i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Desvios milionários

Assembleia demora 5 meses para enviar às autoridades relatório da CPI da gestão de frotas

  • 23/09/2020 10:24
Plenário da Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (02)
Plenário da Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (02)| Foto: Dálie Felberg/Alep

Nove meses depois da conclusão dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da JMK e quase cinco meses depois da aprovação do relatório da CPI pelo plenário da Assembleia Legislativa do Paraná, a mesa diretora da Assembleia enviou os documentos produzidos pela comissão a autoridades como Ministério Público, Governo do Estado, Tribunal de Justiça e Tribunal de Contas do Estado, para ciência e tomada de providências cabíveis, como a responsabilização civil e criminal dos envolvidos.

As principais notícias do Paraná no seu whatsapp

Aprovado em 28 de abril, o relatório da CPI que investigou irregularidades no contrato de prestação de serviço de gerenciamento e manutenção da frota estadual sugere o indiciamento de 19 pessoas, 14 ligadas à empresa JMK e cinco servidores estaduais, lotados na Secretaria de Administração e Previdência na época dos contratos (entre 2015 e 2019). O relatório ainda indicou a possibilidade de desvio de mais de R$ 100 milhões e sugeriu diversas medidas a serem adotadas pelo governo do estado para evitar novas fraudes na gestão da frota. Desde o início das investigações da Operação Peça-Chave, a empresa sempre negou ter cometido crimes.

A CPI encerrou seus trabalhos em dezembro de 2019, submetendo o relatório ao plenário, onde deveria ter sido votado em cinco sessões, o que não ocorreu. Em abril, após cobrança dos membros da CPI, o relatório foi colocado em pauta, mas teve a votação adiada, até ser apreciado na sessão de 28 de abril. Apesar da aprovação do relatório em abril e da previsão, no regimento da Assembleia e na Constituição do Estado, de que o resultado da CPI deve ser encaminhado às autoridades competentes, o presidente da Assembleia, Ademar Traiano (PSDB) só despachou no último dia 10 os ofícios aos órgãos públicos com o relatório em anexo.

Segundo a assessoria de imprensa da Assembleia Legislativa, o prazo foi necessário para que o relatório fosse analisado e todas as observações contidas no documento de 226 páginas fossem cumpridas. “Por meio dessa análise constatou-se, por exemplo, que a comissão solicitou outros encaminhamentos além dos já previstos no Regimento Interno”, argumenta.

O presidente da CPI, deputado Soldado Fruet (Pros), disse ter cobrado a Mesa para enviar a documentação às autoridades. “Creio que a questão do coronavírus pode ter atrapalhado. E esse adiamento não vai atrapalhar o trabalho do Ministério Público e dos órgãos competentes. Os responsáveis por essa grande fraude serão responsabilizados e vão ter que pagar”, disse.

Na época da aprovação do relatório da CPI, a JMK Serviços, que sempre alegou ter cumprido rigorosamente o contrato com o governo do Paraná, havia informado que estava "confiante que o Ministério Público não irá acolher o indiciamento feito pela Autoridade Policial, que desde o início tem agido com indevida precipitação na análise do caso”.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.