Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Lista de dicas para aproveitar o ar livre na cidade.
| Foto: Divulgação

Curitiba é uma capital reconhecida pela área verde. Ao todo são mais de 400 praças e 33 parques e bosques da rede municipal, além de espaços públicos de iniciativa privada ou dos próprios moradores da cidade. Nessa dimensão, alguns lugares ficam escondidos entre os cartões postais de visita à Curitiba, mas se destacam pelos detalhes e iniciativas inovadoras. Separamos cinco espaços ao ar livre que são pouco conhecidos pelos curitibanos, mas cada um com particularidades que encantam e valem a visita.

Jardim secreto

Jardim secreto oferece espaço ao ar livre.
| Divulgação

A pandemia do Coronavírus não deixou apenas más consequências na cidade. Logo que as restrições começaram, em março, muitas pessoas passaram a olhar mais para suas casas e vizinhança. Foi assim que cinco vizinhos uniram esforços no bairro Vista Alegre para transformar um espaço ocioso de vegetação em um jardim colaborativo, que nomearam Jardim Secreto.

O vizinho que tem uma loja de molduras, levou algumas para o jardim, outra que trabalha com tintas, pintou as molduras. A moradora que gosta de plantas levou espécies frutíferas, flores e folhagens. Outro, habilidoso com as palavras, escreveu mensagens inspiradoras em plaquinhas coloridas. O vizinho que tem prática com atividades manuais, ergueu um pergolado de madeira e pendurou balanços nas árvores. “Cada vizinho pegou sua criatividade e colocou ali”, destaca uma das idealizadoras, Cris Sikorski. De materiais reutilizados e ações coletivas, se faz o Jardim Secreto, com espaços para sentar, gelateca colaborativa e pequenos detalhes que tornam o lugar especial para visita. Fica na Rua Arthur Leinig, e é aberto aos sábados e domingos, das 15h às 18h.

Instagram: @jardimsecretoctba

Chafic Curi Boulevard

Espaço de convivência estimula exposição ao ar livre.
| Divulgação

Na mesma vizinhança, há uma quadra do Jardim Secreto, a Rua Dep. Chafic Curi se tornou a enfeitada e inspiradora Chafic Curi Boulevard. Um episódio de assalto na rua, em 2016, levou à união dos moradores, que transformaram a rua de quadra única não apenas em um espaço de convivência, mas de atração na cidade. O trecho é decorado com floreiras, jardins, trabalhos artesanais, frases inspiradoras, balanços para sentar e gelateca colaborativa.

Instagram: @chafic.curi.boulevard

Santuário Schoenstatt

Santuário ao ar livre.
Santuário Tabor Magnificat – Santuário Mariano de Schoenstatt| Jonathan Campos/ Arquivo/ Gazeta do Povo

Apesar de existir há 35 anos e receber visitantes todos os dias, o Santuário de Schoenstatt Tabor Magnificat, localizado no Campo Comprido, não é tão conhecido entre os curitibanos. A congregação faz parte do Movimento Apostólico de Schoenstatt, pertencente à Igreja Católica Apostólica Romana, fundado em 1914, em Schoenstatt, na Alemanha. A capela é uma das 23 que existem no Brasil, todas iguais à original alemã. No entorno do santuário, o visitante encontra um bosque composto de araucárias e espécies de flores como azaléias, beijinhos e cravos. É aberto todos os dias das 7h30 às 18h30, na Rua Padre José Kentenich, 550. As missas presenciais têm acontecido com o limite de 90 pessoas, de segunda a sexta-feira, às 17h; sábados às 16h; e domingo às 8h30 e 16h.

Instagram: @santuariodeschoenstattcuritiba

Jardim PINAH

Jardim Pinah faz parte do edifício Pinah.
| Divulgação

Inaugurado em outubro, o Jardim PINAH, é um espaço verde ao ar livre de mais de 3 mil m² em área urbana, na Alameda Presidente Taunay com a Rua Saldanha Marinho, próximo à Praça da Espanha. Mantido pela Construtora Laguna, o jardim foi projetado para oferecer um ambiente natural e público à cidade onde, no próximo ano, será construído o edifício PINAH, da construtora. “É um espaço ao ar livre, ambiente cada vez mais procurado no meio urbano. Bem localizado, onde as pessoas podem ter um respiro em meio a esse agito da cidade, ter um contato com a natureza”, destaca o diretor de incorporação da Laguna, André Marin.

O Jardim foi projetado pelo paisagista Felipe Reichmann, e além da vegetação nativa do terreno, onde estão presentes treze araucárias, o espaço também contempla comedouro para pássaros, parquinho para crianças, área para pet e viveiro de mudas, onde é possível pegar mudas de temperos regularmente repostas pela construtora. No gramado, é permitido estender toalhas, fazer piqueniques e estão sendo planejados eventos como aulas de yoga ao ar livre. A visitação é aberta todos os dias, das 9h às 18h30. O espaço é cercado e monitorado por câmeras.

Bosque de Portugal

Bosque de Portugal, em Curitiba.
Imagem ilustrativa.| Daniel Castellano/SMCS

Outra opção de lazer ao ar livre em Curitiba é o Bosque de Portugal, inaugurado em 1994 em visita do presidente português à época, Mário Soares, para homenagear a colonização e herança cultural portuguesa no Brasil. A principal atração do parque é um caminho de pedras chamado Alameda dos Cantares, onde há 20 pilares com réplicas de azulejos tipicamente portugueses, nos quais está inscrito versos de importantes poetas luso-brasileiros, como Fernando Pessoa, Luiz de Camões, Antero de Quental, Carlos Drummond de Andrade, Gonçalves Dias, Sá Carneiro, Florbela Espanca, Manuel Bandeira, Cecília Meirelles, Daniel Castellano/SMCS Olavo Bilac, Sophia de Mello Breynner e Mário de Andrade.

São mais de 20m² de mata nativa, onde é possível apreciar aves como saracura, sabiá, tico-tico, corruíra e espécies da flora como araucárias, pitangueiras, aroeiras e ipês. O espaço também é composto de pista de corrida e abriga o Memorial da Língua Portuguesa. O portal de acesso ao Bosque fica na Rua Fagundes Varella com a Rua Osório Duque Estrada, no Jardim Social, onde foi construído um painel decorativo com desenhos de ondas e uma caravela, que fazem alusão às grandes navegações portuguesas. Abre todos os dias da semana, das 7h às 21h.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]