Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Paixão/Gazeta do Povo
| Foto: Paixão/Gazeta do Povo

Com tanta reforma estrutural importante para aprovar e colocar o país de volta nos eixos, os parlamentares ainda perdem tempo com questões irrelevantes, que só contribuem para manchar ainda mais imagem do Poder Legislativo. Pior ainda é o mau comportamento – a conduta de alguns vereadores, deputados e senadores em plenário chega a envergonhar, quando não faz rir. Listamos abaixo cinco notícias recentes que nos levam a pensar: o que fizemos para merecer isso?

Como diria “Bertoldo Brecha”

O deputado estadual André Lazaroni (PMDB) provocou risos em colegas e outros espectadores da sessão do dia 17 de novembro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, que aprovou a libertação de três deputados da Casa presos na Operação Cadeia Velha. Ao discursar na tribuna em defesa dos aliados, Lazaroni se atrapalhou ao citar uma frase famosa do dramaturgo alemão Bertolt Brecht (1898-1956): “Ai do povo que precisa de heróis”. Ele deu crédito a “Bertoldo Brecha”, personagem do humorista Mário Tupinambá na Escolinha do Professor Raimundo, programa humorístico de Chico Anysio exibido pela TV Globo, que ficou conhecido pelo bordão “veeeenha”. Ele precisou ser corrigido pelo deputado Marcelo Freixo (PSOL). Lazaroni é secretário de Cultura do governo Luiz Fernando Pezão (PMDB) e tinha se licenciado do cargo apenas para votar a favor dos deputados peemedebistas Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi.

Dia do Servidor Bonito Esteticamente

Petrópolis, conhecida como a cidade imperial, virou notícia nesta semana após a Câmara de Vereadores aprovar e o prefeito sancionar um projeto de lei que criou o Dia do Servidor Público Bonito Esteticamente. A data simbólica foi proposta pelo vereador Márcio Arruda (PR) e assinada pelo prefeito Bernardo Rossi (PMDB) no dia 22 de novembro. A ideia era promover todos os anos um desfile beneficente para eleger o servidor e a servidora mais bonita do município, localizado na região serrana do Rio de Janeiro. O assunto, claro, virou motivo de piadas na internet e causou polêmica entre os eleitores. Ao ponto de a Câmara anunciar a revogação da lei, que não durou nem 48 horas.

Queijo e biscoito na cueca

O deputado Celso Jacob (PMDB-RJ), atualmente detido no Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal, perdeu o direito de trabalhar fora da cadeia após ter sido flagrado com alimentos escondidos na cueca. Além disso, ele passou sete dias em regime de isolamento. No dia 19 de novembro, Jacob voltava para o cárcere e, durante o processo de revista, os agentes penitenciários encontraram dois pacotes de biscoito e um queijo provolone escondidos dentro de sua roupa íntima. Jacob, conhecido como “deputado-presidiário”, foi condenado a sete anos de prisão por causa de um processo de fraude em licitação na prefeitura de Três Rios (RJ), quando era prefeito.

Quem propôs o Dia do Coach?

Ainda nesta semana, o Brasil ficou conhecendo o deputado estadual Felipe Attiê (PTB), da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Um vídeo mostra Attiê zombando de um projeto de lei que, pasmem, ele mesmo havia proposto, mas do qual aparentemente não lembrava. O fato ocorreu em sessão da Comissão de Constituição e Justiça da Casa no dia 8 de novembro. Attiê debochou da proposta de criação do Dia do Coach, em homenagem a profissionais que treinam seus clientes para atingir seus objetivos na carreira. “Do coach?”, disse Attiê, antes de dar uma gargalhada e então completar: “Esses deputados... é brincadeira, viu?”. Logo depois, demonstrou surpresa ao ouvir seu nome como sendo o autor do projeto.

Dia do saci-pererê

O deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ) protocolou projeto de lei na Câmara para que o dia 31 de outubro seja reconhecido no Brasil como o Dia do Saci, num contraponto ao Halloween, o Dia das Bruxas dos EUA, que está cada vez mais presente no calendário brasileiro. O objetivo, de acordo com a proposta, é valorizar a cultura nacional por meio da promoção de eventos, programas e celebrações que valorizem o folclore, a cultura e as tradições brasileiras. Essa não é a primeira vez que a Câmara tenta se debruçar sobre o tema. Em 2003, portanto há 14 anos, o deputado Aldo Rebelo (na época do PCdoB-SP) apresentou proposta semelhante. Isso com tanta reforma importante para aprovar...

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]