i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
coluna do leitor

Obras em Curitiba 1

  • Porleitor@gazetadopovo.com.br
  • 04/03/2012 21:03

A qualidade das obras em Curitiba está ficando além do desejado (Gazeta, 29/2)! Além da construtora da Fredolin Wolf ter abandonado a obra, os serviços de calçadas do anel viário, em especial nos bairros Rebouças e Água Verde, está deixando muito a desejar! Os blocos intertravados não estão sendo bem colocados nas bordas com o meio-fio, dando margem para serem retirados, além de outros problemas de acabamento. Sem falar na total ausência de planejamento, já que várias frentes são abertas, mas nenhuma efetivamente concluída.

Gilberto Muniz Machado

Obras em Curitiba 2

O que realmente parece é que estão empurrando o fim das obras para mais perto das eleições. Porém o efeito pode ser muito prejudicial a eles, já que os transtornos são enormes. Curitiba tem muito a aprender no quesito obras públicas. Deveriam fazer estágio na cidade de São Paulo.

Julio Cezar Strano Vieira

Bike como transporte

Eu adotarei a bicicleta para locomoção diária caso transformem parte das vias públicas em faixas exclusivas.

A exemplo da ciclofaixa exclusiva implantada na Avenida Marechal Floriano, desde a Linha Verde até o Bairro Boqueirão, pois o transporte coletivo está saturado. Com o elevado custo do metrô, a alternativa viável é incentivar o transporte cicloviário pela segurança das cliclofaixas exclusivas. Deixar o carro na garagem é solução econômica e saudável para toda a comunidade.

Irineu Queiroz dos Santos

Transporte coletivo 1

Segundo o sindicato, a greve dos motoristas e cobradores foi só um motivo para aumentar a passagem de ônibus. Porém, com o aumento da tarifa, terão de melhorar a segurança e colocar mais ônibus circulando na cidade. Não adianta cobrar a mais e o transporte continuar o mesmo.

Isabela Camargo

Transporte coletivo 2

Para minimizar os custos, a tarifa dos domingos deve voltar a ter preço real, já que R$ 1 não faz com que as pessoas usem o ônibus.

Adilson Mauri da Cruz, São José dos Pinhais

Condenação por bullying

O bullying é resultado da falta de educação, da falta de respeito. Já passou da hora de se criar um programa de reeducação dos menores. Adulto condenado a penas leves tem de prestar serviço comunitário, jovens infratores levam um "pito" da autoridade e fica por isso mesmo. Tirar dinheiro do bolso dos pais que falharam na formação dos filhos não vai melhorar a conduta dos adolescentes. É preciso que eles aprendam que há responsabilidades na vida civilizada, que há consequências para os seus atos, que deles depende se o mundo vai ser bom ou ruim. Mude-se a legislação criando penas de prestação de serviços comunitários para menores ou teremos daqui a pouco mais adultos delinquentes.

Ilka Passos, mãe e advogada

Piso de professor 1

O Brasil é um país muito diversificado. Há várias culturas predominantes, mas a principal cultura que ainda não aprendemos é a educação. Com um salário inferior, os professores são desmotivados, desvalorizados, tendo de aumentar suas jornadas de trabalho para conseguirem sobreviver. Precisam fazer greve para que haja aumento em seu salário. Valorizar esses formadores de cidadãos e profissionais é o que dará impulso para o Brasil. Não se pode pensar em educação sem investir primeiro nos professores.

Jefferson Reis

Piso de professor 2

Quando é para aumentar o salário dos deputados estaduais e federais, senadores, vereadores, o reajuste não interfere na economia. Mas quando se fala em aumento de salário para os trabalhadores, professores e afins atinge de imediato a economia do Brasil. Vergonha. É inadmissível um professor ou um cidadão ter de viver com salário mínimo.

Eliane Ferreira dos Santos

Antártida

No drama que se desenrola com o incêndio na estação brasileira na Antártida, muito se fala sobre os mortos e o choro dos militares. Fala-se bastante nas pesquisas perdidas. Poucos falam no com­bustível insustentável e perigoso que mantinham na nossa base por lá. Na manutenção e estru­tura arcaicas. Menos ainda sobre as responsabilidades decorrentes da enorme poluição gerada no santuário. Sobre isso sim o Brasil deveria ou deverá dar resposta.

Tom Grando

Caso Derosso 1

Se os vereadores fossem homens comprometidos com os votos que receberam dos seus eleitores, certamente o Derosso já teria perdido o mandato e, quem sabe, estaria pagando pelos erros que cometeu nesse tempo todo que ocupou a presidência da Câmara Municipal.

Aparecido Branco

Caso Derosso 2

É óbvio que Derosso deveria se afastar definitivamente da presi­dência da Câmara de Vereadores de Curitiba. Aliás, isso deveria partir dele mesmo. Se fosse um homem de fibra, deveria perder o cargo de vereador; afinal, que tipo de moral tem um homem desses para fazer seu papel que é o de fiscalizar os atos do Executivo municipal?

Roberto de Souza Albuquerque

Pacote de bondades 1

Essa redução do salário do prefeito é irrisória perto do que se gasta irregularmente, como na propaganda antecipada por telefone feita pelo nosso prefeito. Esse aumento para o funcionalismo público em pleno ano eleitoral também soa muito estranho (Gazeta, 1/3). Os eleitores precisam acordar e aprender a votar. Aposto que ninguém lembra em quem votou nas últimas eleições.

Hélio Takefumi Mori, engenheiro civil

Pacote de bondades 2

Conforme o cientista político Ri­­cardo Oliveira, Ducci percebeu a rejeição do funcionalismo com re­­lação a sua administração. Mui­to bem observado. Gostaria ape­nas de fazer um adendo: a rejei­ção não é só do funcionalis­mo, mas de uma boa parte, para não dizer a maioria, da população.

Reginaldo Pereira

Pedágio

O governo Beto Richa querer negociar com as concessionárias de rodovias no Paraná é uma verdadeira piada. As duas partes vão negociar o quê? As empresas estão sustentadas e protegidas por um contrato que determina seus direitos e seus deveres. Por outro lado, o governo do estado negocia com o chapéu do povo paranaense, ou seja, se o pedágio ficar mais caro ou se for prorrogada a concessão, quem vai ter de tirar dinheiro do bolso não é o governo, e sim o cidadão.

Paulo de Tarso Carvalho

* * * * *

As mensagens devem ser enviadas à Redação com identificação do autor, endereço e telefone.

Em razão de espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados.

O jornal se reserva, ainda, o direito de publicar ou não as colaborações.

Rua Pedro Ivo, 459 - Centro • Curitiba, PR - CEP 80010-020 • Tel.: (41) 3321-5000 - Fax: (41) 3321-5472.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.