Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

Presidenciável

Bolsonaro promete “arma para todos” em discurso no aeroporto de Belém

Deputado criticou a nudez em exposições, pediu uma “salva de palmas” ao general que defendeu intervenção militar e afirmou que, com ele, o “politicamente correto não existirá”

  • Folhapress
Deputado Jair Bolsonaro discursou de um carro de som para uma multidão do lado de fora do aeroporto de Belém. | Reprodução/Twitter
Deputado Jair Bolsonaro discursou de um carro de som para uma multidão do lado de fora do aeroporto de Belém. Reprodução/Twitter
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Recebido por uma multidão no aeroporto de Belém (PA), o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), pré-candidato a presidente da República em 2018, defendeu nesta quinta-feira (5) a ampliação do porte de armas no país e afirmou que, com ele, “não existirá o politicamente correto”.

Bolsonaro, um dos vice-líderes na corrida presidencial, conforme a mais recentes pesquisas, visitou a capital paraense no período de festejos do Círio de Nazaré, uma das maiores festas populares do Brasil, e uma semana após ter o título de cidadão belenense negado pela Câmara de Belém.

Bolsonaro desembarcou na cidade por volta das 14h30, mas teve de esperar cerca de uma hora até que a chuva cessasse. Em carro de som aberto, discursou ao lado da “bancada da bala” paraense – deputado federal delegado Éder Mauro (PSD), deputado estadual coronel Neil (PSD) e vereador sargento Silvano (PSD) – e disse que, com ele, “não existirá o politicamente correto”.

Leia também: Sem tempo de TV e sem dinheiro: o que esperar da campanha de Bolsonaro?

“No que depender de mim, com a ajuda de vocês, todos terão porte de arma de fogo”, afirmou.

Sobraram críticas também à performance do MAM (Museu de Arte Moderna) de São Paulo, em que um homem aparece nu. “Essa história de criança passar a mão em homem nu não vai ter não.” Disse ainda que “não vai ter dinheiro da Lei Rouanet para esses picaretas”.

Durante o discurso, Bolsonaro vestiu as camisas de Remo e Paysandu, maiores times de futebol no Pará e pediu uma “salva de palmas” ao general Antonio Mourão, que recentemente causou polêmica ao defender em público a intervenção militar.

Leia também: Três projetos que podem mudar a lei sobre o porte de armas no Brasil

Espera de uma hora e vidro quebrado

A programação previa uma palestra do deputado no auditório de uma loja de informática no centro da capital.

Uma multidão se formou à entrada e, quando foi anunciado que os ingressos estavam esgotados, o público tentou entrar à força. Houve confusão e partes da vidraça e da porta foram depredadas. Ninguém ficou ferido.

O deputado, então, começou o discurso do lado de fora. Os proprietários da loja cancelaram o evento, mas Bolsonaro falou num trio elétrico que estava na rua. O trânsito foi interrompido. “Vocês estão em cima de uma Serra Pelada. A política mineral vai ter que mudar”, disse.

o que você achou?

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Política

PUBLICIDADE