i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
tarifa de água

“Antecipar reajuste seria bom para os consumidores”, diz presidente da Sanepar

Empresa estuda diminuir o período para aplicação do aumento de 25,63% definido em 2017. Segundo Claudio Stabile, quanto mais o reajuste demora, “mais caro fica para os consumidores”

  • PorGiulia Fontes e Cristina Seciuk
  • 05/02/2019 15:57
Presidente da Sanepar participou do Paraná Day nesta terça-feira (5) | Assessoria de Comunicação/Sanepar
Presidente da Sanepar participou do Paraná Day nesta terça-feira (5)| Foto: Assessoria de Comunicação/Sanepar

Em evento realizado com investidores nesta terça-feira (5), o presidente da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), Claudio Stabile, falou a respeito da possibilidade de antecipar o aumento escalonado na tarifa de água. Segundo ele, a empresa estuda uma proposta em que o reajuste de 25,63%, definido pela Agência Reguladora do Paraná (Agepar) em 2017, seja aplicado completamente em dois ou três anos – e não até 2025, como inicialmente estabelecido.

Na visão dele, a antecipação do aumento seria benéfica também para os consumidores. “Quanto mais tempo você posterga essa dívida, mais cara ela fica – e quem vai pagar essa conta é a população. Queremos agir de forma que os consumidores sejam menos penalizados pelo que não foi feito no passado”, disse Stabile, em entrevista, referindo-se ao período em que a conta de água ficou congelada.

Apesar de admitir a possibilidade de mudar o período estabelecido para o reajuste, o presidente da Sanepar afirmou que não há qualquer definição em relação ao assunto. Segundo ele, a proposta deve ser apresentada à Agepar em março. Depois, em abril, deve ser divulgado o valor do reajuste deste ano para que, em maio, os novos valores comecem a ser praticados.

Valorização das ações

A declaração concedida aos jornalistas foi uma resposta a informações que circularam no mercado financeiro na última sexta-feira (1). O rumor de que o período para a aplicação do reajuste sofreria modificação provocou aumento de 4,72% nas ações da Sanepar. Na visão dos investidores, a medida seria benéfica porque haveria antecipação no fluxo de caixa da companhia.

Ainda na semana passada, porém, o governador Ratinho Junior e a própria Sanepar desmentiram a existência de qualquer acordo com a Agepar nesse sentido. “Eu não sei qual foi o motivo da especulação. Não houve a divulgação oficial de qualquer posição diferente em relação a isso”, afirmou Stabile.

Ele negou, ainda, a existência de planos para a privatização da companhia. “A Sanepar já tem uma mescla de capital. Não consigo enxergar outro modelo”, disse. Além de Stabile, também participaram do chamado Paraná Day o governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) e os presidentes de outras companhias do estado.

LEIA TAMBÉM: Ratinho Junior sanciona nova lei para Parcerias Público-Privadas no Paraná

Relembre o motivo do reajuste

O aumento de 25,63%, escalonado em oito anos, foi definido pela Agepar em 2017. A justificativa para o reajuste é a defasagem provocada pelo congelamento da tarifa de água, realizado entre 2005 e 2010. À época, durante a gestão de Roberto Requião (MDB), o argumento era de que o congelamento beneficiava os consumidores, especialmente os de renda mais baixa.

Segundo a Sanepar, porém, continuar sem reajustar a tarifa prejudicaria o plano de universalização do saneamento, incluindo a possibilidade de que a empresa ficasse inadimplente nos contratos com as prefeituras.

LEIA MAIS: Irmão de ex-governadora vira réu em denúncia derivada da Quadro Negro

Por isso, já a partir do primeiro ano da gestão de Beto Richa (PSDB), os valores da conta de água começaram a subir, sempre acima da inflação. Em 2017, a Gazeta do Povo levantou que, em um período de seis anos, o aumento foi de 123,96% – bem acima da inflação do período, que ficou em 47,49%, e também do que corresponderia ao IPCA dos anos em que a tarifa ficou congelada (100,12%). Em 2018, novo reajuste foi aplicado, de 5,12%.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.