Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Alunos de escolas estaduais do Paraná terão aulas de empreendedorismo a partir de 2020
| Foto: Pixabay

A partir de 2020, escolas estaduais do Paraná começarão a implantar a disciplina de empreendedorismo para alunos a partir do sexto ano do ensino fundamental. De acordo com a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (Seed), a nova matéria contempla competências previstas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e no Referencial Curricular do Paraná, que estabelecem o conjunto de aprendizagens essenciais que todos os estudantes devem desenvolver ao longo da educação básica.

RECEBA notícias do Paraná pelo messenger do Facebook

Lançada em 2017, a BNCC estabelece 10 competências que devem ser contempladas no ensino básico por escolas públicas e privadas: conhecimento; pensamento científico, crítico e criativo; repertório cultural; comunicação; cultura digital; trabalho e projeto de vida; argumentação; autoconhecimento e autocuidado; empatia e cooperação; e responsabilidade e cidadania.

O Referencial Curricular do Paraná é um documento estadual construído em 2018 a partir das premissas do BNCC e que estabelece o que o estudante tem de aprender em cada disciplina, da educação infantil ao nono ano do ensino fundamental.

“Quando se fala em empreendedorismo não é só ser dono de um negócio: é ser empreendedor na vida”, diz Raph Gomes, diretor de Educação da Seed. “Ter uma postura empreendedora é aprender a ser protagonista, não só um sujeito passivo”, explica.

A adequação do currículo às diretrizes prevê ainda aulas de programação e robótica e a inclusão de conteúdos de educação financeira, em uma parceria com o Banco Central (BC). “São competências fundamentais para o mundo contemporâneo”, diz Mary Lane Hutner, chefe do Departamento de Educação Básica da Seed. “As mudanças no mundo exigem que a escola repense e crie formas de contemplar essas habilidades.”

O planejamento da disciplina passou por fases de análise de experiências nacionais e internacionais. Currículos de Portugual e Austrália, por exemplo, foram estudados por técnicos da secretaria, que adaptam o conteúdo ao contexto local. “Um aspecto muito próprio do estado do Paraná é a questão do cooperativismo, que será uma habilidade a ser desenvolvida dentro da disciplina”, ressalta Gomes.

Disciplina começa em 47 escolas de período integral

Inicialmente, terão a nova disciplina 47 escolas, de diversas regiões do estado, que dispõem de ensino integral para o nível fundamental (confira a lista).

Nessas instituições, em vez de 25, os alunos têm 45 aulas semanais. “Até agora, essas 20 aulas adicionais em relação aos colégios de período parcial são preenchidas com conteúdo da matriz curricular tradicional” explica Gomes. A partir de 2020, duas aulas semanais serão destinadas à disciplina de empreendedorismo – não haverá, portanto, substituição de aulas tradicionais pelas da nova matéria.

A partir dos resultados verificados nas escolas piloto, a Seed estudará a melhor maneira de estender a inclusão da disciplina para as escolas de meio-período, o que deve ocorrer nos próximos anos.

Gomes acrescenta que a função da escola vai além do repasse de conteúdo. “A gente tem uma responsabilidade de desenvolver no estudante o conteúdo cognitivo, o que foi socialmente construído ao longo dos anos – como o conhecimento matemático, histórico e assim por diante –, mas também de desenvolver a pessoa para que ela possa ser um cidadão de direito”, diz. “Que ela tenha autonomia para tomar decisões.”

A Seed já tem experiência com o empreendedorismo em sala de aula, porém de forma eletiva. Em 64 escolas do estado, o tema é ensinado aos alunos no contraturno em um programa em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Nesses horários, os estudantes são motivados a pensar em soluções para problemas encontrados em sala, na comunidade ou na vida pessoal. “Em Assaí, um aluno desenvolveu uma cadeira de rodas com comando de voz, pensando em uma pessoa da comunidade que tinha dificuldades para se locomover”, conta Gomes.

Escolas estaduais com ensino integral de nível fundamental

Colégio estadualMunicípio
Antônio T R de OliveiraApucarana
Rui BarbosaJandaia do Sul
São Francisco de AssisTunas do Paraná
Antônio Lacerda BragaLapa
Caetano M RochaRio Negro
Pres. Humberto de A C BrancoJesuítas
Alto São JoãoRoncador
Cielito LindoLindoeste
Barão do Rio BrancoAssaí
William MadiCornélio Procópio
Alcindo Fanaya JrCuritiba
Inst. Ed Pr Erasmo PilottoCuritiba
Homero B de BarrosCuritiba
Manoel RibasCuritiba
Profa Maria A TeixeiraCuritiba
Paula GomesCuritiba
Monteiro LobatoDois Vizinhos
José de AnchietaDois Vizinhos
Pedro IISão Miguel do Iguaçu
Bom JesusBom Jesus do Sul
XV de NovembroBom Jesus do Sul
Rocha PomboCapanema
Francisco BeltrãoFrancisco Beltrão
Antônio SchiebelSanto Antônio do Sudoeste
Jorge SchollUbiratã
Rui BarbosaGuarapuava
Bento MossorungaIvaiporã
Ubaldino do AmaralSanto Antônio da Platina
Prof Elenir LinkeCantagalo
Pres Arthur da C SilvaCafeara
São JoséCambé
Dario VellozoLondrina
TiradentesLondrina
Constantino MarochiSanta Cruz do Monte Castelo
Juscelino K OliveiraMaringá
Rocha PomboAntonina
Bar de LucenaNova Esperança
Cely Tereza GrezzanaChopinzinho
Linha AparecidaChopinzinho
Santa InêsChopinzinho
São LuizChopinzinho
Sem CorreiaPonta Grossa
Wollf KlabinTelêmaco Borba
Santa Rita D OesteTerra Roxa
Tulio de FrançaUnião da Vitória
Vila NilzaIporã
Ary BarrosoWenceslau Braz

Fonte: Secretaria de Estado da Educação e do Esporte

6 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]