i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Coronavírus

Paraná terá condições de vacinar toda a população contra Covid em 2021?

  • 02/12/2020 14:11
Vacina experimental da Covid-19.
Vacina experimental da Covid-19| Foto: Bigstock

O Ministério da Saúde anunciou na última terça-feira (2) a estratégia que o Brasil irá adotar para vacinação da população contra a Covid-19. A imunização acontecerá em quatro fases, priorizando profissionais de saúde, idosos e portadores de comorbidades. Na sexta-feira (27), porém, representantes do ministério já haviam adiantado que não será possível vacinar toda a população brasileira em 2021.

Receba as principais notícias do Paraná pelo WhatsApp

No Paraná, o governo estadual já reservou no orçamento do ano que vem um montante de R$ 200 milhões exclusivamente para compra de vacinas contra a Covid-19. Entretanto, ainda não é possível afirmar qual será o alcance da vacinação entre os paranaenses, segundo o diretor geral da Secretaria de Estado da Saúde, Nestor Werner Junior. "Primeiramente, vai depender dos registros de vacina que serão aprovados, isso irá determinar muita coisa. Não tem como fazer um planejamento em cima de dados que ainda não são concretos", afirma.

Como ainda não há nenhuma vacina aprovada no Brasil, Nestor diz que não é possível sequer avaliar as características de cada uma. "As vacinas são diferentes e implicam em soluções diferentes. Algumas podem implicar em uma cadeia logística complexa, que faria com que o ministério não as incorporasse de maneira robusta e não tenha doses suficientes para determinada cobertura. Existem 'N' questões a serem respondidas antes de podermos fazer qualquer afirmação mais assertiva", sustenta o diretor.

Segundo ele, o planejamento da Secretaria de Saúde será feito de acordo com o Programa Nacional de Imunização, definido pelo governo federal. O plano preliminar, apresentado na terça-feira, prevê quatro etapas de imunização abrangendo 109,5 milhões de pessoas. "O que esperamos é ter vacinas de mais de um produtor e que a vacinação seja feita primeiramente em grupos prioritários: profissionais de saúde, idosos pessoas com comorbidades. Mas são decisões que serão tomadas em conjunto com todos os atores", conclui Nestor.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • O

    Osvaldo Colarusso

    ± 0 minutos

    Disse nada. Manchete pífia

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso