i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Coluna do leitor

Táxis 1

  • Por
  • 05/09/2012 21:03

Mídias sociais

Infância sem Copa

"Eu li e doeu o meu coração ao ver a infância e adolescência jogadas fora."

Andrea Musso, via Facebook, sobre a série de reportagens Infância sem Copa, da Gazeta do Povo.

Preço de shows

"Show para burguês ver... Sai mais barato pegar um avião e ir até São Paulo assistir. Absurdo."

Marcus Dallagassa, via Facebook, a respeito do preço dos ingressos para o show de Robert Plant em Curitiba.

Crise na avicultura

"É de ficar triste com essa notícia. Se frango tivesse algo a ver com a Copa de 2014, com certeza o frigorífico não estaria nessa situação!"

Angelo Alberto Martini, via Facebook, comentando a crise do Frigorífico Diplomata, no Sudoeste do Paraná.

* * * * *

Contribua você também com sua opinião por meio da página da Gazeta do Povo no Facebook www.facebook.com/gazetadopovo ou do perfil no Twitter twitter.com/gazetadopovo

A dificuldade para pegar um táxi em Curitiba (Gazeta, 3/9) é mesmo enorme. Chamar pelo telefone exige muita paciência por causa da demora. Estive em Buenos Aires há um ano e me surpreendi com a quantidade de táxis circulando por lá. Perguntei a um taxista se sabia a quantidade de táxis na cidade e ele informou serem aproximadamente 58 mil veículos. Está na hora de Curitiba rever os critérios praticados aqui.

Moacyr Nascimento Filho

Táxis 2

Principalmente em horários de pico, fins de semana e em dias de chuva, é difícil conseguir um táxi na cidade. Para resolver o assunto falta boa vontade da prefeitura e da Urbs em liberar as licenças e parar de beneficiar uma minoria de proprietários de veículos. Deveriam liberar as licenças para quem realmente trabalhe.

Carla Priscila Andrade

Aposentadoria de deputados

Chega de mordomias com dinheiro público! Esses deputados deveriam ter vergonha de querer criar um fundo de pensão custeado em parte com dinheiro público (Gazeta, 1/9), enquanto a maioria da população tem de trabalhar duro para conseguir se aposentar.

Enio Colini Gonçalves Filho, Dionísio Cerqueira – SC

Financiamento de campanhas

Sobre o editorial defendendo campanhas eleitorais mais transparentes (Gazeta, 31/8), acredito que o financiamento privado de campanhas políticas é quase sempre suspeito, pois dificilmente um indivíduo ou uma organização privada vai investir em um candidato apenas visando ao bem comum. O investimento em um candidato se parece muito com a aplicação na bolsa de valores: há riscos, mas a expectativa de retorno é grande. O financiamento público de campanhas poderia ser uma solução, desde que as campanhas passassem a ser mais informativas que publicitárias e que o material fosse "padronizado".

Otávio Schimieguel, professor

Mensalão

É digna de todo elogio e motivo de esperança a condução do julgamento do mensalão pelo STJ, penalizando os envolvidos na forma da lei, sem influência política. Após essa ação, o Brasil não será mais o país da impunidade.

José Ademir do Vale Berthier Fortes

Candidatos à reeleição

Infelizmente, os eleitores não se preocupam em avaliar o desempenho dos vereadores de sua cidade (Gazeta, 3/9). Acredito que também faltem meios para o eleitor visualizar e acompanhar o posicionamento dos vereadores. O infográfico publicado pela Gazeta é um excelente modelo e poderia ser institucionalizado pela Câmara.

Vanderlei da Rosa

Delegacias superlotadas

Ninguém faz uma nova penitenciária em alguns meses. O que o governo está fazendo é superlotando (Gazeta, 31/8) as penitenciárias já existentes. Pelo que sei, até as celas que eram solitárias estão recebendo novas camas. O Paraná será o primeiro estado onde as solitárias possuirão três leitos.

Igor Tratch, União da Vitória – PR

Greves

Não deve haver limite para os trabalhadores (Gazeta, 2/9) que lutam pelos seus direitos. Limite deve haver para o descaso do governo com a educação e o serviço público. Costumam criticar os grevistas, mas não expõem a real situação. Criticam os trabalhadores em luta por uma profissão digna e valorizada, mas não mostram os gastos com a Copa do Mundo, que em nada ajuda a população.

Nabylla Fiori

Ranking das universidades

A UFPR deveria se interessar mais por seus dados estatísticos e melhorar sua posição no ranking das melhores universidades (Gazeta, 3/9). A universidade tem produção de sobra, é uma das melhores universidades do país, e está na lanterna do ranking. Perde posição por falta de mostrar o que tem de melhor.

Sueli Silva

Qualidade do ensino

Incrível como nossos estudantes são mansos e pacatos. O desrespeito com que são tratados pelos professores é absurdo: inúmeras faltas, infraestrutura precária e professores que fazem greves pensando apenas em aumento salarial e jamais em melhorar o padrão de ensino. Creio que está na hora de fazer um panelaço exigindo mais dos "mestres" sem medo de represálias.

Fernando Saldanha

Vagas de estacionamento

Sobre o desrespeito dos motoristas em relação às vagas especiais para estacionamento (Gazeta, 2/9), acredito que não adianta falar em conscientização. O brasileiro só respeita a lei quando atinge seu bolso, do contrário ele não liga. Em Londrina os motoristas não respeitavam os pedestres que queriam atravessar na faixa, mas foi só colocar guardas nas principais ruas da cidade e começar a multar que os motoristas passaram a respeitar os pedestres.

Domingos Marconato

Preço de shows

É um absurdo um ingresso para um show em Curitiba custar tão caro (Gazeta, 4/9). As pessoas ficam sem escolha: ou pagam o preço ou não vão. A partir do momento em que o público se conscientizar de que os valores estão fora da realidade e não forem aos shows, tudo vai mudar e as apresentações serão feitas em locais mais adequados, sem lesar o bolso do curitibano.

Maristela Muller

* * * * *

As mensagens devem ser enviadas à Redação com identificação do autor, endereço e telefone. Em razão de espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados. O jornal se reserva, ainda, o direito de publicar ou não as colaborações.Rua Pedro Ivo, 459 - Centro - Curitiba, PR - CEP 80010-020 - Tel.: (41) 3321-5000 - Fax: (41) 3321-5472.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.