i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Frota oficial

Assembleia do Paraná instala CPI da JMK com disputa inesperada por relatoria

  • PorCatarina Scortecci
  • 04/06/2019 18:49
Hussein Bakri (PSD) ao lado do Delegado Jacovós (PR)
Líder do governo, Hussein Bakri (PSD), ao lado do relator da CPI da JMK, Delegado Jacovós (PR)| Foto: Dálie Felberg/Alep

A Assembleia Legislativa do Paraná instalou nesta terça-feira (4) a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) destinada a apurar supostas irregularidades no contrato firmado pelo governo do Paraná em 2015 com a empresa JMK, responsável pela contratação de oficinas para consertos da frota oficial. Na primeira reunião do grupo, formado por 11 parlamentares, também ficaram definidos os nomes que ocuparão a presidência, a vice-presidência e a relatoria da CPI.

Autor do requerimento que propôs a investigação, o deputado Soldado Fruet (Pros) foi confirmado para a cadeira de presidente do grupo, como já era esperado. Tião Medeiros (PTB) foi escolhido para ser vice-presidente do colegiado. Já a relatoria ficou nas mãos do Delegado Jacovós (PR), depois de uma disputa inesperada.

Até a véspera da reunião, o nome do deputado Luiz Fernando Guerra (PSL) era dado como certo para a relatoria, dentro de um acordo feito nos bastidores e que reservava a vaga para o PSL. No momento da reunião, contudo, Guerra abriu mão da indicação para o Delegado Jacovós e o deputado Michele Caputo (PSDB) também se colocou como candidato.

Caputo alegou ter recebido um convite do líder governista, deputado Hussein Bakri (PSD), para assumir a relatoria. A informação gerou desconforto na reunião e Jacovós reagiu com irritação. “Não aceito que a liderança do governo faça compromissos sem me comunicar. Porque eu também faço parte da base. É uma palhaçada”, afirmou Jacovós. Por causa do protesto, Caputo abriu mão da disputa, retirando o nome. E Jacovós foi escolhido para a vaga.

Horas depois, a tentativa da liderança governista de interferir no andamento da CPI – com a indicação de Michele Caputo – foi parar no plenário da Assembleia. Bakri subiu à tribuna para “rechaçar de pronto qualquer insinuação” de que o governo Ratinho Junior (PSD) teria interesse em controlar os trabalhos da CPI. “O governo não se mete em CPI. Que apure o que tenha que ser apurado”, disse Bakri.

O líder governista reforçou, contudo, que não vê de que maneira a CPI poderia avançar em um caso que já está na mira da Polícia Civil. “O que a CPI vai achar mais do que a Polícia Civil já está apurando? Alguém pode me responder? Só espero que não atrapalhe. É a única preocupação que nós temos”, criticou Bakri, em referência à Operação Peça Chave, deflagrada no último dia 28 pela Divisão de Combate à Corrupção, da Polícia Civil do Paraná.

O pedido de abertura da CPI é anterior à Operação Peça Chave – foi constituída em 20 de maio. Mas o início efetivo dos trabalhos no âmbito do Legislativo – nesta terça-feira (4), a partir da instalação do colegiado – só ganhou força por causa da entrada da Polícia Civil.

Em entrevista à imprensa após ser eleito relator da CPI, Jacovós antecipou que o delegado-chefe da Divisão de Combate à Corrupção, Alan Flore, deve ser o primeiro a ser ouvido pela CPI. “Vamos chamar os investigadores e saber quais documentos podemos ter acesso”, disse ele, que também não descartou convocar “membros do governo anterior”. O contrato com a JMK foi feito pela gestão Beto Richa (PSDB) em 2015. A duração inicial era de 12 meses mas, com três aditivos, o governo foi prorrogando a contratação até julho deste ano.

A CPI tem 120 dias de trabalho, com possibilidade de prorrogação por mais 60 dias. A próxima reunião ocorrerá na terça-feira (11), às 11 horas.

3 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 3 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • L

    Leitor Da Gazeta

    ± 0 minutos

    tudo começa com um edital mal feito, que é aprovado em todas as instâncias. Daí a licitação ocorre e uma empresa vencedora é homologada, também com toda aprovação dos órgãos responsáveis. Aí as maracutaias acontecem porque há furos no edital, na fiscalização e nos órgãos que aprovaram tudo. Beeeem depois, quando não dá mais para esconder a "montanha", o TC se manifesta e inicia um novo espetáculo de circo. Há reportagens acho que desde 2015 sobre problemas com licitações de manutenção da frota. Procurem por JMK aqui na Gazeta

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Luiz Fernando K.

    ± 2 horas

    Olha o desespero do atual governador, parabéns a "República de Curitiba", que continua se orgulhando de colocar sempre os mesmos na política local.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Pensador

    ± 2 horas

    Para quem tinha dúvidas sobre a relação próxima entre Richa e Ratinho, estão aí essa e outras situações que não deixam dúvidas, como a centena ou milhares de comissionados do Richa que seguem no governo atual.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]