i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Anel de Integração

Audiências públicas sobre novos contratos de pedágio devem começar em janeiro

  • 22/11/2020 16:00
Audiências públicas sobre novos contratos de pedágio devem começar em janeiro
| Foto: Arquivo AEN

Faltando praticamente um ano para o fim dos atuais contratos de pedágio do Anel de Integração, em 27 de novembro de 2021, as audiências públicas para discussão sobre as novas concessões de rodovias ainda não foram realizadas. As contribuições das audiências públicas são consideradas fundamentais para os ajustes no edital de licitação, que atualmente está sendo elaborado pelo governo federal, através da EPL, Empresa de Planejamento e Logística. Nesta sexta-feira (20), à Gazeta do Povo, o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, informou que a previsão é que as audiências públicas iniciem em janeiro de 2021.

WhatsApp: receba um boletim diário com notícias do Paraná

“Nesta semana, o ministro Tarcísio [ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas] conversou conosco, comigo e com o governador [Ratinho Junior], e a previsão é de que as audiências comecem em janeiro, início do ano. O atraso foi, primeiro, em virtude da pandemia [do novo coronavírus]... Hoje ainda é difícil, mas é diferente daquele momento. Então, a previsão é começar em janeiro”, diz Sandro Alex.

A Gazeta do Povo também procurou o Ministério da Infraestrutura e a EPL, que se manifestaram apenas por nota, sem dar prazos. “O projeto para nova concessão das rodovias no Paraná está em fase de estudos, etapa que é conduzida pela EPL. Esses estudos serão enviados para avaliação do Ministério da Infraestrutura, que encaminha o material para a etapa de audiência pública”, diz trecho da nota da EPL.

O governo federal ainda não informou se as audiências públicas serão realizadas de forma remota, por meio da internet, ou de forma presencial. Também não se sabe se haverá uma audiência pública para cada lote de rodovias – até oito lotes de estradas devem ser leiloados (o equivalente a 3.800 quilômetros), mais do que o desenho original do Anel de Integração.

A expectativa era de que o modelo das novas concessões se tornasse público ainda em meados deste ano de 2020, com realização de audiências públicas na sequência, no final do segundo semestre. Mas, até aqui, circula apenas uma versão de modelagem ainda incompleta, e que foi apresentada pela EPL apenas para autoridades do governo do Paraná e ao G7, o grupo de entidades empresariais do setor produtivo.

“Ainda é possível realizar a licitação a tempo de os consórcios assumirem as rodovias ao fim dos contratos atuais, em novembro de 2021, mas os prazos estão sim apertados”, explica João Arthur Mohr, gerente de assuntos estratégicos da Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná), em entrevista à Gazeta do Povo.

“Se não der tempo, duas situações são possíveis, e que também são problemáticas: primeiro, a prorrogação dos contratos atuais por mais seis meses, se estipulando apenas uma tarifa de pedágio de manutenção, para que ainda se tenha serviço de socorro em caso de acidente ou de deslizamento de terra, e no período de chuva isso não é incomum. E a segunda situação possível é a abertura total das cancelas, mas os usuários das estradas aí dependeriam dos serviços do Dnit [Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes], que hoje teria dificuldade para assumir todas as estradas”, comenta Mohr.

O gerente de assuntos estratégicos da Fiep calcula que, se de fato as audiências públicas começarem em janeiro de 2021, é possível realizar a licitação em 15 de setembro. “Entre fevereiro e março, o governo federal daria respostas às contribuições das audiências públicas, acolhendo ou não as sugestões, e fechando o edital de licitação. Entre abril e maio, o edital de licitação é encaminhado ao Tribunal de Contas da União (TCU). Geralmente, o TCU leva dois meses para análise. Depois disso, o edital de licitação é publicado. Se considerarmos a publicação em 1º de junho, a partir daí são 100 dias até a realização da licitação. Ou seja, o leilão na bolsa em São Paulo poderia ocorrer em 15 de setembro”, estima ele.

Confira abaixo quais etapas devem ser obedecidas em 2021 para escolha dos consórcios que vão administrar estradas do Anel de Integração daqui um ano, e quanto tempo cada fase deve levar, em uma estimativa feita por entidades empresariais do setor produtivo:

  • JANEIRO
  • Realização de audiências públicas sobre o projeto para nova concessão das rodovias, feito pela Empresa de Planejamento e Logística (EPL). É nessa fase, conduzida pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que o projeto é apresentado e debatido com a sociedade.
  • FEVEREIRO/MARÇO
  • O projeto então é revisado pela equipe da EPL, com base nas observações e sugestões feitas nas audiências públicas, e o edital de licitação é fechado, seguindo na sequência para análise do Tribunal de Contas da União (TCU).
  • ABRIL/MAIO
  • O TCU deve levar cerca de dois meses para fazer a análise do edital de licitação. Após a aprovação pelo TCU, o edital de licitação já pode ser publicado.
  • JUNHO
  • Publicação do edital de licitação. A partir daí, somam-se 100 dias até a data do leilão. Ou seja, se o documento for publicado em 1º de junho, a licitação deve ocorrer em meados de setembro.
  • SETEMBRO/OUTUBRO
  • Realização da licitação e formação das sociedades de propósitos específicos pelos consórcios vencedores dos lotes.
  • NOVEMBRO
  • Fim dos contratos atuais, firmados em 1997. Novos consórcios assumem rodovias.
6 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 6 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • P

    Polaco

    ± 5 horas

    Deveríamos fazer campanha para que o IPVA fosse EXTINTO, uma vez que o poder público quer passar a responsabilidade para a iniciativa privada cuidar das estradas. A bilionária arrecadação do IPTU serve para conservação de estradas. Acordem povinho ignorante.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • W

      wolmer roque zanin

      ± 6 horas

      Deveríamos fazer campanha para que fossem construidas as marginais na 277, na entrada e saída de Curitiba, como em todas as rodovias de SC fizeram

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • G

        gerson

        ± 7 horas

        Quero saber é se será dado prazo improrrogável e prioritário para a duplicação integral da 277, já fomos enganados demais

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • G

          gerson

          ± 7 horas

          Quero saber é se será dado prazo improrrogável e prioritário para a duplicação integral da 277, já fomos enganados demais

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • S

            Stanislau Surek

            ± 10 horas

            Estão enrolando para manter o sistema atual com as tarifas mais altas do Brasil e sem obras.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • Z

              Zyss

              ± 15 horas

              Não tem segredo, menor preço a ser cobrado ao consumidor. Se continuar esse enrolação será pra beneficiar a bandidagem que fez um acordo ilegal com o MP.

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              Fim dos comentários.