Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Balneario Camboriú, em Santa Catarina.
Balneario Camboriú, em Santa Catarina.| Foto: Daniel Castellano/Arquivo/Gazeta do Povo

Não é só o Litoral do Paraná que preocupa a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) com a proximidade do verão pelas aglomerações que podem elevar ainda mais os casos de Covid-19. O alerta também está ligado para o grande fluxo de turistas paranaenses que vão para as praias de Santa Catarina. Ainda mais pelo fato de o estado vizinho estar afrouxando várias medidas de prevenção do coronavírus, mesmo com a escalada de casos que leva à ocupação de 90% dos leitos de UTI Covid-19 no estado vizinho.

WhatsApp: receba um boletim diário com notícias do Paraná

Um dia após fazer um apelo para que as pessoas evitem ir às praias paranaenses, mesmo com o reforço de leitos no Hospital Regional de Paranaguá, o secretário estadual de Saúde do Paraná, Beto Preto, estendeu o pedido para o litoral catarinense. O temor é de que, assim como no litoral daqui, quem vá para as praias de Santa Catarina se contamine e leve a doença para suas cidades na volta para casa.

“Reforço: quem puder não ir à praia, melhor. E não só nas praias do Paraná, mas também nas de Santa Catarina. Lá as restrições são menores que aqui. Por exemplo, eles não vão ter toque de recolher”, alertou Beto Preto em entrevista à Radio CBN nesta sexta-feira (18).

Na entrevista coletiva no lançamento da operação do governo do estado no verão, Beto Preto voltou a citar a preocupação com os paranaenses em Santa Catarina. "Grande parte dos paranaenses vão para as praias de Santa Catarina nesse período de verão. Então nós pedimos para que os paranaenses tenham lá em Santa Catarina os mesmos cuidados para prevenir a Covid-19 que teriam aqui em suas casas", reforçou o secretário de Saúde.

Assim como no Paraná, o estado vizinho não terá restrições de acesso às praias. O governador Carlos Moisés (PSL) vai anunciar a liberação irrestrita da orla no lançamento da Operação Verão nesta sexta. Até então, o acesso às praias catarinenses estavam limitados apenas para atividades físicas no mar e na areia.

Quinta-feira (17), Moisés assinou decreto liberando o funcionamento de parques aquáticos e autorizando eventos sociais como festas, desde que mantendo as medidas sanitárias. Outro motivo de preocupação é a decisão de quarta-feira (15) do governo catarinense de liberar ocupação total de hotéis e pousadas - no Litoral do Paraná, será apenas metade da ocupação. O argumento da liberação em Santa Catarina é de que assim seriam evitadas as hospedagens clandestinas.

8 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]