i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Crise financeira

Prefeitos da Região Metropolitana de Curitiba suspendem negociações salariais

Em carta conjunta, gestores municipais usam queda na receita para justificar suspensão de negociações

  • PorJoão Frey
  • 15/05/2017 11:06
Greca e prefeitos da RMC: estratégia conjunta para enfrentar a crise. | Jonathan Campos/Gazeta do Povo
Greca e prefeitos da RMC: estratégia conjunta para enfrentar a crise.| Foto: Jonathan Campos/Gazeta do Povo

Os prefeitos da Região Metropolitana de Curitiba anunciaram, nesta segunda-feira (15), a suspensão das negociações salariais com o funcionalismo. A ação conjunta marca o posicionamento das prefeituras frente à crise e dá mais força aos gestores municipais para enfrentar a resistência do funcionalismo.

Em carta conjunta assinada pelos integrantes da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec), os gestores municipais usam a queda nas receitas municipais, causada pela crise financeira, para justificar a decisão.

Greca retira dinheiro de projetos culturais para repassar à Saúde

Para alguns municípios o comunicado reforça a decisão de congelamento do reajuste dos servidores já esse ano – caso de Curitiba, por exemplo. Em outras cidades, que ainda estudam o congelamento do reajuste, a carta dá força para as negociações com o funcionalismo. O documento também tem efeitos sobre municípios que já concederam reajuste ao funcionalismo esse ano. Nesses casos, abre-se espaço para a suspensão das negociações para 2018 e tratativas sobre planos de cargos e salários.

“Os Prefeitos da Região Metropolitana de Curitiba, que assinam este manifesto, expressam o compromisso de retomar negociação de aumento e reposição salarial dos servidores públicos, tão logo as receitas públicas permitam, sempre dentro dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal”, diz o documento.

Apesar da manifestação conjunta, o presidente da Assomec, Márcio Wozniack (prefeito de Fazenda Rio Grande), afirma que a decisão sobre como serão feitas as negociações com os servidores fica a critério de cada um dos prefeitos.

“É particular do orçamento de cada município. O que a gente está aqui se unindo é em apoios a esses prefeitos, que baseado em seus orçamentos, têm que ser tomadas medidas necessárias para que não parem os serviços básicos de saúde e educação”, explica.

Cinco anos após cortes, Câmara ainda tem 60% mais comissionados que efetivos

Na quinta-feira (11), os prefeitos da RMC já davam sinais de que anunciariam medidas conjuntas para enfrentar a crise econômica. Durante a reunião dos prefeitos que integram a Assomec, o presidente do grupo propôs a elaboração de um documento único e um enfrentamento conjunto da crise. As queixas em relação à situação financeira, aos gastos com servidores ativos e inativos e à sobrecarga de responsabilidades das prefeituras têm ocupado boa parte das discussões entre os gestores da RMC.

Também como uma tentativa de enfrentar as dificuldades de caixa, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), convidou os prefeitos dos municípios vizinhos para participarem do fundo de pensão complementar. A que a prefeitura de Curitiba batalha para ver aprovado na Câmara Municipal.

Pela ideia de Greca, servidores municipais de cidades da RMC também recolheriam ao CuritibaPrev e, deste modo, o fundo teria melhores condições de negociação nos investimentos e o custo para administração seria menor, já que seria compartilhado por mais gente.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.