Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Pedágio no Anel de Integração
Praça da concessionária Ecocataratas na BR-277.| Foto: Divulgação

A rodovia BR-277 será integralmente duplicada no Paraná, de Foz do Iguaçu até o litoral, após o fim das obras previstas para o Lote 6 da nova concessão de rodovias do estado. O lote, com 638 quilômetros de extensão entre as regiões central, oeste e sudoeste do Paraná, é o maior entre todos que farão parte dos novos contratos de pedágio no Estado.

Receba um boletim diário com notícias do Paraná no seu whatsapp

Os detalhes do projeto inicial deste lote foram apresentados nesta sexta-feira (19) por representantes do Ministério da Infraestrutura (Minfra) e da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), também ligada ao governo federal. Eles explicaram os detalhes do projeto, durante uma reunião técnica online, a prefeitos e representantes do G7, grupo de lideranças do estado e representantes de entidades do setor produtivo que discutem o novo modelo de pedágios.

Todo o trecho entre o Trevo de Relógio, na região de Prudentópolis, passando por Guarapuava até Foz do Iguaçu a BR-277 receberá duplicação em sua integralidade. Nesta área está a Serra da Esperança, tratada pelo diretor de rodovias do Ministério da Infraestrutura, Guilherme Bianco como a obra mais importante do lote. Além da duplicação, serão instaladas áreas de escape como a existente na rodovia BR-376 na região da Serra do Mar. Ao todo, o Lote 6 terá 444 quilômetros de rodovias duplicadas.

Bianco também explicou que a BR-277 em sentido à região oeste do Paraná é uma das rodovias que mais precisará de readequação de traçado da pista. O traçado original da pista, disse o diretor, foi feito adequado à realidade de quando a rodovia foi projetada, que já não é mais a mesma hoje. “Os carros evoluíram, a velocidade média aumentou e essas curvas são muito fechadas. Precisamos fazer essas readequações para garantir a segurança dos usuários e dar mais fluidez para o tráfego”, comentou.

Para tanto, três novas praças de pedágio devem ser instaladas dentro do Lote 6 – todas na porção sudoeste do trecho – que passará a contar com nove pontos de cobrança no total. Além das já instaladas praças de São Miguel do Iguaçu, Cascavel, Laranjeiras do Sul, Candói e Prudentópolis, o lote contará com as novas praças de Renascença, Ampére e Lindoeste.

Prefeito não quer contorno

Algumas questões pontuais foram discutidas durante a reunião, como a instalação de novos acessos de saída da rodovia na cidade de Realeza, nas proximidades da Universidade Federal da Fronteira Sul. Outro ponto discutido foi o contorno de Marmeleiro, uma das novidades apresentadas pelo MInfra para o Lote 6.

Assim como na cidade de Peabiru, Marmeleiro tem a área urbana dividida pela rodovia. Mas, ao contrário da intervenção do Lote 5, o contorno do sudoeste foi criticado pelo prefeito Paulo Pilati (MDB). Segundo ele, o comércio de Marmeleiro sofrerá um forte impacto negativo se o fluxo de veículos for desviado do centro da cidade para o contorno. O diretor do MInfra ponderou que o projeto não está fechado e mudanças ainda podem ser feitas, mas afirmou que não vê viabilidade em outras alternativas, como a duplicação do trecho urbano da rodovia PR-280.

Anel de integração pode ter sétimo lote de pedágio

Na porção sudoeste do lote, a concessão termina na entrada da cidade de Pato Branco. Questionado sobre a possibilidade de uma nova saída do município em sentido leste para escoamento da produção agrícola em uma ligação direta ao Porto de Paranaguá, Bianco informou que esse acréscimo inviabilizaria o Lote 6. Ele não descartou, porém, uma nova discussão acerca de um possível novo lote de 384 quilômetros, o 7º, que seguiria de Pato Branco pelas cidades de Clevelândia, Palmas, General Carneiro, União da Vitória, São Mateus do Sul terminando na Lapa.

10 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]