Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

Luto

Desembargador Carlos Eduardo Espínola morre aos 70 anos

Corpo do magistrado foi encontrado por volta das 14 horas deste domingo (18), em Curitiba

  • Da Redação
  • Atualizado em às
Fachada do TJ: luto oficial de três dias. | Daniel Castellano/Gazeta do Povo/ Arquivo
Fachada do TJ: luto oficial de três dias. Daniel Castellano/Gazeta do Povo/ Arquivo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O desembargador Carlos Eduardo Andersen Espínola, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), morreu no domingo (18), aos 70 anos. O corpo foi encontrado por volta das 14 horas, em seu apartamento no bairro Alto da Glória, em Curitiba.

Segundo informações do site do TJ-PR, Espínola foi nomeado desembargador em agosto de 2012, pelo critério de antiguidade. Ele ingressou na magistratura em 1986, como juiz substituto da comarca de Paranavaí. Em 1988, foi nomeado juiz de direito, função que exerceu em Salto do Lontra, Paranacity, Paranavaí e Curitiba.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/03/19/Parana/Imagens/Cortadas/desembargador-ksGB-U203161997910rFE-1024x769@GP-Web.jpg
Divulgação/TJ-PR

Bacharel pela Faculdade de Direito de Curitiba (turma de 1972), Espínola foi aluno da primeira turma da Escola de Magistratura do Paraná.

O corpo do desembargador está sendo velado na capela do Tribunal de Justiça do Paraná, no Centro Cívico, e será sepultado às 17 horas desta segunda-feira (19), no Cemitério Municipal (São Francisco de Paula).

Expediente suspenso

O presidente do TJ, Renato Braga Bettega, decretou luto oficial de três dias e a suspensão do expediente nesta segunda-feira (19) no Segundo Grau de Jurisdição e na Secretaria do Tribunal.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE