Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Política
  3. Paraná
  4. Vereador defende “O Sul é meu país” e cobra posicionamento de Richa e Greca

Curitiba

Vereador defende “O Sul é meu país” e cobra posicionamento de Richa e Greca

Desde que o plebiscito do movimento separatista foi anunciado esta é a primeira vez que um vereador defende a ideia no plenário da Câmara de Curitiba

  • João Frey
Mauro Ignácio (PSB) é o segundo secretário da Câmara de Curitiba. | Imprensa/CMC
Mauro Ignácio (PSB) é o segundo secretário da Câmara de Curitiba. Imprensa/CMC
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Depois de o vereador Goura (PDT) encaminhar um requerimento pedindo que o Ministério Público Eleitoral e o Tribunal Regional Eleitoral avaliem a legalidade do plebiscito sobre a separação dos estados do Sul do restante do país, outro vereador de Curitiba entrou no debate. Mauro Ignácio (PSB), segundo secretário da Casa, usou a tribuna na sessão plenária de quarta-feira (4) para defender o plebiscito realizado pelo movimento “O Sul é meu país”.

“É um movimento da população, é um movimento pacífico. Eu acho que ela tem todo o direito de se manifestar [...] Eu espero que a população saia das redes sociais e vá para a rua se manifestar. Se manifestar de maneira ordeira, dando a sua opinião”, afirmou Mauro Ignácio.

LEIA MAIS: Vereador que pediu suspensão do plebiscito “O Sul é meu país” sofre ameaça

Em defesa do movimento separatista, Mauro Ignácio utilizou argumentos diversos e encontrou espaço para criticar a reação dos servidores municipais ao pacote de ajuste fiscal que a Câmara discutiu e aprovou ao longo de 2017.

“Esse movimento separatista do Sul já é antigo e de tempos em tempos, quando a corrupção está em alta, quando a criminalidade está em alta, quando campanhas de ideologia de gênero, escola sem partido são o tema da sociedade, esses movimentos se fortalecem e vêm para a rua, que eu não acredito que seja tão expressivo”, disse.

“Ao contrário do que aconteceu aqui na Câmara, em junho, quando nós não conseguimos debater [o pacote de ajuste fiscal], essa Câmara foi invadida quatro vezes; isso sim é ilegal. Isso não é permitido”, afirmou.

LEIA MAIS: Divisão defendida pelo movimento O Sul é Meu País é inconstitucional

No discurso de pouco mais de dois minutos, Mauro Ignácio ainda cobrou um posicionamento dos chefes dos governos municipal, estadual e federal. “Eu creio que o presidente Temer, o governador Beto Richa e o prefeito Rafael Greca devem se manifestar sobre esse plebiscito”, cobrou.

Primeira defesa

Desde que o plebiscito foi anunciado esta é a primeira vez que um vereador defende a ideia no plenário do Legislativo. Uma busca nos arquivos de notícias produzidas pela própria Câmara Municipal e no sistema de requerimentos parlamentares mostra que em outras legislaturas o assunto também não havia sido defendido oficialmente.

Pedido de providências a Brasília

O pedido de providências feito pelo vereador Goura foi encaminhado pelo TRE-PR à Procuradoria Geral da República. O TRE informou que esse é o procedimento padrão. Nesse caso, cabe à PGR avaliar o encaminhamento que dará a questão.

O Ministério Público Eleitoral também confirmou o recebimento do pedido do vereador, que foi encaminhado para o Ministério Público da União.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE