232612

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Política
  3. Paraná
  4. Paraná ganha três novos colégios da Polícia Militar

educação

Paraná ganha três novos colégios da Polícia Militar

Unidades serão abertas no interior, aproveitando a estrutura de escolas estaduais já existentes. No total, serão cinco colégios geridos pela PM no estado

  • Giulia Fontes, com informações de Felippe Aníbal
Curitiba e Londrina  têm  colégios da PM. | Arnaldo Alves/ANPR
Curitiba e Londrina têm colégios da PM. Arnaldo Alves/ANPR
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A governadora Cida Borghetti (PP) assinou, no dia 15 de outubro, um decreto que cria três novos colégios da Polícia Militar (PM) no Paraná. As novas unidades serão abertas em 2019 em Cascavel, Cornélio Procópio e Maringá, aproveitando as instalações de colégios estaduais existentes. No total, serão 1.445 vagas nas três escolas. Atualmente há dois colégios da PM em atividade: um em Curitiba e outro em Londrina.

LEIA MAIS: 6 lições que podemos aprender com as escolas militares

De acordo com o governo do estado, os estudantes que já frequentavam o Colégio Estadual Alberto Carazzai, em Cornélio Procópio, e o Colégio Estadual João XXIII, em Maringá – unidades que serão transformadas em colégios da PM – poderão continuar nas escolas, se quiserem. Nesses dois casos, não será realizado processo seletivo para novas matrículas. Novos alunos serão aceitos conforme a capacidade.

Já no Centro Nacional de Treinamento em Atletismo, em Cascavel, serão realizadas reformas e adaptações para a instalação do novo colégio. Em 2019, a previsão do governo é de que, na unidade de Cascavel, sejam abertas 60 vagas para o Ensino Fundamental e mais 60 para o Ensino Médio. Depois, a ideia é aumentar as vagas gradativamente. O processo seletivo ainda está sendo formulado pelo governo estadual.

RESULTADOS: Ordem em meio ao caos: escolas militares ganham espaço com bons resultados

Mudanças de gestão

Como passarão a ser colégios da PM, as escolas estaduais sofrerão algumas mudanças. Os professores continuarão contratados pela rede estadual de ensino, mas o diretor das instituições passa a ser indicado pela Secretaria de Segurança Pública, e não eleito pela comunidade.

Além disso, o uso de uniforme será obrigatório para os alunos, que também terão que obedecer regras da formação militar. A proposta pedagógica continua a mesma, estabelecida pela Secretaria de Educação.

“Os colégios de Curitiba e Londrina são dois exemplos que estão dando certo. Por isso, decidimos ampliar a interiorização do ensino da PM para outras regiões”, disse Cida à Agência de Notícias do governo do Paraná. Em abril, o ex-governador Beto Richa (PSDB) inaugurou o segundo colégio da PM no estado, em Londrina.

QUADRO NEGRO: MP pede à Justiça que condene 14 pessoas por fraudes em obras de escolas

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O jornalismo da Gazeta depende do seu apoio.    

Por apenas R$ 0,99 no 1º mês você tem
  • Acesso ilimitado
  • Notificações das principais notícias
  • Newsletter com os fatos e análises
  • O melhor time de colunistas do Brasil
  • Vídeos, infográficos e podcasts.
Já é assinante? Clique aqui.
>