i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
fraude em licitações

Richa não nega amizade com investigado na Quadro Negro, mas cobra punição a culpados

Segundo MP-PR, ex-diretor da Secretaria de Educação se valia da relação próxima com o governador para conseguir benefícios na pasta

  • PorDa Redação
  • 07/08/2017 21:25
Processo do MP mostra fotos de Richa ao lado de Fanini em momentos de lazer. | Reprodução/MP-PR
Processo do MP mostra fotos de Richa ao lado de Fanini em momentos de lazer.| Foto: Reprodução/MP-PR

O governador Beto Richa (PSDB) comentou pela primeira vez sua relação com Mauricio Fanini, ex-diretor da Secretaria de Educação do Paraná, investigado pela Operação Quadro Negro por suposta fraude em licitações de escolas estaduais. Segundo o Ministério Público (MP-PR), o ex-diretor usava sua relação com o tucano para conseguir benefícios na secretaria. Fotografias anexadas ao processo comprovam o vínculo entre eles.

LEIA MAIS:Secretário de Richa indicou construtora envolvida na Quadro Negro, revela depoimento

Em evento nesta segunda-feira (7), Richa não negou a amizade com Fanini, mas adotou um tom crítico para falar da relação. “Só posso dizer que não tenho nenhum compromisso com o erro de ninguém, nem de eventuais pessoas próximas ou amigos meus. Quem deve, e for constatada a responsabilidade, tem que pagar”, afirmou, em entrevista divulgada pela RPCTV.

Na quarta-feira da semana passada (2), o MP apresentou à Justiça sete ações civis públicas, por atos de improbidade administrativa envolvendo o desvio nas obras de construção e reforma de escolas estaduais. Nas peças, o órgão pede bloqueio de bens e ressarcimento por danos morais, no valor de R$ 41 milhões, e cita a relação entre Richa e Fanini.

De acordo com o tucano, a investigação que, posteriormente resultou na Operação Quadro Negro, foi uma solicitação do governo dele, motivada por denúncias que chegaram até a administração estadual. “Quem iniciou a investigação foi o governo do estado, por minha determinação. Quando recebemos as primeiras denúncias de obras não realizadas e que estavam sendo pagas, encaminhamos a sindicância para a Secretaria de Educação”, defendeu.

O governador disse ainda que dessa apuração inicial teria resultado a operação do MP-PR e ressaltou que quer celeridade na investigação das denúncias. “Depois de constatado o volume de irregularidades, mandamos para a polícia do estado, para que fizesse as devidas investigações. Sou o maior interessado que isso seja investigado com profundidade, o mais rápido possível”, concluiu.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]
  • Tudo sobre:

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.