i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Novo pacote econômico

Guedes quer cortar metade dos benefícios fiscais – uma lista que tem Simples, IR e mais

  • PorGiulia Fontes
  • 17/11/2019 21:31
Coletiva de imprensa da equipe econômica.
O ministro Paulo Guedes e a equipe econômica: governo quer diminuir benefícios fiscais a 2% do PIB.| Foto: Divulgação/Ministério da Economia

O pacote econômico encaminhado pelo governo ao Congresso no início de novembro inclui mudanças que, além de limitar despesas em períodos de aperto fiscal, também colocam na Constituição algumas travas aos gastos do poder público de forma permanente. Duas dessas medidas, presentes no texto da proposta de emenda à Constituição (PEC) Emergencial e no da PEC do Pacto Federativo, atingem os benefícios fiscais.

Esse tipo de incentivo, denominado pela Receita Federal como "gasto tributário", implica em uma renúncia de arrecadação por parte do governo federal. No caso dos programas destinados a setores da economia, o princípio consiste em aliviar a carga de impostos para impulsionar a atividade econômica, teoricamente gerando mais empregos e tornando as empresas nacionais mais competitivas. A ideia, portanto, é de que abrir mão da arrecadação é compensador em razão do retorno dessa medida à sociedade e à própria economia.

São exemplos desse tipo de benefício os incentivos às micro e pequenas empresas, por meio do Simples Nacional; as isenções para o agronegócio exportador e a agroindústria; os benefícios da Zona Franca de Manaus; e também as desonerações para o setor automotivo. Outras renúncias de arrecadação beneficiam as pessoas físicas, como as deduções do Imposto de Renda (IR) e a isenção dos rendimentos da poupança, por exemplo.

Em 2019, de acordo com o Demonstrativo de Gastos Tributários da Receita Federal, o governo deve deixar de arrecadar R$ 306,4 bilhões por causa dos benefícios fiscais. O campeão em renúncias é o Simples Nacional, que implicou em R$ 87,2 bilhões em gastos tributários. Em seguida aparecem os rendimentos isentos e não tributáveis para pessoas físicas no IR, que representaram R$ 32,1 bilhões; e os benefícios para a agricultura e a agroindústria, de R$ 30,2 bilhões.

Quantos benefícios fiscais o governo quer manter

Na PEC Emergencial, a proposta do governo é impedir a criação de novos benefícios em situações de emergência fiscal, além de limitá-los a, no máximo, 2% do Produto Interno Bruto (PIB) por ano de 2026 em diante.

Na justificativa da proposta, o governo aponta que não há "qualquer demonstração de eficiência ou incremento de equidade" a partir do aumento dos gastos tributários. "Estudos demonstram que esses benefícios se mostram regressivos, destinando-se às classes mais abastadas, diferentemente, por exemplo, das transferências diretas à população, a exemplo do Bolsa Família", complementa o texto.

Se a PEC for aprovada como está, isso implicaria no corte de pelo menos metade dos incentivos concedidos atualmente. Isso porque, de acordo com o demonstrativo dos gastos tributários (bases efetivas) da Receita Federal, em 2019 esse tipo de benefício deve corresponder a 4,2% do PIB.

Historicamente, o percentual é maior do que o desejado pela equipe econômica do ministro Paulo Guedes ao menos desde 2006, quando os gastos tributários representavam 3,3% do PIB. A partir de 2011, esse tipo de renúncia começou a passar por uma trajetória de aumento, chegando até 4,5% do PIB em 2015.

"O Brasil exagera na dose", diz especialista

Na opinião de Zeina Latif, economista-chefe da XP Investimentos, o governo está na direção certa ao pensar em reduzir os gastos tributários. "Na gestão Dilma [Rousseff] houve um crescimento muito forte desse tipo de benefício. Isso vai na contramão do que é a experiência mundial. O Brasil exagera na dose", opina.

Segundo ela, essa discussão vem ganhando corpo desde a gestão de Michel Temer (MDB), mas, mesmo assim, a implementação das alterações deve enfrentar dificuldades. "Cada um dos benefícios tributários vai ter que ter uma discussão individual. A forma como o governo colocou a proposta de redução ainda está muito vaga. Precisamos de mais detalhes, porque vai haver muita resistência", afirma Latif.

Na justificativa do projeto, o governo diz, apenas, que a partir de 2026 não será mais possível criar, ampliar ou renovar benefícios "enquanto o montante superar 2% do PIB". "Até 2026, o Congresso Nacional terá tempo mais do que suficiente para reavaliar, um a um, todos os benefícios ou incentivos de natureza tributária federais", conclui a justificativa da PEC.

Programas passariam por avaliação periódica

Outra previsão do pacote econômico, presente tanto na PEC Emergencial quando na PEC do Pacto Federativo, institui uma avaliação periódica de cada um dos programas de incentivo fiscal. Pelo que está descrito nos dois textos, a análise seria feita, no máximo, a cada quatro anos, tendo como base os seguintes critérios: 1) efetividade, proporcionalidade e focalização; 2) combate a desigualdades regionais; e 3) publicidade do resultado das análises.

Para Ana Cláudia Utumi, advogada tributarista da Utumi Advogados, a revisão é importante porque a própria atividade econômica sofre transformações ao longo do tempo – e, por isso, um benefício tributário interessante agora pode não ser mais útil no futuro. "É muito salutar essa revisão. No Brasil, alguns benefícios acabam durando por tanto tempo e com valores tão altos que acabam ficando sem sentido", diz a advogada.

Ela cita como exemplo o próprio Simples Nacional, que pode provocar distorções no desenvolvimento dos negócios. "A literatura já mostra que esse sistema acaba fazendo com que as pessoas não queiram crescer para não sair daquele sistema tributário mais vantajoso, ou que comecem a criar subterfúgios para se manter nele artificialmente. Isso não é só um benefício para aquele que está recebendo o incentivo, é um custo para toda a sociedade ", aponta Utumi.

Ela salienta, entretanto, a importância da realização de estudos para cancelar ou manter cada um dos benefícios tributários. "Não dá para falar em diminuir pela metade e pronto, porque o governo pode acabar cometendo injustiças", conclui.

25 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 25 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • J

    Juliano

    ± 3 horas

    Tem gente começando a perceber que não faz parte do tal "Brasil" para o qual as reformas são direcionadas.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • P

      PAULO ROBERTO LAUER

      ± 4 horas

      O que deveria voltar a ser cobrado é o imposto sobre lucros e dividendos, recebidos por empresários, alias somente as grandes empresas é que distribuem lucros. Isso ninguem fala ou comenta, porque jamais essa elite vai querer pagar um minimo de impostos. É mais facil cobrar de pobres do que de ricos.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • R

        rafael leitao

        ± 7 horas

        quero ver cortar as mamatas dos políticos. Começa pelo cotão de 50 mil por mês, auxílio moradia de 5 mil,verba de 120 mil para contratar assessores, carro oficial, passagens, 14º salario, auxílio mudança. E aí GUEDES?

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        1 Respostas
        • W

          William Bones

          ± 2 horas

          Quem tem que cobrar os de****dos pra fazerem isso somos nós, não o Paulo Guedes. Tu acha que vai acontecer o que se o governo mandar uma proposta dessas pra Câmara? Os deputados simplesmente vão rir e engavetar.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

      • M

        MIRIAM CRISTINA

        ± 8 horas

        Tirar incentivos da microempresas é aumentar a informalidade que já é absurda. Tem que haver um tempero e uso de estratégias para geração de empregos e lucro para as micro e pequenas empresas, ciente de que o SIMPLES apesar de facilitar a vida do micro empresário é um imposto caro! As margens de.lucro são cada vez menores mesmo no SIMPLES a maior fatia líquida fica com o sócio majoritário (governo).

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • E

          ELENA AUGUSTYNCZYK DE OLIVEIRA

          ± 9 horas

          Brasileira. Sr Moacir SS as pensões para as filhas dos militares das forças armadas, infelizmente não são só para as solteiras mas as casada e bem casadas também recebem

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • R

            Renato

            ± 9 horas

            Sério acabar co o Simples nacional é o mesmo que jogar todo mundo novamente na informalidade, que absurdo achar que algum profissional/empresário não queira crescer, sou um eterno defensor do Guedes, contudo o ideal é tirar os incentivos das mega corporações e acabar com a guerra do ICMS entre os estados, desonerar a folha par compensar o corte de incentivo, mas sacrificar o micro empresário só vai gerar sonegação e garanto que qualquer estudo vai mostrar que sonegação será infinitamente maior que a renuncia fiscal com este tipo de incentivo.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • J

              Joao grandao

              ± 9 horas

              Os únicos que pagam REALMENTE impostos neste país, são os empregados, que são descontados na fonte, antes de receber o salário, que é tributado antes das despesas e custos do trabalhador. O empresário, na pior das hipóteses, repassa o imposto no custo e despesas do produto. Se está difícil para o empresário, imagine para o empregado, que agora só resta trabalhar até morrer.

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              • J

                Joao grandao

                ± 9 horas

                Mas o tal do Estado mínimo, cultuado pelos neoliberais, se refere somente às obrigações do Estado junto à sociedade?

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

                • W

                  Walter

                  ± 11 horas

                  Tão importante quanto a arrecadação de impostos, é a forma com que se gastam esses mesmos recursos. Se não "amarrar" essas duas pontas, continuaremos sem perceber a que veio o Estado na vida dos cidadãos.

                  Denunciar abuso

                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                  Qual é o problema nesse comentário?

                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                  Confira os Termos de Uso

                  • E

                    Emerson Luís

                    ± 11 horas

                    Ainda não li ou ouvi em parte alguma notícias sobre reduções da enorme carga tributária brasileira, será que estou desinformado ou realmente não há nenhum projeto nesse sentido? Se a carga fosse menor, subsídios não seriam tão "necessários".

                    Denunciar abuso

                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                    Qual é o problema nesse comentário?

                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                    Confira os Termos de Uso

                    2 Respostas
                    • J

                      Joao grandao

                      ± 9 horas

                      O DPVAT tinha uma finalidade muita clara e não podia ser redirecionada para outros fins. Não adianta tapar o sol com a peneira. Por que o Governo não edita uma MP, como faz com as leis trabalhistas. Bater em bêbado é fácil, quero ver é enfrentar os tubarões...

                      Denunciar abuso

                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                      Qual é o problema nesse comentário?

                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                      Confira os Termos de Uso

                    • M

                      Mirtão

                      ± 10 horas

                      Já foi cortado o DPVAT e um outro lá que não me lembro. Assopre a cortina de fumaça vermelha da sua mente.

                      Denunciar abuso

                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                      Qual é o problema nesse comentário?

                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                      Confira os Termos de Uso

                  • A

                    Alcir Carlos Sereni

                    ± 11 horas

                    não sei onde está a renúncia fiscal das microempresas, pagam imposto sobre o faturamento bruto, sem descontos, alíquota chega de 3 a 17%, enquanto que as grandes empresas não tem uma alíquota tão elevada, e ainda conta com redução do imposta já pago nas compras, de modo que o resultado final fica muito menor que as taxas pagas pelas micro empresas, faz-se um conta corrente, debita na venda, credita na compra, nas micro empresas, tem somente os debitos, não creditos de compras.

                    Denunciar abuso

                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                    Qual é o problema nesse comentário?

                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                    Confira os Termos de Uso

                    • M

                      Marcos eisenschlag

                      ± 12 horas

                      Giulia Fontes, sua materia escrita domingo a noite e' uma sintese do sistema tributario brasileiro: sem uma estrutura, atira para todos os lados, coloca citacoes de especialstas que nao dizem nada com coisa nenhuma e deveria ter se mantido restrita ao minimo necesssario.

                      Denunciar abuso

                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                      Qual é o problema nesse comentário?

                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                      Confira os Termos de Uso

                      • S

                        Salo

                        ± 12 horas

                        Ele deve levar em consideração que não existem renúncias. O que existe é que os impostos são elevados e que os grandes acabam não pagando mas as micro que geram empregos e sustentam o governo pagam menos mas pagam. O menos é bastante pois pelo efeito cascata os impostos representam carga elevada.

                        Denunciar abuso

                        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                        Qual é o problema nesse comentário?

                        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                        Confira os Termos de Uso

                        • F

                          Felipe A.

                          ± 12 horas

                          Eita Guedes, mancada hein? Que tal cortar os benefícios do executívo primeiro? Jetons, cafézinhos e afins? É só fazer uma varredura no site do Tesouro Transparente pra ver a quantidade de cargos inúteis que existem. E outra, tem que cobrar congresso e judiciário também. É só fazer um levantamento das contas de ambas as esferas e apresentar pra população. Pode fazer tudo isso antes de cortar benefícios fiscais...

                          Denunciar abuso

                          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                          Qual é o problema nesse comentário?

                          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                          Confira os Termos de Uso

                          • P

                            Paulo Roberto Siqueira

                            ± 13 horas

                            Ué, mas ele não é liberal. Chega de sustentar governo gigante.

                            Denunciar abuso

                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                            Qual é o problema nesse comentário?

                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                            Confira os Termos de Uso

                            • R

                              Ricardo Bellodi

                              ± 16 horas

                              Primeiro querem taxar os desempregados para criar programa de emprego;; depois querem taxar a gorjeta e agora as micro e pequenas empresas. Não é só uma política econômica cruel, ela é burra. Não produzirá resultados e só aumentará a desigualdade social, enquanto os muitos ricos, cada vez mais ricos.

                              Denunciar abuso

                              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                              Qual é o problema nesse comentário?

                              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                              Confira os Termos de Uso

                              3 Respostas
                              • R

                                Ricardo Bellodi

                                ± 10 horas

                                Anderson: A gente vê a “paz social” existente no Chile.

                                Denunciar abuso

                                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                Qual é o problema nesse comentário?

                                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                Confira os Termos de Uso

                              • A

                                Anderson

                                ± 11 horas

                                Sou Brasil: os chilenos um dia também pensaram que que você, um governo que só tira benefícios sociais gera mais desigualdade social, governo maldoso

                                Denunciar abuso

                                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                Qual é o problema nesse comentário?

                                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                Confira os Termos de Uso

                              • S

                                Sou Brasil

                                ± 12 horas

                                Qualquer mudança tributária, fiscal, política, trabalhista, econômica é bem vinda, vindo de Ministros competentes como estes que aí estão!... Pois com certeza irá melhorar a médio e longo prazo para todos!!!...Ficar de braços cruzados vendo só corrupção e mesmisse de sempre, era tolice!!

                                Denunciar abuso

                                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                Qual é o problema nesse comentário?

                                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                Confira os Termos de Uso

                            • J

                              JoacirSS

                              ± 20 horas

                              Concordo que todo e qualquer programa de incentivo e/ou para estimular a economia, geração de empregos deve ser revisado de tempos em tempos, bem como as n bolsas existentes, mas, o principal que seria os gastos do governo no que se referem a benefícios absurdos existentes nos n poderes parece que TODO governante faz vistas grossas. Sem falar nas aposentadorias após 2 mandatos, aposentadorias vitalícias para as filhas solteiras de militares. As dívidas astronômicas de grandes empresas e clubes de futebol que se fossem cobradas e/ou exigidas que sejam pagas mesmo que parceladas, sem perdão de juros/descontos iriam gerar alívio financeiro, principalmente diminuindo o rombo da previdência.

                              Denunciar abuso

                              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                              Qual é o problema nesse comentário?

                              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                              Confira os Termos de Uso

                              1 Respostas
                              • J

                                Jorge

                                ± 19 horas

                                A Dilma já fez algo parecido e o País quebrou.

                                Denunciar abuso

                                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                Qual é o problema nesse comentário?

                                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                Confira os Termos de Uso

                            • A

                              Antônio Carlos

                              ± 20 horas

                              Eita reportagem ruim, escreve, escreve, escreve e em resumo não informa nada de concreto.

                              Denunciar abuso

                              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                              Qual é o problema nesse comentário?

                              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                              Confira os Termos de Uso

                              Fim dos comentários.