i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
LIVRO

Executivo revela detalhes sobre ‘negócios milionários’ do filho de Lula

Marco Aurélio Vitale escreveu um livro para contar a sua versão sobre os bastidores da sociedade do empresário Jonas Suassuna com Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha

    • Folhapress
    • 03/12/2018 11:06
    Capa do livro ‘Sócio do Filho: As Verdades Sobre os Negócios Milionários do Filho do Ex-Presidente Lula’, escrito por Marco Aurélio Vitale | Reprodução/
    Capa do livro ‘Sócio do Filho: As Verdades Sobre os Negócios Milionários do Filho do Ex-Presidente Lula’, escrito por Marco Aurélio Vitale| Foto: Reprodução/

    Sem editora e com pouca divulgação, circula há quase um mês no Rio de Janeiro o livro “Sócio do Filho: As Verdades Sobre os Negócios Milionários do Filho do Ex-Presidente Lula”. É um texto-depoimento de Marco Aurélio Vitale, com sua versão sobre os bastidores da sociedade do empresário Jonas Suassuna com Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, filho do ex-presidente. Vitale é ex-executivo das empresas Suassuna, entre elas o Grupo Gol.

    Suassuna foi sócio de Lulinha na Play TV e dono de metade do sítio em Atibaia (SP) atribuído a Lula pelo Ministério Público Federal. Na parte de sua propriedade não houve reformas, o que fez com que o empresário não fosse denunciado na ação sobre os investimentos feitos por empreiteiras em favor do petista.

    LEIA TAMBÉM: Segunda Turma do STF vai julgar pedido de liberdade de Lula nesta terça

    Pelo relato de Vitale, o empresário se aproveitou de Lulinha por volta de 2005 para retomar uma carreira de sucesso perdida, enquanto o filho do ex-presidente precisava de uma fachada para receber seus recursos da empresa de telefonia Oi. “Os malabarismos de retórica do grande mentiroso encantaram os futuros sócios. O empresário quebrado posou de milionário, e convenceu”, escreve o ex-executivo.

    Vitale afirma ter ouvido de Kalil Bittar, outro sócio de Lulinha, uma frase atribuída a Lula sobre Suassuna. “O Jonas (Suassuna) mente com tanta empolgação que você fica ali prestando atenção e sabendo que é mentira o que ele está falando. Ele é o maior mentiroso que conheço.”

    O ex-diretor comercial do Grupo Gol – firma de Suassuna que atua nas áreas editorial e de tecnologia e sem relação com a companhia aérea de mesmo nome – afirma que empresas de seu ex-empregador foram usadas para repassar dinheiro da Oi para o filho do ex-presidente. Os negócios seriam fruto de tráfico de influência de Lula e seriam de fachada.

    LEIA MAIS: Um ano e meio após gravação de Temer, irmãos Batista estão R$ 2,5 bilhões mais ricos

    A informação foi revelada em entrevista de Vitale ao jornal Folha de S.Paulo há um ano, que descreveu quatro acordos suspeitos. O caso está sob análise da Polícia Federal em Curitiba, ainda sem conclusão. Todos os acusados negam a influência do petista na condução dos negócios.

    Suassuna pedia ajuda a mãe de santo

    A principal novidade do livro é a descrição da personalidade irascível de Suassuna. O ex-diretor da Gol revela traços místicos do ex-patrão. Relata que o empresário contava com uma mãe de santo para opinar sobre negócios e afastar adversários.

    “Certa vez, um repórter pediu uma entrevista e adiantou a pauta. Um Suassuna com o rosto vermelho encerrou a ligação sem dar resposta ao jornalista. Ato contínuo, a mãe de santo já estava ao telefone. [...] O repórter, designado para outra pauta ou por qualquer outro motivo, nunca mais apareceu”, descreve.

    Relação com Lula

    Vitale relata ainda no livro a tentativa de Suassuna de demonstrar proximidade com o ex-presidente – e a contrariedade de aliados. Segundo o ex-executivo, o empresário construiu uma suíte destinada a Lula na sua casa de veraneio numa ilha em Angra dos Reis. Apesar de insistentes convites, o ex-presidente passou apenas uma tarde no local.

    Suassuna passou a frequentar a intimidade do ex-presidente no sítio de Atibaia. Segundo Vitale, “a proximidade do ex-presidente era um troféu a ser exibido”.

    Sem dinheiro, acordo desandou

    No livro, o executivo afirma que as empresas de Suassuna bancavam despesas pessoais de Lulinha e Kalil Bittar em troca da entrada de dinheiro da Oi em projetos sem retorno financeiro. O acordo passa a degringolar quando o dinheiro da empresa de telefonia acabou, mas os gastos do filho do ex-presidente e Bittar permaneciam os mesmos.

    Livro sem editora

    Vitale diz que negociou com três editoras para publicar o livro, mas não conseguiu fechar com nenhuma. O ex-executivo, então, decidiu imprimir por conta própria 1 mil exemplares. Cerca de 600 já foram distribuídos ou vendidos no boca a boca – quase metade via vaquinha virtual. Há, também, uma versão em e-book sendo vendida pela Amazon.

    Outro lado

    Suassuna nega ter sido beneficiado pela Oi em razão de suas relações com o filho de Lula. Quando as revelações de Vitale vieram à tona, no ano passado, a Oi afirmou que as empresas do Grupo Gol “são reconhecidas no mercado e fornecedoras de grandes companhias que operam no país”.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.