i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
curitiba

Barros diz que deixa ministério em abril e que atual governo vai apoiar Cida

Ministro da Saúde aproveitou que estava em Curitiba e participou de solenidade que marcou o repasse de R$ 20,1 milhões a Secretaria Municipal de Saúde e a hospitais

  • PorFelippe Aníbal
  • 02/01/2018 18:24
Barros com o vice-prefeito Eduardo Pimentel e a  vice-governadora, Cida Borghetti. | Valdecir Galor/Prefeitura de  Curitiba
Barros com o vice-prefeito Eduardo Pimentel e a vice-governadora, Cida Borghetti.| Foto: Valdecir Galor/Prefeitura de Curitiba

O ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), confirmou que sua esposa, a vice-governadora Cida Borghetti (PP), será candidata ao governo do Paraná - e deu a entender que todo o grupo que dá apoio hoje a Beto Richa (PSDB) pode estar ao lado dela na campanha. Hoje, o grupo político de Richa parece rachado entre Cida e Ratinho Jr. (PSD).

Deputado federal licenciado, Barros deve deixar o ministério para tentar se reeleger na Câmara. O casal deve manter a aliança com o atual governador, Beto Richa (PSDB), apoiando sua candidatura ao Senado. A declaração do ministro ocorreu em solenidade realizada nesta terça-feira (2), que marcou o repasse de R$ 20,1 milhões à Secretaria de Saúde de Curitiba e a hospitais filantrópicos da capital paranaense.

“Eu saio do ministério em abril, para concorrer à reeleição de deputado federal e para apoiar a candidatura da vice-governadora Cida Borghetti, que assumirá o governo e concorrerá à reeleição. E o nosso governador Beto Richa vai ao Senado. De todos os aliados que estão hoje no governo, eu tenho certeza de que todos nos acompanharão”, disse o ministro.

Barros havia passado o réveillon em Curitiba com a família e aproveitou para participar do evento. A solenidade lotou o amplo Salão Brasil – em frente ao gabinete do prefeito – e reuniu uma vastidão de políticos de todas esferas, entre vereadores, deputados estaduais e deputados federais, além de secretários e seus respectivos séquitos.

Leia mais: Beto Richa cumpriu só 16 de 76 promessas de campanha, diz site

A cerimônia ganhou cara de campanha antecipada. Na mesa de honra, além de Barros, estavam Cida Borghetti e a filha do casal, a deputada Maria Victoria (PP). Em seu discurso, o ministro assegurou que Cida “será a primeira governadora do Paraná”. A vice-governadora, por sua vez, classificou Barros como “ministro do Paraná” e disse que ele “muito nos orgulha e nos tem honrado”. Além disso, ela destacou o “tripé” formado por Curitiba, governo do Paraná e governo federal. “Com esse tripé, não tem como dar errado”, destacou.

O clima cordial também se estendeu para o prefeito em exercício, Eduardo Pimentel (PSDB), que substitui Rafael Greca (PMN), em viagem. O deputado estadual Stephanes Jr. (PSB) rasgou elogios ao jovem político, cravando que Pimentel hoje é “prefeito em exercício, mas que um dia vai ser prefeito eleito”. Entre os que compunham a mesa, também estavam o presidente da Câmara de Curitiba, Serginho do Posto (PSDB), o deputado estadual Rubens Recalcatti (PSD), e o deputado federal Hidekazu Takayama (PSC), líder da bancada evangélica na Câmara Federal.

R$ 20,1 milhões

Dos R$ 20,1 milhões destinados a Curitiba, R$ 10 milhões vão para a Secretaria Municipal de Saúde; R$ 9 miihões, para dez hospitais filantrópicos que atendem via Serviço Único de Saúde (SUS); e R$ 612 mil para o Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS) II, do Portão. Os recursos haviam sido anunciados no dia 30 de dezembro de 2017 e são a “raspa do tacho” – como definiu o ministro: ou seja, são provenientes de emendas parlamentares, elaboradas para redirecionar dinheiro que estava travado por problemas burocráticos.

“Tudo isso é a raspa do tacho, com os recursos que a gente conseguiu, de última hora, alocar de projetos que, por algum motivo, não foi possível empenhar por falta de documentação”, explicou.

Os R$ 10 milhões da Secretaria de Saúde serão empregados, prioritariamente, em serviços de alta e média complexidade, como UTI, semi-UTI e serviço de transporte de passageiros em estado grave. “Esse dinheiro está indo para Secretaria de Saúde, que fará o detalhamento técnico de cada investimento”, disse Pimentel. “Um recurso deste tamanho no primeiro dia de governo sempre ameniza. No ano passado, investimos R$ 1,7 bilhão, mas a saúde requer investimentos constantes”, completou.

Já os hospitais filantrópicos vão receber recursos de acordo com a sua capacidade operacional, variando de R$ 500 mil a R$ 2 milhões. Entre as entidades contempladas com recursos, estão os hospitais Pequeno Príncipe, Erasto Gaertner, Cajuru e Evangélico. Segundo o superintendente Sezifredo Paes, juntos, os dez hospitais respondem por 50% dos atendimentos feitos via SUS em Curitiba.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.