Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Cinco marcas de cerâmica artesanal de Curitiba que vale a pena conhecer
| Foto: Divulgação

A cerâmica tem sido cada vez mais procurada por consumidores que estão em busca de produtos únicos. As peças fabricadas por artesãos unem utilidade e design exclusivo em xícaras, copos e pratos e até mesmo jóias. Pensando nisso, a Pinó selecionou cinco marcas de cerâmica artesanal em Curitiba para você poder conhecer. Confira:

Esmo

Cerâmica
A loja da Esmo fica na Rua Prudente de Morais e nasceu do hobby da empresária Bruna Vuelma Dala Rosa. | Divulgação

Foi tornando o hobby em profissão que Bruna Vuelma Dala Rosa saiu da atividade corporativa para investir na Esmo, marca autoral de cerâmica artesanal em Curitiba concentrada em utilitários para a casa. Assim, o acervo conta com xícaras, copos, pratos e cumbucas, das mais variadas cores e formatos.

“Nossa vontade é que as pessoas usem cerâmica no dia a dia, porque traz muito aconchego e tem toda a energia da pessoa que produziu”, destaca Bruna.

A princípio, os produtos eram vendidos somente online ou sob encomenda, mas os negócios foram ganhando proporção. Atualmente, a Esmo conta com uma loja na Prudente de Moraes e uma produção em larga escala dos produtos. Além da cerâmica, velas naturais de cera de coco e soja também são vendidas. Tudo para garantir uma experiência única ao tomar um café servido nas xícaras de design autoral, por exemplo. As peças custam de R$ 30 a R$ 280.

Martii Cerâmica

Cerâmica
A arquiteta Marcia Campetti se inspirou nos corais de uma ilha italiana para produzir as jóias em cerâmica da Martii. | Reprodução

Anéis, pulseiras, braceletes, brincos e colares… de cerâmica! Essas são algumas peças que o ateliê da Martii Cerâmica produz. Os produtos da loja, localizada no Bairro Mercês, ornamentam as mãos e pescoços das curitibanas.

A marca surgiu como uma mistura de tudo o que aconteceu na vida de sua fundadora, a arquiteta Marcia Campetti. Durante os 25 anos em que trabalhou na área de interiores, Marcia encontrou na cerâmica uma terapia para lidar com sua ansiedade. Foi em uma viagem à Sardenha, ilha italiana no Mar Mediterrâneo, que surgiu a ideia de começar o projeto. Ao descobrir as formas dos corais extraídos na região, a arquiteta se inspirou e decidiu criar jóias de cerâmica.

Por outro lado, cada peça é única e produzida manualmente, pois não utiliza formas padronizadas.  A última coleção lançada foi a 50 tons de verde, que foca nas dezenas de tonalidades da cor da esperança e vitalidade, além da natureza e do dinheiro. As peças variam entre R$ 159 e R$ 289.

Arquitetura da mesa

Cerâmica
Os resíduos das cerâmicas autorais da Arquitetura da Mesa são todos reciclados e reutilizados. | Divulgação

Há sete anos a arquiteta Dani Costa decidiu unir suas duas paixões, a cerâmica e o design. Assim, surgiu a Arquitetura da Mesa, ateliê de cerâmica artesanal em Curitiba dedicado à produção de peças utilitárias para servir a mesa.

Além de produtos para a casa e para o dia a dia, a marca atende chefs de cozinha, restaurantes, bem como de cafés na confecção de enxovais e peças específicas para menus. Com inspiração em geometria, arquitetura e natureza, o ateliê não deixa de lado a responsabilidade ambiental com os resíduos gerados na produção, eles são reciclados e reutilizados.

A produção das peças preza pela funcionalidade, bem como pela resistência em fornos, microondas e máquinas de lavar louça. Os valores variam desde R$ 25, para uma pequena cumbuca para shoyu, R$ 410, para um vaso para flores de corte, até R$ 2.160, para jogos de jantar e conjuntos maiores.

Estúdio Boitatá

Cerâmica
O Estúdio Boitatá surgiu da vontade de uma jornalista e um fotógrafo mergulhar no universo da cerâmica artesanal. | Divulgação

Ancestral, artesanal e contemporâneo, assim se caracteriza o Estúdio Boitatá. O projeto surgiu do casal Rodrigo Ramirez e Daniélle Carazzai, que trocaram a vida na cidade grande e suas profissões de fotógrafo e jornalista para se dedicar à cerâmica.

Localizado na área rural de Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, a proposta do estúdio é resgatar o fazer manual e ancestral, unindo-os à contemporaneidade, além de significado e afeto em cada criação. Entre os produtos estão vasos, copos, pratos, incensários, esculturas, suportes de talheres, bem como jogos.

Os valores variam entre R$ 65 – para o copo unitário de café ou chá com design que facilita a “pega” e mantém as mãos aquecidas nos dias mais frios – e R$ 720 para as esculturas. Além disso, o estúdio aceita encomendas e compras pelo site, além do agendamento de visitas ao ateliê.

Dozō Cerâmicas

Cerâmica
Além das peças exclusivas, a Dozō conta com cursos de cerâmica com ênfase em modelagem manual. | Divulgação

O propósito da Dozō Cerâmicas é criar peças minimalistas, unindo sustentabilidade com design exclusivo. Quem está à frente do projeto, criado em 2019, é a fotógrafa e ceramista Franciele Cochenski, que soma cursos no museu Alfredo Andersen e na Escola de Cerâmica de La Bisbal, Espanha.

A maior parte das peças produzidas por Cochenski são voltadas à cozinha, como pratos e copos, além de coadores de café e canecas. Os valores variam entre R$ 50 e R$ 250 cada, e as peças estão disponíveis via encomendas pelo Instagram.

Além disso, para quem deseja aprender a produzir em cerâmica, seja por hobbie ou para seguir o ofício, a Dozō também oferece cursos de cerâmica com ênfase em modelagem manual.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]