Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Diogo Moreira/a2img
| Foto: Diogo Moreira/a2img

A escolha do candidato tucano à Presidência da República em 2018 está cada vez mais polarizada entre o prefeito de São Paulo, João Doria, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, com predileção um pouco maior do eleitorado pelo primeiro. É o que revela levantamento do instituto Paraná Pesquisas divulgada nesta segunda-feira (21) e realizado entre os dias 15 e 17 de agosto.

Porém, o que mais chama atenção na pesquisa não é a vantagem de Doria sobre o seu padrinho político, mas sim a alta rejeição ao nome de ambos. Segundo o estudo, 41,3% dos entrevistados não quer nenhum dos dois como candidato ao Palácio do Planalto. O resultado é um empate técnico com a candidatura do prefeito de São Paulo, que é o preferido de 40,3% das pessoas que responderam à pergunta: “Entre Geraldo Alckmin e João Doria, quem seria o melhor candidato à Presidência da República em 2018?” Já Alckmin foi o escolhido de 13,2% dos entrevistados.

Leia também: Da ovada à sarrada: Doria e Lula estão em guerra pelo Nordeste

Doria se articula para se descolar de Alckmin e se tornar a opção viável do PSDB para as eleições de 2018. O prefeito precisa ser conhecido além do estado de São Paulo e começou uma peregrinação pelo Nordeste. Neste mês, Doria visitou quatro municípios do Nordeste: Salvador (BA), Natal (RN), Fortaleza (CE) e Recife (PE). E vai estar em mais um até o fim do mês: Campina Grande (PB).

Na capital baiana, Doria tomou uma ovada em uma manifestação, mas reverteu o que seria um marketing negativo ao acusar o PT pela agressão. Também lançou mão de sua estratégia de fazer parcerias com empresas, de olho na divulgação gerada pelo gesto, e alimentou moradores de rua com 10 mil ovos doados por uma granja.

A Paraná Pesquisas também aponta que Doria se destacou em todas as faixas etárias do eleitorado, mas a preferência pela candidatura do prefeito em 2018 tem mais peso entre os mais jovens (16 a 24 anos): 44,8% dos entrevistados nessa faixa etária preferiram Doria, contra 12,2% de Alckmin. Nessa faixa, cai o percentual de eleitores que preferem nenhum dos dois, para 37,4%.

Alckmin tem boa inserção entre os mais velhos, mas até neste público o nome de Doria tem maior adesão. Na faixa etária de 35 a 44 anos é onde o governador ganha mais apoio, com 14,6% chancelando seu nome. Nesse grupo, Doria é a opção de 38,1% dos entrevistados.

A pesquisa contou com 2.802 respostas. O grau de confiança é de 95,0% para uma margem estimada de erro de aproximadamente 2,0% para os resultados gerais. Foram feitas entrevistas em todas as regiões do país.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]