Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Henry Milleo/Gazeta do Povo
| Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo

O procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, disse em um post no Facebook que está criando um fundo para o combate à corrupção com o dinheiro que recebe por palestras. O post foi uma resposta a críticas que ele passou a receber depois que circulou uma informação de que ele estaria ganhando até R$ 40 mil por palestra.

Em seu post, Dallagnol disse que a maior parte das palestras que dá são gratuitas. Eventualmente, há remuneração envolvida e os valores foram sempre doados. No ano passado, o valor total recebido pela participação em eventos, não divulgado pelo procurador, foi doado para o hospital Erasto Gaertner, entidade filantrópica localizada em Curitiba que oferece tratamentos contra câncer.

Neste ano, a destinação do dinheiro será diferente. Dallagnol explica que tem retirado 10% dos pagamentos que recebe para despesas pessoais e impostos. O restante está sendo destinado a um fundo que será usado para custear despesas “decorrentes da atuação de servidores públicos em operações de combate à corrupção, tal como a Operação Lava Jato, para o custeio de iniciativas contra a corrupção e a impunidade, ou ainda para iniciativas que objetivam promover, em geral, a cidadania e a ética”.

A informação sobre os possíveis ganhos do procurador com palestras surgiu a partir da divulgação de seu nome em um site que oferece o serviço de várias personalidades. Esse anúncio já foi retirado do ar, mas gerou várias críticas contra Dallagnol, que diz não ter autorizado o uso do seu nome no portal.

No post, o procurador observa que poderia dar uma destinação pessoal ao dinheiro, mas optou pelas doações porque não queria deixar dúvidas de que sua única motivação para a participação em eventos é contribuir para o combate à corrupção.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]