Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O Complexo Médico Penal em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba: ceia especial no fim do ano. | Albari Rosa/Gazeta do Povo
O Complexo Médico Penal em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba: ceia especial no fim do ano.| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

Com a chegada das festas de final de ano os presos da Operação Lava Jato no Paraná terão direito a “ceia especial” durante as visitas que antecedem o Natal e o ano novo, pelo menos no Complexo Médico Penal (CMP), em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. Na carceragem da Polícia Federal as regras não devem mudar durante as comemorações.

Segundo o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), os doze presos da Lava Jato que estão no CMP terão o mesmo tratamento dos demais detidos. As regras – excepcionais para o final do ano – autorizam as famílias a trazerem durante as visitas arroz, feijão, macarrão, carne assada sem osso, pudim, bolo sem cobertura, frutas descascadas, salada verde ou maionese e refrigerante.

As visitas aos presos da Lava Jato ocorrem nas sextas-feiras e não vão sofrer alterações por causa do fim de ano. Entre os presos da Lava Jato no CMP estão os ex-deputados federais Eduardo Cunha, André Vargas e Luiz Argolo, o ex-senador Gim Argello, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari e operadores do esquema e ex-dirigentes da Petrobras.

Já na Polícia Federal, as regras não vão sofrer alterações por causa dos feriados. Estão liberados dois pacotes de biscoito, uma barra de chocolate, frutas, material de higiene e limpeza e roupas. As visitas acontecem às quartas-feiras. Estão presos na carceragem da Polícia Federal os operadores Adir Assad, Jorge e Bruno Luz, o ex-ministro Antônio Palocci, entre outros. São 11 presos no total.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]