Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Avião da Latam
Latam passará a ter voos internacionais saindo de Curitiba e Foz do Iguaçu.| Foto: Divulgação

Estão no pacote de 70 novos voos oferecidos pela Latam, lançado na manhã desta sexta-feira (30) em evento no Palácio Iguaçu, novas rotas internacionais partindo e chegando de cidades do Paraná. A empresa anunciou que a rota Foz do Iguaçu-Lima, no Peru, passará a ser diária e que serão ofertados voos de Curitiba para Assunção, no Paraguai. Além disso, para 2020, está previsto o voo de Curitiba para Santiago, no Chile.

RECEBA notícias do Paraná pelo messenger do Facebook

Na oportunidade, também foi anunciada a ampliação de oferta de voos nacionais, com mais opções entre Curitiba e Porto Alegre e Rio de Janeiro (Santos Dumont), além de saídas e chegadas em Foz de Iguaçu de aviões de Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro (Galeão).

Maringá passa a ter uma rota para Guarulhos. O prefeito de Maringá, Ulisses Maia (PDT), comemorou a conquista e, em discurso, aproveitou para dar uma alfinetada na gestão anterior. Disse que há uma luta, há 11 anos, para retomar o voo da Latam. Mesmo com maringaenses no governo, negaram os incentivos fiscais, disse, se referindo à ex-governadora Cida Borghetti (PP), que deixou o cargo no início do ano. Questionada pela Gazeta do Povo, a assessoria de imprensa enviou uma nota oficial.

Com a ampliação de ofertas de voos, a empresa passa a ter a alíquota de imposto sobre o querosene reduzida de 18% para 7%, dentro do programa Voe Paraná, de incentivo à ampliação da malha aérea. Bruno Alessio, diretor de planejamento tributário da Latam, destacou que a redução de ICMS no Paraná é que permitiu a viabilização dos voos. Ele também comentou que o aumento na oferta foi de 17% e que, com isso, o estado passa a ser a quarta maior rota da companhia, atrás apenas dos principais hubs logísticos do país.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) destacou que a rota Foz-Lima é muito importante para o turismo do Paraná. Muitos turistas estrangeiros que visitam Macchu Picchu, por exemplo, podem aproveitar a facilidade para conhecer as belezas paranaenses.

Outras empresas também aproveitaram o benefício fiscal oferecidos pelo governo estadual para ampliar a quantidade de voos ofertados e de cidades atendidas. É o caso da Azul, que começou a operar em Toledo e Pato Branco e que, nesta semana, comunicou o interesse em incluir Umuarama no rol de municípios servidos.

Já a Gol anunciou que fará rotas internas, ou seja, saindo e chegando dentro do Paraná, para 12 cidades. A venda de passagens começa em 2 de setembro e os primeiros voos devem acontecer no final de outubro.

O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex de Oliveira, destacou que, com o incremento dado a previsão é de que 500 mil passageiros a mais usem o transporte aéreo. O Paraná vinha perdendo usuários, tanto na aviação regional como em rotas para outros estados e países. Veja aqui os números e os possíveis motivos da diminuição de circulação de passageiros, interferindo também no preço das passagens.

Nota:

A ex-governadora do Paraná, Cida Borghetti, parabeniza o Governo do Estado e a TAM pelo sucesso nas negociações que possibilitaram a retomada de voos para o Paraná e para Maringá. Isso significa que concessões das duas partes nas negociações resultaram em avanços. 

Ressalta-se que o tema foi motivo de reuniões em 2015 com representantes da TAM e da AZUL ainda na vice-governadoria. Já em 2018, a negociação não avançou por situações de mercado e devido às restrições impostas pela legislação eleitoral e pela lei de responsabilidade fiscal.

12 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]