamos conhecimento, principalmente pela tevê, de todos os tipos de doenças. A saúde no Brasil é um caos, porém são raras as pessoas que podem fazer um tratamento particular, devido aos preços de uma consulta, de internamentos e de todo um tratamento. O SUS é inviável, com pessoas morrendo em filas de hospitais desequipados, com faltas de médicos constantes, colocando em desespero os próprios diretores.

Luís Sérgio Bonetto Grochovski

Comércio eletrônico 1

O prejuízo que a UFPR levou em relação à compra on-line de produtos de informática foi um problema de gestão (Gazeta, 23/9). Trabalho com esse tipo de modalidade de pregão e particularmente na UFPR os contratos demoram demais para serem efetivados. Para se ter uma ideia, em São Paulo eu celebro contratos para materiais hospitalares de quatro em quatro meses e é perfeitamente praticável, rápido e fácil negociar. Enquanto a gestão da UFPR não se atualizar, perderão muito dinheiro.

Thiago Bini Pigato

Comércio eletrônico 2

O que se destaca no comércio eletrônico, sem dúvida, é a comodidade que temos! Para não ser vítima de golpes pelo tal comércio, procuro sempre o caminho mais seguro e não o mais fácil. Primeiramente procuro observar se o site apresenta algum risco, verifico as características do produto, vejo se o vendedor tem boas qualificações e procuro sempre comprar no mesmo estado ou cidade, mantendo meus dados protegidos. Observando as medidas de precaução, a internet é um veículo rápido, prático e seguro de realizar negócios. Basta você saber usufruir dela!

Karison Amaral Missura

A rua do Barnabé

Meus parabéns ao jornalista José Carlos Fernandes pelos seus textos publicados semanalmente. Ele sempre me emociona com seus relatos. O texto que cita Maria Nicolas (Gazeta, 24/9) brindou à família dela, com o resgate da memória e do reconhecimento de uma das partes mais importantes e relevantes em sua longa vida, em relação à nossa Curitiba e ao Paraná, que foram suas incessantes pesquisas, levadas a efeito mesmo com a idade avançada quando teve publicado seu quarto volume de Almas das Ruas, em 1984.

Antônio Carlos Zotto

Radares

Os radares talvez ajudem a diminuir a gravidade dos acidentes, mas não a quantidade. Nas proximidades dos radares os motoristas reduzem a velocidade e logo depois aceleram para recuperar o tempo perdido no trecho do radar. A solução que pode reduzir, efetivamente, o número de acidentes é a conscientização, educação dos motoristas. Para evitar acidentes temos outras alternativas. O radar faz parte de uma indústria criada para punir e não para educar o motorista infrator!

Leodenir Tizolim de Souza

As mensagens devem ser enviadas à Redação com identificação do autor, endereço e telefone. Em razão de espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados.

O jornal se reserva, ainda, o direito de publicar ou não as colaborações. Rua Pedro Ivo, 459 - Centro • Curitiba, PR - CEP 80010-020 • Tel.: (41) 3321-5999 - Fax: (41) 3321-5129.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.