Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Cerca 700 metros cúbicos de madeira cortadas de maneira irregular foram apreendidas no Pará nesta quinta-feira (22): desmatamento crescente. | ASCOM / SEFA/FotosPúblicas
Cerca 700 metros cúbicos de madeira cortadas de maneira irregular foram apreendidas no Pará nesta quinta-feira (22): desmatamento crescente.| Foto: ASCOM / SEFA/FotosPúblicas

O Brasil vai perder pelo menos R$ 166,5 milhões de ajuda norueguesa neste ano por causa do recente salto no desmatamento na Amazônia. O cálculo para a doação do país escandinavo é baseado em resultados - quanto mais redução no desmatamento, maior o valor da doação. Para chegar ao valor, o Ministério do Clima e Meio Ambiente utiliza um nível de referência de desmatamento em km2.

Com o aumento de 29% registrado de agosto de 2015 a julho de 2016, foram perdidos 7.989 km2 de mata, aproximando-se do teto de referência, que será atualizado neste ano e deve ficar em torno de 8.325 km2.

De acordo com governo norueguês, isso fará com que ao menos 50% do pagamento seja reduzido neste ano, mas o valor exato só será definido após checagem dos números de desmatamento e de uma decisão final do governo.

No ano passado, o total repassado ao Brasil foi de 850 milhões de coroas norueguesas (R$ 333 milhões).

Todo o dinheiro norueguês vai para o Fundo Amazônia, administrado pelo BNDES,e que financia projetos contra o desmatamento e de desenvolvimento sustentável. Desde 2009, o país nórdico já doou R$ 2,77 bilhões, 97% do total.

As doações e a política ambiental brasileira foram discutidos em encontro entre o ministro do Clima e Meio Ambiente norueguês, Vidar Helgesen, com o colega brasileiro, Sarney Filho, em Oslo. Após encontro, Sarney culpou o governo Dilma Rousseff pelo salto. “O desmatamento que ocorreu nos últimos três anos é fruto do governo passado. É fruto da falta de orçamento nos órgãos de fiscalização.”

O brasileiro disse ter recuperado o orçamento dos órgãos de fiscalização ambientais e se disse confiante em reverter a tendência de alta. “Só Deus pode garantir a queda do desmatamento, mas posso garantir que todas as medidas para reduzir o desmatamento foram tomadas. E a nossa expectativa e esperança é de que esse desmatamento diminua”, disse.

Ao seu lado, Helgesen explicou que o corte é baseado apenas na taxa de desmatamento. “Quero notar que é positivo que o orçamento para o Ibama tenha sido restaurado, segundo o ministro, e que isso pode der resultados positivos, mas nossa contribuição financeira vai depender dos resultados na prática contra desmatamento.”

Nesta sexta-feira (23), ONGs ambientalistas farão um protesto em Oslo contra as políticas ambientais de Temer. “Quando a primeira ministra [Erna Solberg] se reunir com o presidente Temer nesta sexta, é necessário que ela advirta, claramente, que a Noruega se verá obrigada a reduzir o seu apoio ao Fundo Amazônia de forma significativa caso os ataques contra a floresta e seus povos continuem”, disse o Lars Lovold, diretor da Rainforest Foundation Noruega, em comunicado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]