Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Ricardo Stcukert/Divulgação e Gabriel a Korossy/Agência Câmara
| Foto: Ricardo Stcukert/Divulgação e Gabriel a Korossy/Agência Câmara

Faltando um ano para as eleições presidenciais de 2018, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) continua líder isolado nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República em 2018, seguido pelo deputado federal Jair Bolsonaro (futuro Patriota) que parece ter se consolidado no segundo lugar. As intenções de voto pouco oscilaram desde o último levantamento do Instituto Paraná Pesquisas, em julho.

No cenário com o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), na disputa, o ex-presidente petista aparece com 26,6% dos votos. Já Bolsonaro conquista os votos de 18,5% dos brasileiros. Doria aparece em terceiro com 11,5%.

Já se o tucano na disputa presidencial for o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, quase nada muda para Lula, que garantiria 26,5% dos votos, contra 20% de Bolsonaro. Alckmin levaria apenas 8,4% dos eleitores, ficando em quarto lugar na disputa.

A ex-senadora Marina Silva (Rede) foi a que mais subiu nas intenções de voto entre uma pesquisa e outra. Com Lula na disputa, ela alcança 10% do eleitorado pesquisado agora e ocupa a quarta colocação – em julho, tinha 7% e estava em 5º lugar.

Já o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), e o senador Alvaro Dias (Podemos) alcançariam quase 4% das intenções de voto nos dois cenários com Lula.

A pesquisa também testou os nomes do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa (sem partido), e do ministro da Fazenda Henrique Meirelles (PSD). Com Doria na disputa, Barbosa teria 7,5% dos votos e Meirelles, 1,5%. Já com Alckmin disputando a presidência pelo PSDB, o ex-ministro do STF alcançaria 8,3% dos eleitores e Meirelles, 1,6%.

Os eleitores que não sabem ou não opinaram correspondem a cerca de 3% do total, nos dois cenários. Os que afirmaram que não votariam em nenhum dos candidatos são cerca de 14%, também nos dois casos pesquisados.

Sem Lula

Quem mais cresce na disputa de 2018 caso o ex-presidente Lula não possa concorrer às eleições é Marina Silva (Rede). Ela salta de 9,7% das intenções de voto no primeiro cenário para 15,4% na disputa sem o petista. Ela ficaria em segundo lugar na disputa, perdendo para o deputado Jair Bolsonaro (19,6%) e na frente de João Doria (13,5%).

Também cresceriam na disputa sem o petista os candidatos Joaquim Barbosa (8,9%); Ciro Gomes (7,4%), Álvaro Dias (4,4) e Henrique Meirelles (2,3%). Possível substituto de Lula na corrida presidencial, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), ficaria com apenas 3,4% das intenções de voto.

Sem Doria e sem Lula

Em um cenário improvável, sem Lula e sem Doria na disputa, Bolsonaro lideraria as intenções de voto com 20,9%. Em seguida viria Marina Silva, com 15,3%. Alckmin e Joaquim Barbosa aparecem com 9,7%, embolados com os demais candidatos na margem de erro, de 2%.

Tucanos

A pesquisa mostra, ainda, que os brasileiros preferem que o tucano na disputa seja João Doria. Ele aparece com 36,9% da preferência, enquanto Alckmin obteve 28%. Outros 30,2% dos brasileiros disseram que nenhum dos dois deveria ser o candidato do PSDB e 4,8% não souberam ou não quiseram responder.

Os entrevistados também acreditam que Dória tem mais chances de ganhar do PT. É o que pensam 36,8% dos entrevistados. Alckmin teria mais chances segundo outros 28,5% dos eleitores. Também há os que acreditam que nenhum dos dois tem chances de vencer o PT: 16,2% dos entrevistados.

Dados técnicos

A pesquisa foi realizada entre os dias 18 e 22 de setembro de 2017, em todo o território nacional. Foram ouvidos 2040 eleitores com 16 anos ou mais. A margem de erro é de 2% para mais ou para menos e o grau de confiança atinge 95%.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]