Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

litoral do paraná

Governo anuncia nesta semana empresa que fará projeto da Ponte de Guaratuba

ECR, de São Paulo, e Engemin, de Pinhais, disputam direito de elaborar estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental da obra, num prazo de nove meses

  • Da redação
Hoje, ligação entre Guaratuba e Caiobá, em Matinhos, é feita por meio de um ferryboat. | Arquivo/Gazeta do Povo
Hoje, ligação entre Guaratuba e Caiobá, em Matinhos, é feita por meio de um ferryboat. Arquivo/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O governo do Paraná pretende anunciar até o fim desta semana a empresa que fará o estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental da construção de uma ponte ligando Guaratuba a Caiobá, em Matinhos, no litoral do Paraná. Nesta segunda-feira (12), foram conhecidos os preços ofertados pelas duas participantes da licitação, que serão combinados com a nota técnica atribuída a cada uma delas. Só então será definido quem será a responsável pelo projeto da obra.

Para substituir a ligação hoje feita pelo ferryboat, o governo Beto Richa (PSDB) se dispôs a pagar até R$ 919,9 mil por uma proposta que sugira alternativas de engenharia e considerem as consequências econômicas e também ambientais da obra. A ECR, de São Paulo, propôs R$ 689,8 mil, enquanto a Engemin, de Pinhais, apresentou o valor de R$ 832,8 mil.

Agora, será feito um cálculo levando em conta também a nota técnica recebida pelas duas empresas, que avaliou a experiência de cada uma e a capacitação dos seus profissionais. A Engemin obteve 99,2 pontos e a ECR, 92,6, conforme análise do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR).

A aprovação do projeto, porém, não garante a realização da obra, que ainda não tem qualquer previsão para ser executada. Quem vencer a licitação entregará um estudo, feito ao longo de nove meses, sugerindo alternativas de engenharia para a construção, considerando vários cenários econômicos (custo x benefício) e ambientais.

O edital prevê uma ponte com aproximadamente 800 metros de extensão e seus acessos, estimados em 2 mil metros.

Pedido de anos

A discussão sobre a possibilidade de construir a Ponte de Guaratuba já se arrasta há mais de cinco décadas. Um dos principais empecilhos para a obra – além da discussão sobre os impactos ambientais – é o custo do projeto em relação ao fluxo de veículos, concentrado nos meses de temporada de verão. O edital da licitação considera a hipótese de concessão da ponte, ou seja, que a obra seja feita por uma empresa que ganhe o direito de cobrar pedágio.

O projeto pode também ser uma parceria público-privada (PPP). É que, se a ponte ficar muito cara e a quantidade de pagantes for pequena, o governo pode custear parte das despesas para que a tarifa não fique muito pesada.

Durante o verão, 430 mil veículos utilizam o ferryboat para a travessia, com tarifas entre R$ 3,50 (moto) e R$ 48,30 (caminhão com reboque). O percurso rodoviário é pela Serra do Mar, descendo pela BR-376 e depois pela BR-101, o que inclui entrar em Santa Catarina, na altura de Garuva, e depois retornar ao Paraná.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Política

PUBLICIDADE