i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Quadro Negro

Delator afirma que Rossoni recebeu R$ 460 mil em propina dentro da Assembleia

Eduardo Lopes de Souza, dono da Construtora Valor, fechou delação premiada com a PGR e detalhou como funcionava o esquema que fraudou a construção de escolas no Paraná

  • PorKatia Brembatti
  • 01/09/2017 13:18
Valdir Rossoni, o atual secretário-chefe da Casa Civil do Paraná | Jonathan Campos/Gazeta do Povo/Arquivo
Valdir Rossoni, o atual secretário-chefe da Casa Civil do Paraná| Foto: Jonathan Campos/Gazeta do Povo/Arquivo

A delação premiada do dono da Construtora Valor, Eduardo Lopes de Souza, afirma que o atual secretário-chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni (PSDB), recebeu dinheiro dentro Assembleia Legislativa do Paraná, quando era deputado estadual, como forma de compensação por contratos fraudulentos de construção de escolas. As informações estão nos documentos da Operação Quadro Negro, aos quais G1 e RPC tiveram acesso. De acordo com o empresário, Rossoni recebeu cerca de R$ 460 mil. A delação ainda precisa ser homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), porque as denúncias atingem pessoas com foro privilegiado, como o próprio Rossoni, que é deputado federal licenciado.

“Quando ele me via, me chamava no canto e falava ‘E aí, Eduardo, tem coisa boa para mim hoje?’, esfregando as mãos”, disse Souza, no processo de colaboração com o Ministério Público Federal (MPF). Em depoimento, o empresário disse que foi Rossoni quem o apresentou ao diretor da Superintendência de Desenvolvimento da Educação (Sude) , Maurício Fanini, responsável por fiscalizar o andamento das construções contratadas junto à Valor. Souza também destacou que as primeiras licitações vencidas pela Valor foram em 2011, em Bituruna, no Sul do Paraná. A cidade é o reduto eleitoral de Rossoni.

LEIA MAIS:Delator confirma que dinheiro desviado de escolas abasteceu campanha de Richa

Segundo o delator, os primeiros contatos já teriam estabelecido que 10% de todas as licitações deveriam ser repassados ao então deputado. Ainda de acordo com Souza, quem intermediava a entrega do dinheiro era um assessor de Rossoni. O empresário declarou também que os pagamentos da propina eram feitos dentro da Assembleia Legislativa. Ele disse que subia até Presidência e entregava o dinheiro, que era contado pelo servidor, quase todas as semanas.

“Quando ele [Rossoni] me via, me chamava no canto e falava ‘E aí, Eduardo, tem coisa boa para mim hoje?’, esfregando as mãos”

Delação do dono da Construtora Valor, Eduardo Lopes de Souza

Eduardo Lopes de Souza é um dos denunciados no principal processo derivado da Quadro Negro e estava em prisão domiciliar até o mês passado, quando foi liberado pela Justiça para se mudar para Cuiabá, no Mato Grosso.

Outro lado

Em nota, Rossoni negou mais uma vez que tenha havido qualquer irregularidade nas obras de Bituruna, que, segundo ele, “foram concluídas e estão lá para quem quiser fiscalizar”. Defendendo que não deve prevalecer a “palavra de um bandido”, o tucano voltou a dizer que renuncia ao cargo público que ocupa se houver alguma prova contra ele.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]
  • Tudo sobre:

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.