Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Colagem de boletins informativos municipais da Covid-19 no Paraná
Boletins divulgados por municípios mostram números diferentes dos compilados pela secretaria do estado.| Foto:

Os boletins epidemiológicos das prefeituras municipais indicam que o Paraná tem mais casos recuperados de Covid-19 do que indica o boletim da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). São pessoas que testaram positivo para a doença, mas já se curaram e não contagiam outras pessoas neste momento, nem serão infectadas novamente no curto prazo – as pesquisas realizadas até agora indicam um grau de imunidade mais duradoura. Segundo os 20 municípios com mais registro de casos de coronavírus no estado, são 11.037 confirmados, dos quais 6.503 recuperados – uma taxa de 58%. No boletim de domingo (21), a Sesa apresentou um índice de 28%.

Isso não muda o cenário preocupante da Covid-19 no Paraná: pelos dados deste domingo, são 14.336 confirmações, com 442 óbitos. O estado chegou a 39 mortes por 1 milhão de habitantes, contra 18 no início de junho, ultrapassando Santa Catarina e Rio Grande do Sul no ranking por estados. Entretanto, acompanhar o número de recuperados é fundamental para identificar os casos ativos de vírus, e assim identificar as localidades em que a situação é mais crítica. Os casos ativos consideram o total de confirmações menos os recuperados e os óbitos – a possibilidade de subnotificação persiste, entretanto.

A Sesa informou, via assessoria de imprensa, que solicita aos municípios “para encaminharem para as Regionais de Saúde os dados consolidados, que por sua vez repassam à central da Sesa, porém essas planilhas não são recebidas diariamente em função das demandas impostas às equipes regionais e municipais”.

Mesmo os dados de casos confirmados não batem com os dados divulgados pelas prefeituras em seus boletins diários. Entretanto, esse número é bem próximo, ao contrário dos casos recuperados, que está bastante defasado no boletim da secretaria. Os municípios costumam informar nas redes sociais e nas páginas oficiais das prefeituras o número de casos em tempo real. Exames que são realizados pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) entram na contabilidade do governo estadual imediatamente, mas os testes rápidos e aqueles realizados por empresas privadas passam por uma checagem antes de serem divulgados pela Sesa, por isso a discrepância de números.

Situação em Toledo faz cidade suspender atividades novamente

A Gazeta do Povo levantou os dados de sábado, dia 20, data da atualização mais recente da maioria dos municípios. Foram consideradas as informações de Curitiba, Cascavel, Londrina, Maringá, Toledo, São José dos Pinhais, Cianorte, Cornélio Procópio, Pinhais, Foz do Iguaçu, Araucária, Ponta Grossa, Piraquara, Paranavaí, Colombo, Coronel Domingos Soares, Fazenda Rio Grande, Campo Largo e Paranaguá. Juntos, esses municípios somam 11.037 casos de Covid-19. Foram consideradas as atualizações mais recentes de cada município.

Pelo ranking do número total de casos, a capital Curitiba está em primeiro lugar, com 2.885 casos confirmados, seguida por Cascavel (1.739), Maringá (1.113), Londrina (1.070) e Toledo (768). Entretanto, pelo número de casos ativos, que é a diferença entre contaminados e recuperados, Toledo passa para a segunda colocação, com 580 casos ativos, atrás apenas de Curitiba, com 1.079 pessoas infectadas no momento, ou seja, com possibilidade de transmitir o vírus.

Foi essa situação que motivou a prefeitura de Toledo a decretar a suspensão de várias atividades a partir do domingo (21) até o dia 30 de junho, com toque de recolher das 20h às 6 horas. Vários estabelecimentos, que desde abril estavam reabertos, em um cenário de controle de casos, terão de fechar as portas neste período: comércio varejista em geral, de rua e em shopping; prestadores de serviços; salões de beleza; hotéis; academias de ginástica; bares e lanchonetes; feiras livres; templos e igrejas.

Veja a seguir o detalhamento da situação das dez cidades com mais casos de coronavírus no Paraná, segundo informes de cada prefeitura.

A situação das 10 cidades do Paraná com mais casos de Covid-19 em 20 de junho de 2020:

1.º lugar
Curitiba: 872 novos casos ativos desde 1.º de junho

O começo do mês foi marcado pela ampliação da testagem em Curitiba. Com isso, o número de confirmações passou de 1.129 em 1.º de junho para 2.885 no dia 21, variação de 155%. Mais preocupante do que isso foi o salto no número de casos ativos: eram apenas 207 em 1.º de junho, e chegaram a 1.079, representando a quantidade de pessoas doentes no momento, com possibilidade de transmitir o novo coronavírus a outras pessoas. São casos detectados, em sua maioria, pelo teste molecular RT-PCR. A capital paranaense acumula 109 óbitos, taxa de 56 por 1 milhão de habitantes.

2.º lugar
Cascavel: ampla testagem e muitas confirmações

A cidade no Oeste chegou à segunda colocação no ranking do coronavírus – 1671 casos em 20 de junho – com um programa de testagem ampla da população. Em 1.º de junho, eram 508 casos confirmados. O número de casos ativos passou de 116 para 516. O número de óbitos é de 27 – taxa de 82 mortes por milhão de habitantes. No sábado (20) e domingo (21), a prefeitura determinou fechamento de todas as atividades não essenciais, e incluiu supermercados, como forma de conter a disseminação do vírus.

3.º lugar
Maringá: casos acelerando, óbitos abaixo da média estadual

O número de casos confirmados em Maringá atingiu 1.113 em 21 de junho, contra 379 de 1.º de junho. Os casos ativos aumentaram de 170 para 471, acendendo o alerta para o alto número de pessoas doentes no momento e com possibilidade de transmitir o coronavírus. Por outro lado, a cidade contabilizou 13 óbitos por Covid-19, uma taxa de 31 por milhão de habitantes.

4.º lugar
Londrina: dentre as grandes cidades, mais mortes

A cidade do Norte do Paraná contabilizava 1.070 casos até 21 de junho, contra 435 registrados no começo do mês. A situação epidemiológica, entretanto, é um pouco menos grave do que as demais: os casos ativos passaram de 170 para 363. Isso demonstra que muitos dos testes confirmados são de pessoas que já tinham passado pela fase aguda da doença, e que já desenvolveram anticorpos – o que é detectado pelo exame sorológico, de sangue. Entretanto, o número de óbitos já chegou a 62, taxa de 109 por milhão de habitantes.

5.º lugar
Toledo: do controle à suspensão das atividades

Toledo tinha reaberto praticamente todo o comércio ainda em abril, e os templos e igrejas reabriram as portas em 17 de maio. Com poucos casos confirmados até então, as medidas tomadas pelo município foram noticiadas pela Gazeta do Povo em 21 de maio. De lá para cá, porém, houve uma disparada no número de casos: de 36 em 1.º de junho a 768 no domingo (21). O descontrole se deu após um surto em uma cadeia superlotada. A preocupação é grande porque o número de pessoas com vírus ativo era o segundo mais alto do Paraná no sábado: 580, contra apenas 24 no início do mês. A cidade contabiliza seis mortes por Covid-19, taxa de 43 por milhão de habitantes.

6.º lugar
São José dos Pinhais: casos ativos caíram nas últimas semanas

A cidade da Região Metropolitana de Curitiba era a sexta com mais casos confirmados até domingo (21), mas com certo alívio: das 488 confirmações, 401 estão recuperados. Considerando os 18 óbitos do município, o número de pessoas atualmente doentes, com possibilidade de transmitir o novo coronavírus, é de 69. Em 1.º de junho, havia 214 confirmações, 116 recuperados e cinco mortes, um saldo de 93 casos ativos à época. A cidade tinha registrado um surto em uma empresa. A taxa de óbitos é de 56 por milhão.

7.º lugar
Foz do Iguaçu: ampliação da testagem e dos casos ativos

Foz do Iguaçu também vivencia uma escalada no número de casos confirmados: chegou a 454 no domingo (21), fruto da ampliação da testagem no município. Muitas dessas pessoas estão com o vírus ativo no momento: 204; outras 244 são consideradas recuperadas. Em 1.º de junho, eram apenas 130 casos, com 29 pessoas com vírus ativo. Por outro lado, o município somou seis óbitos até 21 de junho, taxa de 23 por milhão de habitantes.

8.º lugar
Cianorte: surto em abatedouro afetou cidade

O município do Noroeste tinha 282 casos confirmados até sábado (20), dos quais 226 recuperados e duas mortes, resultando em 54 casos ativos. A situação não se alterou tanto em relação a 1º de junho, quando havia apenas 83 confirmados, mas com menos recuperados, o que resultava em 44 casos ativos. A cidade foi impactada por um surto em um abatedouro. A taxa de mortes está atualmente em 24 por 1 milhão de habitantes.

9.º lugar
Pinhais: 243 casos confirmados e sete mortes até sábado (20)

Outro município da Região Metropolitana de Curitiba no ranking de casos, Pinhais chegou à marca de 263 casos confirmados no domingo (21). Em 1.º de junho, eram apenas 99. Entretanto, o número de pessoas recuperadas subiu também, de 61 para 165, e por isso a situação é menos crítica do que em outras localidades. Os casos ativos, de pessoas com possibilidade de transmitir o vírus, chegaram a 91, contra 34 no começo do mês. O número de mortes por Covid-19 é sete, taxa de 53 por milhão de habitantes.

10.º lugar
Cornélio Procópio: mortalidade bem acima da média estadual

O município de 47,8 mil habitantes do Norte Pioneiro apresenta um dado crítico: já são 14 mortes por Covid-19, uma taxa de 293 a cada 1 milhão de habitantes. Até 20 de julho, a cidade tinha 222 casos confirmados, pouco mais do que o dobro registrado em 1.º de junho. No início do mês, a situação preocupou a prefeitura, que determinou o fechamento de todas as áreas públicas. Um hospital do SUS foi desinfetado após aumento repentino de casos. As medidas parecem ter contribuído: o número de pessoas doentes no sábado, com possibilidade de transmitir o vírus, era de 64, menos do que os 80 casos ativos de 1.º de junho.

8 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]