i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Coluna do leitor

Transporte individual 1

  • Porleitor@gazetadopovo.com.br
  • 19/12/2011 21:11

Mídias Sociais

Planos de saúde 1

E no SUS haverá mudança?

Luiz Carlos, via Facebook, sobre planos de saúde terem a partir de agora sete dias para marcar consultas.

Planos de saúde 2

Olha, isso já é um começo, mas infelizmente isso não ocorre na prática.

Priscila Dizaro

Obras inacabadas 1

O Beto quer fazer uma pequena reforma antes de ocupar o palácio.

Alex Calderari, via Facebook, sobre Palácio Iguaçu ter sido inaugurado por Pessuti no ano passado, mesmo sem obras terem acabado.

Obras inacabadas 2

Eu acho que estou pagando por um espaço sem uso atualmente.

Elton Gulin, via Facebook

Suburbana

Muito boa a matéria da Gazeta do Povo sobre a emoção da Suburbana 2011.

Mendonça Jr., via Twitter

Salários extras

Parabéns à Gazeta do Povo, que com uma primeira página derrubou 16 anos de 14.º e 15.º salários recebidos pelos deputados estaduais do Paraná.

Fuad Faraj, via Twitter

Contribua você também com sua opinião por meio da página da Gazeta do Povo no Facebook (http://www.facebook.com/gazetadopovo) ou do perfil no Twitter (http://twitter.com/gazetadopovo).

Os números mostram que o transporte público deixou de ser o principal (Gazeta, 19/12). Em regiões onde o índice de motorização é de quase um veículo por pessoa vejo ônibus trafegando, não só vazios, mas também fazendo um trajeto irracional para visitar a maior quantidade de ruas, causando mais transtornos do que benefícios. Está na hora de redefinir o transporte público como complementar e não principal. Os números estão aí e não vão voltar atrás.Marciano Juliano Rubel

Transporte individual 2

Em Curitiba, basta andar de ônibus uma vez para perceber o motivo dessa preferência pelo transporte individual. É preciso muita paciência. Estive recentemente no Rio de Janeiro e percebi que o transporte coletivo é bastante utilizado. Parece que a quantidade de ônibus que circula, mesmo em fins de semana, é muito grande, o que não acontece em Curitiba. Além do mais, os motoristas de ônibus daqui dirigem como se estivessem carregando animais, o que torna uma aventura esse tipo de transporte.

Vilson Bonacin

UFPR centenária

Este belo monumento arquitetônico que abriga a universidade mais antiga do país poderia ter um uso mais nobre. O município poderia negociar com a UFPR e transformá-lo em um magnífico teatro.

Hélio Takefumi Mori, engenheiro civil

SUS

Gostaria de parabenizar pela ótima matéria com a jovem senhora Fátima Oliveira, coordenadora do plantão do Hospital de Clínicas da UFMG (Gazeta, 19/12). Adorei e me emocionei com a situação crítica que era o atendimento à saúde no passado. Estamos no céu. Parabéns.

Eliza Padilha

Salários extras

Quero parabenizar o presidente da Assembleia, Valdir Rossoni, por cortar o 14.º e o 15.º salários dos ilustres e nobres representantes do povo paranaense e pelos cortes de gastos na máquina pública legislativa. Porém o presidente sabe que haverá retaliações por parte dos deputados estaduais que sempre usufruíram desses benefícios imorais. Sua reeleição como presidente já está ameaçada.

Rubens Gonçalves

Gestão do estado 1

Deixar a gestão da cultura para OSs demonstra falta de interesse pelo tema, e isso Beto Richa já demonstrou quando era prefeito. Vários programas da Fundação Cultural foram cancelados. Agora no estado por que ele vai se incomodar com cultura?

Elly Bertomeu Leminski

Gestão do estado 2

Sem dúvida alguma, quando há falta de recursos, é preciso usar a criatividade. E é isso que o governador Beto Richa tem feito, criando, com a aprovação dos deputados, as parcerias público-privadas, negociando com as concessionárias de rodovias, estimulando o desenvolvimento econômico e social através da agência de fomento. O Paraná vive novos momentos, de mais dinamismo em todos os setores.

Victor Grein Neto, jornalista

Corrupção e popularidade 1

Boa parte da população esclarecida não vota em corrupto. E com o passar do tempo o índice de desaprovação a corruptos chegará aos 100%, assim espero, pois estamos tendo exemplos negativos todos os dias, dos escândalos que jornais e a mídia televisiva nos mostram. Enfim, devemos tirar da vida pública esse tipo de políticos. Essa oportunidade virá em 2012.

Mauro Wolff, Lapa – PR

Corrupção e popularidade 2

A corrupção não afeta a credibilidade dos políticos. O motivo é bem simples: durante o processo eleitoral a corrupção corre solta com caixa dois, três, distribuição de cestas, presentes e outras coisas. Temos de lembrar que o político vem do povo e não deixa de ser um retrato deste.

Elias Ubirajara Kasecker Junior

Obras inacabadas 1

Além de ter que reembolsar o erário por má administração da verba para essa ou aquela obra, o político que inaugura construções inacabadas tem de pagar pelo que fez, ter seus bens confiscados e não poder assumir cargo público algum por muito tempo. Se for funcionário público, tem de ser sumariamente demitido, após um idôneo processo administrativo.

Luciano Ribeiro Ayres, Pato Branco – PR

Obras inacabadas 2

Se um político inaugura obra inacabada, está agindo errado. Que seja processado por enganar o povo e responsabilizado monetariamente pelo acabamento da obra.

Luiz Dias

Barcelona

É impressionante o show de futebol do fantástico Barcelona em cima do medroso e respeitoso Santos, mesmo depois dos jogadores do Santos falarem que tinham estudado muito bem o time adversário. Foi um massacre. Muricy deve estar pensando como o seu time é fraco e como não percebeu que o Barcelona joga sem atacante fixo, aumentando o número de jogadores no meio de campo, enquanto o Santos permanecia com três zagueiros perdidos. Pobre Ganso, pobre defesa do Santos. Daria para imaginar alguns anos atrás o futebol brasileiro sendo engolido pelo futebol espanhol?

Raul Gelbecke

- - - - - - -

As mensagens devem ser enviadas à Redação com identificação do autor, endereço e telefone. Em razão de espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados. O jornal se reserva, ainda, o direito de publicar ou não as colaborações. Rua Pedro Ivo, 459 - Centro - Curitiba, PR - CEP 80010-020 - Tel.: (41) 3321-5000 - Fax: (41) 3321-5472.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.