181036

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Política
  3. República
  4. CNJ intima juíza da Lava Jato sobre perfil no Twitter com críticas ao STF

Justiça

CNJ intima juíza da Lava Jato sobre perfil no Twitter com críticas ao STF

Corregedor quer saber se Gabriela Hardt tem conhecimento de página com foto e nome dela e se autorizou tal uso. Magistrada tem 15 dias para se manifestar

  • Gazeta do Povo
 | Jonathan Campos/Gazeta do Povo
Jonathan Campos/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O corregedor do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Humberto Martins, intimou nesta sexta-feira (15) a juíza Gabriela Hardt, da Vara Federal de Curitiba que cuida dos processos da Lava Jato, a dar explicações sobre um perfil no Twitter que usa o nome e a foto dela. A página vem sendo usada para fazer críticas à conduta do Supremo Tribunal Federal (STF) e para expressar opiniões polêmicas. 

Martins quer saber se a magistrada tem conhecimento da existência do perfil denominado “juíza Gabriela Hardt sincera” (@GabrielaHardt), se autorizou tal uso e, em caso negativo, se adotou alguma providência para retirar a página do ar.

LEIA TAMBÉM: Entenda o impacto da decisão do STF sobre caixa 2 na Lava Jato. Será mesmo o fim?

Segundo o ministro, o objetivo do procedimento aberto no CNJ é esclarecer a situação e impedir a disseminação de informações que poderiam induzir a população a acreditar que as postagens refletem posicionamento oficial da juíza.

/ra/pequena/Pub/GP/p5/2019/03/15/Republica/Imagens/Cortadas/gabriela-ID000002-1200x800@GP-Web.png
Reprodução

“Tendo em conta que o referido perfil traz a foto e o nome de uma magistrada, e faz expressa referência à condição de “juíza”, além de utilizar como endereço na conta do twitter o nome da referida magistrada (@GabrielaHardt), tem-se que mesmo a despeito de ter sido adicionado o adjetivo “sincera” no nome do perfil, não é pequeno o risco de pessoas tomarem as publicações feitas nesta conta como sendo efetivamente proveniente de uma magistrada”, afirmou Martins.

Ele citou alguns tuítes publicados no perfil: “Galera que tal um movimento popular, pedindo impeachment de todos os ministros do STF, vc topa”; “Urgente: o STF ‘Trabalha’ nos bastidores para tirar Lula, da prisão” e “O STF ACABA DE ENTERRA A LAVA-JATO POR 6 VOTOS A 5”.

A magistrada tem prazo de 15 dias para prestar as informações solicitadas pela Corregedoria Nacional de Justiça.

Quem é ela

Gabriela Hardt é juíza substituta na 13ª Vara Federal de Curitiba. Ganhou notoriedade por substituir o juiz Sergio Moro no julgamento dos processos da Lava Jato entre novembro do ano passado e fevereiro deste ano. 

Ela foi responsável por condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo do sítio de Atibaia (SP) e por autorizar a prisão de Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, suposto operador de propinas do PSDB. 

A juíza foi alvo de críticas por ter homologado o polêmico acordo da Petrobras com a Justiça dos EUA que pretendia criar uma fundação privada para gerir R$ 2,5 bilhões da estatal como compensação por prejuízos causados a acionistas americanos. 

O acordo, tutelado pela força-tarefa da Lava Jato de Curitiba, foi suspenso nesta sexta-feira (15) por decisão do ministro do STF Alexandre de Moraes.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O jornalismo da Gazeta depende do seu apoio.    

Por apenas R$ 0,99 no 1º mês você tem
  • Acesso ilimitado
  • Notificações das principais notícias
  • Newsletter com os fatos e análises
  • O melhor time de colunistas do Brasil
  • Vídeos, infográficos e podcasts.
Já é assinante? Clique aqui.
>