i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Financiamento

Veja as empresas com sede no Paraná que compraram jatinhos com dinheiro do BNDES

  • PorCélio Yano
  • 21/08/2019 11:32
"Bolsa jatinho" beneficiou mais de 130 empresas entre 2009 e 2014, segundo o BNDES.
“Bolsa jatinho” beneficiou mais de 130 empresas entre 2009 e 2014, segundo o BNDES.| Foto: Divulgação/Embraer

A lista de aeronaves financiadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), entre os anos de 2009 e 2014, inclui entre os compradores oito empresas com sede no Paraná, que, juntos, financiaram nove aeronaves a um custo total de R$ 88.384.025,33. A cifra equivale a 4,6% dos R$ 1,9 bilhão financiados no período a 134 aeronaves de todo o país.

A lista divulgada na segunda-feira (19) pelo BNDES não se refere a casos de corrupção – são empréstimos em uma política implantada à época para desenvolver a indústria nacional. A divulgação foi justificada como um ato de transparência do BNDES – que promete abrir todas as suas “caixas pretas” na atual gestão. Por outro lado, acabou antecipando a disputa presidencial.

Os financiamentos, com juros subsidiados pelo Tesouro Nacional, foram contratados no âmbito do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), linha de crédito cujo objetivo era estimular as vendas da Embraer, tornando-a mais competitiva na concorrência com empresas estrangeiras.

Os valores financiados para empresas com sede no Paraná vão de R$ 6,3 milhões a R$ 19,8 milhões, e foram contratados a taxas de 3% a 5,5% ao ano por prazos que variam de 95 a 120 meses. Entre os paranaenses, há seis empresas com sede em Curitiba – uma delas adquiriu duas aeronaves –, uma de São José dos Pinhais, uma de Toledo e uma de Cianorte.

Veja abaixo mais detalhes sobre cada empresa:

NPP Agropecuária

Em 2009, para adquirir uma aeronave, a NPP Agropecuária contratou o financiamento no BNDES no valor de R$ 6,5 milhões a serem pagos em 120 parcelas a uma taxa de 4,5% ao ano. Com sede no Centro de Curitiba, a empresa foi fundada em 1986 com a atividade de criação de bovinos para corte como a principal, conforme cadastro da Receita Federal. A NPP atua também no ramo de incorporação imobiliária – o edifício Mariano Torres 729 Corporate, de 12.683 m², é um dos empreendimentos com participação da empresa. A NPP é controlada por quatro membros da família Pollis, que figuram também no quadro de sócios do Grupo Brochmann Pollis.

Lavoura e Pecuária Igarashi

A Igarashi aparece duas vezes na lista de compradores de aeronaves financiadas no PSI do BNDES. Os financiamentos foram contratados nos anos de 2010 e 2013, para aquisição de aeronaves nos valores de R$ 6,4 milhões e R$ 19,8 milhões, respectivamente. Desde janeiro de 2019, a empresa está em processo de recuperação judicial, segundo comunicado oficial, em razão “da intensa crise que assola o país nos últimos anos, além dos prejuízos ocasionados pela invasão e depredação de algumas de suas áreas produtivas em 2017”. Com unidades em oito municípios de quatro estados brasileiros (Bahia, Goiás, Paraná e Santa Catarina), a Igarashi produzia seis de cada dez batatas consumidas na Bahia e está entre as três maiores produtoras de tomate do Brasil, segundo informava a empresa na última atualização de seu site oficial. Os financiamentos de aeronaves foram contratados pela matriz da Igarashi, sediada no bairro Rebouças, em Curitiba.

Construtora JL

Batizada com as iniciais de seu fundador, o engenheiro João Luiz Félix, a Construtora JL adquiriu em 2010 uma aeronave de R$ 6,5 milhões com financiamento de 100% do valor em 118 parcelas, a uma taxa de 5,5% ao ano pelo PSI do BNDES. Fundada em 1977 em Cascavel, no Oeste do Paraná, a empresa, considerada a terceira maior do Paraná, tem sede hoje em um sobrado no bairro Cristo Rei, em Curitiba. Foi responsável, entre outras grandes obras, pela construção do presídio federal de Catanduvas (PR), pela ampliação do Aeroporto Eurico de Aguiar Salles, em Vitória (ES), e pela revitalização do Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. A empresa tem participação ainda nos shoppings Cascavel JL, em Cascavel, e Cataratas JL, em Foz do Iguaçu, no hotel Bourbon de Foz do Iguaçu, e na Marina Bracuhy, em Angra dos Reis (RJ).

Leasing Rent a Car

A Leasing Rent a Car tem sede em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, e atua na locação de meios de transporte, inclusive aeronaves sem tripulação. Em 2010, financiou um total de R$ 6,7 milhões para aquisição de um modelo da Embraer. O contrato com o BNDES prevê o pagamento em 120 parcelas a uma taxa fixa de 5,5% mais taxa de juros de longo prazo (TJLP), que é calculada trimestralmente. A empresa foi fundada em 1995 e no quadro de sócios e administradores constam o empresário Paulo Adorno Junior e a empresa TBI Terraplanagens, representada por Juliana Adorno.

Grupo OVD

Com mais de 50 anos de atuação no ramo de ferragens, ferramentas, acessórios, materiais elétricos e hidráulicos e equipamentos para indústria e construção civil, o Grupo OVD mantém unidades em Curitiba, Itajaí (SC), Jundiaí (SP), Novo Hamburgo (RS), Feira de Santana (BA) e Aparecida de Goiânia (GO). Em 2010, a compra de uma aeronave no valor de R$ 15,5 milhões pela matriz da empresa, em Curitiba, foi feita mediante financiamento do BNDES a uma taxa de 5,5% ao ano.

SPE - HNZ Administração

Com poucas informações disponíveis publicamente, a SPE - HNZ Administração, de Cianorte, tem em seu quadro de sócios os empresários Mario Roberto Hohl, presidente da Associação Brasileira de Energia Sustentável, e Jane Mitro Abou Nabhan. Sociedade limitada, a empresa atua no ramo de compra e venda de imóveis próprios. Em 2013 contraiu um financiamento no BNDES de R$ 8,4 milhões a serem pagos 120 parcelas, para aquisição de aeronave. A cifra corresponde a 100% do valor da aeronave, e a taxa de juros do contrato é e 3% ao ano.

Prati-Donaduzzi

Um dos maiores laboratórios farmacêuticos do país, a Prati-Donaduzzi, de Toledo, Oeste do estado, também utilizou o PSI do BNDES para comprar uma aeronave por meio de financiamento com juros subsidiados. A contratação do banco foi feita em 2013 para um valor de R$ 8,4 milhões a serem pagos em 120 parcelas com a cobrança de 3,5% de juros fixos. Fundada pelo casal de farmacêuticos Carmen e Luiz Donaduzzi, também à frente do parque tecnológico Biopark, a empresa é um dos maiores fornecedores de medicamentos genéricos do Brasil. A Prati-Donaduzzi ganhou algum destaque recente na imprensa em razão dos estudos que realiza para produção industrial do canabidiol sintético.

Pedro Henrique Xavier & Advogados Associados

Com escritório no bairro Ahú, em Curitiba, o advogado Pedro Henrique Xavier ficou conhecido por atuar na defesa do ex-diretor da Galvão Engenharia Erton Medeiros, e do doleiro Carlos Habib Chater, no âmbito da Operação Lava Jato. Ele também foi administrador da massa falida do Banco de Desenvolvimento do Estado do Paraná (Badep) e presidente do Conselho de Administração da Sanepar. Seu nome consta na lista divulgada pelo BNDES por causa de um financiamento contraído em 2013 para compra de uma aeronave no valor de R$ 10 milhões. O contrato, com prazo de 95 meses, foi firmado com uma taxa fixa de 3,5% de juros ao ano.

3 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 3 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • C

    CARLOS FELIX

    ± 0 minutos

    Escritório de advocacia, comprando jatinho com financiamento no BNDES. Qual o papel desse escritório ou contribuição para o desenvolvimento? Talvez, na construção da sua sede, que mais parece uma torre de aeroporto para nave espacial.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Emerson

    ± 20 horas

    O tal banco jamais deveria servir de financiadora de jatinhos para empresas particulares pois até parece que o Brasil está as mil maravilhas da perfeição. Se dinheiro tem para jatinhos, qual o real motivo de hospitais sucateados, escolas nunca terminadas, trabalhadores desesperados atrás de uma vaga, entre outras agruras mais?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Freitas

    ± 21 horas

    Alguém sabe como foi o voto do então de****do federal Jair Bolsonaro quando o financiamento foi discutido no Congresso? Não sabem? Pesquisem e vocês ficarão surpresos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.