i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Pronunciamento

Richa nega desvios e chama delator de “criminoso contumaz”

Governador rebateu as acusações feitas por delator da Operação Quadro Negro: “Ele inventou uma historinha”

  • PorJoão Frey
  • 04/09/2017 11:51
Richa falou sobre as denúncias da Quadro Negro nesta segunda-feira (4) | Alexandre Mazzo/Gazeta do Povo
Richa falou sobre as denúncias da Quadro Negro nesta segunda-feira (4)| Foto: Alexandre Mazzo/Gazeta do Povo

O governador Beto Richa (PSDB) negou nesta segunda-feira (4) as acusações feitas pelo dono da construtora Valor, Eduardo Lopes de Souza, de que os recursos desviados de obras de escolas no Paraná teriam sido usados para abastecer suas campanhas políticas.

Em uma entrevista coletiva, o governador chamou Souza de “criminoso contumaz” e afirmou que vai mover um processo judicial contra o delator. “Nunca estive com ele, nunca pedi nada para ele, nunca autorizei ninguém que pedisse alguma coisa para ele”, afirmou o governador

LEIA MAIS: Saiba mais detalhes da Operação Quadro Negro

Richa negou todas as acusações feitas por Souza contra ele e também contra integrantes de seu governo. Para o governador, a delação é uma “narrativa fantasiosa”, já que o delator até agora não apresentou provas que sustentem as acusações. “Não trabalhamos com caixa 2”, defendeu-se o governador.

“Ele inventou uma historinha, uma narrativa envolvendo políticos do estado e o governador, que sou eu, para conseguir a liberdade. E conseguiu. Nesse primeiro momento ele se deu bem”, afirmou.

Ao lado da esposa, Fernanda Richa, o governador afirmou que vai responder judicialmente às acusações. “Ninguém vai mexer com a honra da minha família impunemente. Vou cobrar na Justiça os meus detratores”, afirmou. Na delação, o dono da construtora Valor afirmou que o dinheiro também beneficiaria a campanha do irmão do governador, Pepe Richa, e do filho, Marcello Richa.

Beto Richa ainda destacou a atuação de seu governo na apuração dos desvios de recursos no âmbito da Quadro Negro. Segundo ele, logo que seu gabinete foi informado de suspeitas de superfaturamento nas obras de um muro em uma escola estadual, determinou à Secretaria de Educação que fizesse uma sindicância para apurar o caso. Como foi constatado que os desvios eram maiores que o estimado inicialmente, o caso foi encaminhado para a Polícia Civil. O governador destacou que todos os envolvidos nos desvios foram exonerados de seu governo.

Sobre os aditivos referentes às obras sob responsabilidade da Valor, o governador afirmou que “não precisa de mais de dois neurônios” para entender que o cargo pressupõe uma grande quantidade de assinaturas de aditivos de obras. “Eu sou a 12.ª pessoa a aprovar esses aditivos. Passa pelos fiscais do órgão responsável, pelo engenheiro, pelo diretor, pelo superintendente, vem para a Casa Civil, passa pelo mesmo circuito e aí vem para eu assinar. A não ser que você esteja sugerindo que eu coloque uma trena embaixo do braço e vá medir as milhares de obras do estado do Paraná”, afirmou.

O governador também rebateu a informação de que teria orientado os envolvidos no suposto esquema a eliminarem provas que pudessem incriminá-lo depois de ter acesso à informação de que a Polícia Civil estaria investigando o caso.

“Isso já foi provado que é uma mentira, na medida em que apreenderam no celular, no notebook do iPad do Fanini fotos minhas com ele em uma viagem ao exterior”.

Richa voltou a admitir que era amigo pessoal de Maurício Fanini, mas disse que não teve mais contato com o ex-servidor, apontado pelo delator como sendo o operador do esquema.

Sobre as eleições de 2018, afirmou que não pensa no assunto no momento.

Críticas à imprensa

Em seu pronunciamento o governador criticou a atuação da imprensa no caso. Segundo ele, os órgãos de imprensa estão fazendo “maldades” e “prejulgamentos”.

“Vocês não podem transformar um criminoso, que assaltou os cofres do estado, em herói só porque ele entregou o governador do estado em uma mentira, uma acusação falsa que ele fez”, disse.

O que diz o delator

Souza disse que chegou a haver uma reunião na casa do governador, entre Richa e o então diretor da Superintendência de Desenvolvimento Educacional (Sude) Maurício Fanini, para discutir repasses a serem feitos via caixa dois. O encontro teria ocorrido a 45 dias da eleição de 2014.

LEIA MAIS: Sete pontos para entender o teor bombástico da delação da Quadro Negro

De acordo com Souza, Fanini esperava levantar R$ 32 milhões, por meio do esquema, e que com esse dinheiro já seria possível “fazer a campanha” de Richa.

Para vencer as licitações, o empresário disse ter sido orientado a apresentar propostas com “descontos agressivos”. Posteriormente, os contratos com a Valor receberam sete aditivos, que somaram R$ 6 milhões. Por meio desses acréscimos é que os dois esperavam chegar aos R$ 32 milhões.

Não homologada

Eduardo Lopes de Souza é um dos denunciados no principal processo derivado da Quadro Negro e estava em prisão domiciliar até o mês passado, quando foi liberado pela Justiça para se mudar para Cuiabá, no Mato Grosso.

A delação não foi homologada pela Justiça.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]
  • Tudo sobre:

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.