i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Nova gestão

Cida e Ratinho planejam transição e devem se aliar na Assembleia Legislativa

Pautas entre a atual governadora e o eleito serão discutidas nesta quarta-feira (17) em reunião reservada no Palácio Iguaçu

  • PorEriksson Denk, especial para a Gazeta do Povo
  • 16/10/2018 11:45
Cida com seu secretariado nesta terça-feira (16). | Eriksson Denk/Gazeta do Povo
Cida com seu secretariado nesta terça-feira (16).| Foto: Eriksson Denk/Gazeta do Povo

A governadora do Paraná, Cida Borghetti (PP), se reuniu pela primeira vez com o secretariado depois da derrota nas eleições gerais de 2018. No encontro, nesta terça-feira (16), no Palácio Iguaçu, ela fez um balanço da gestão iniciada em abril e pediu aos secretários e diretores das empresas públicas que a transição para Ratinho Jr. (PSD), que inicia seu mandato em 2019, seja natural.

O governo também estabeleceu uma agenda de obras para serem entregues até o fim da gestão e prioridade na aprovação de medidas fiscais para ajudar empresas endividadas – o projeto já está na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

Cida e Ratinho se encontrarão nesta quarta-feira (17) a portas fechadas no Palácio Iguaçu, a partir das 10h. Os dois devem apresentar propostas para serem aprovadas ainda neste ano na Alep, com apoios simultâneos das duas bases – somadas, as bancadas representam a maioria esmagadora dos deputados estaduais.

SAIBA MAIS: Justiça suspende desapropriação de áreas para Faixa de Infraestrutura

Quais serão as prioridades

De acordo com o secretário estadual de Desenvolvimento Urbano, Silvio Barros, as prioridades por parte de Cida serão os projetos econômicos. As ideias concretas de Ratinho serão conhecidas nesta quarta (17). Um eventual reajuste para os servidores do Executivo, nos mesmos moldes do concedido a funcionários do Legislativo, Judiciário e Ministério Público, ainda não foi colocado em pauta.

“As leis que pretendemos aprovar se referem a consolidação e convalidação dos incentivos fiscais. O Confaz [Conselho Nacional de Política Fazendária] estabeleceu uma data limite, 28 de dezembro, então a consolidação precisa ser aprovada até lá. Como a lei do Refis (refinanciamento de dívidas), importante para os nossos empresários dentro do contexto econômico do Paraná”, afirmou Silvio Barros.

“Já o governador eleito vai apresentar as suas propostas para adequar aquilo que prometeu na campanha à realidade do estado e precisará da nossa base na Assembleia”, completou.

SAIBA MAIS: Governo federal lista as piores rodovias federais do Paraná e diz quais receberão obras

Foco no governo de Cida

De acordo com o secretário, a reunião desta terça (16) teve como foco a herança do governo Cida. “Comunicamos a todos os secretários que o legado precisa ser entregue, tudo aquilo que foi proposto por ela. São muitas obras já assinadas e ela faz questão absoluta de entregar até o final do ano. Nós definimos uma pauta positiva, tem muita coisa para fazer e a velocidade de ação do governo não pode diminuir nessa reta final”, ponderou Silvio Barros.

As secretarias também vão se responsabilizar por produzir relatórios sobre projetos que estão em andamento para que as novas equipes possam avaliar a continuidade ou não das propostas. “Segregamos o que está em andamento, que são de interesse do Estado, para que o novo governo tenha um arcabouço completo de informações para avaliar as prioridades do Paraná”, completou.

SAIBA MAIS: Insistir em questionar tarifa de pedágio pode causar prejuízo milionário ao Paraná

Intervenção nos pedágios continua

Silvio Barros também afirmou que o governo deve manter o decreto de intervenção nas concessionárias de pedágio até o final da gestão. “Nós estamos fundamentados em aspectos legais, é uma intervenção de fiscalização e acompanhamento, não há motivos para que seja interrompido. Não estamos interferindo na gestão das empresas, estamos fiscalizando o que é de interesse do povo do Paraná”, afirmou.

Questionado pela Gazeta do Povo sobre a eficácia da intervenção, Barros disse que os coronéis interventores começaram a encaminhar para a Agepar (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná) os primeiros relatórios, que serão discutidos em reunião interna ainda nesta terça-feira.

O decreto de intervenção foi assinado poucos dias antes das eleições no bojo das investigações da Operação Integração II, do Ministério Público Federal, que revelaram esquemas de fraudes e corrupção desde o final do século passado no Anel de Integração. A investigação aponta um conluio entre a cúpula da gestão Beto Richa (PSDB), servidores públicos e concessionárias. Os citados negaram irregularidades.

Além do decreto, o governo acionou a Justiça para reduzir as tarifas praticadas em cerca de 50%. O juiz Friedmann Anderson Wendpap, da 1ª Vara Federal de Curitiba, negou o pedido. O magistrado considerou que as denúncias sobre irregularidades no sistema de cobrança são graves, mas estão sendo avaliadas em outros processos judiciais, e que a administração estadual não conseguiu apresentar critérios técnicos para embasar a redução imediata.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.