i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
lava jato

Vazamento de ordem de prisão de Vaccarezza leva Lava Jato a abrir inquérito

Juíza federal Gabriela Hardt expediu o mandado. Nome de Vaccarezza chegou a ser incluído no Sistema de Tráfego Internacional

    • Estadão Conteúdo
    • 11/02/2019 15:24
    O ex-deputado Cândido Vaccarezza. | JOSÉ CRUZ / ABr/JOSÉ CRUZ / ABr
    O ex-deputado Cândido Vaccarezza.| Foto: JOSÉ CRUZ / ABr/JOSÉ CRUZ / ABr

    Após o vazamento de um mandado de prisão contra o ex-deputado Cândido Vaccarezza (ex-PT, atual Avante), expedido pela juíza federal Gabriela Hardt , a força-tarefa da Operação Lava Jato pediu à Polícia Federal a abertura de inquérito para investigar “eventual delito relacionado ao vazamento de informações sigilosas”.

    “O Ministério Público Federal vem, respeitosamente, informar que requisitou à Polícia Federal a instauração de inquérito policial, com base no artigo 7.º, inciso II, da Lei Complementar nº 75/93, para apuração de eventual delito relacionado ao vazamento de informações sigilosas”, afirma a Procuradoria da República, em petição à Gabriela Hardt.

    Em dezembro, a magistrada mandou prender Vaccarezza por causa de um suposto cancelamento de sua carta de fiança. O ex-deputado havia sido preso em agosto de 2017 sob suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro, mas deixou a cadeia da Lava Jato sem pagar R$ 1,5 milhão estipulados pelo então juiz Sérgio Moro. Em setembro do ano passado, a defesa do ex-parlamentar apresentou a carta de fiança.

    VEJA TAMBÉM:  Jornalista Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero

    Após a expedição do mandado de prisão, o nome de Vaccarezza chegou a ser incluído no Sistema de Tráfego Internacional - Módulo Alerta e Restrição. Em 21 de janeiro, Gabriela Hardt suspendeu o mandado de prisão.

    “A defesa juntou documentos dando conta de que a fiança, em princípio, estaria regular. Assim, por ora, suspendo o cumprimento do mandado de prisão”, determinou a juíza.

    Gabriela Hardt afirmou que não passou “despercebida a distribuição de habeas corpus vinculada aos presentes autos”. A juíza citou dois recursos apresentados em 21 de janeiro contra os mandados de prisão.

    “Mais estranho ainda é a menção, no corpo dos HCs, do presente feito, da prisão decretada e do fundamento utilizado, além de citação de trecho do mandado, o que pode revelar indevido vazamento de informações sigilosas”, anotou Gabriela.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.