i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
BANCOS

Senado aprova uso de dinheiro do FGTS para socorrer a Caixa

Proposta é tentativa de driblar o Tribunal de Contas da União, que abriu investigação sobre a transação. Modificado pelos senadores, texto será novamente avaliado pela Câmara

    • Brasília
    • Estadão Conteúdo
    • 13/12/2017 08:01
    Caminhão da Caixa Econômica Federal na Praça Rui Barbosa, em Curitiba: com problemas de capital, banco corre o risco de ter de pisar no freio em ano eleitoral. | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
    Caminhão da Caixa Econômica Federal na Praça Rui Barbosa, em Curitiba: com problemas de capital, banco corre o risco de ter de pisar no freio em ano eleitoral.| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

    O Senado aprovou nesta terça-feira (12), projeto de lei que permite a capitalização da Caixa Econômica Federal com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A proposta libera o conselho curador do fundo a adquirir, por resolução, bônus perpétuos emitidos pela Caixa com o objetivo de socorrer o banco público.

    Como houve alteração no projeto aprovado na semana passada pela Câmara, o texto será enviado para nova análise dos deputados.

    Entre as novas regras, o texto especifica que o conselho curador poderá firmar os contratos até 31 de dezembro de 2018 em um valor total agregado de até R$ 15 bilhões.

    ENTENDA:Por que a Caixa Econômica precisa de socorro bilionário?

    A medida é uma tentativa de driblar o Tribunal de Contas da União (TCU), que abriu investigação sobre a operação. O Ministério Público junto à corte de contas chegou a pedir que a transação fosse barrada por entender que há desvio de finalidade e risco de dano ao patrimônio dos trabalhadores.

    O governo, então, enviou projeto de lei ao Congresso, que foi rapidamente aprovado pela Câmara e agora, com modificações, pelo Senado.

    A operação é considerada necessária pelo governo para que a Caixa possa continuar emprestando sem restrições. Com problemas de capital, o risco seria o banco público – responsável por programas sociais como o Minha Casa Minha Vida – ter de puxar o freio no crédito justamente em período eleitoral.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.