i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Com Witzel fora

O que Bolsonaro ganha ao se aproximar do governador interino do Rio de Janeiro

    • Brasília
    • 03/09/2020 19:02
    O governador em exercício do Rio, Cláudio Castro, planeja se reunir com o presidente Jair Bolsonaro em busca de apoio.
    O governador em exercício do Rio, Cláudio Castro, planeja se reunir com o presidente Jair Bolsonaro em busca de apoio.| Foto: Rafael Campos/Governo do RJ/Flickr

    O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), planeja se reunir em breve com o presidente Jair Bolsonaro, no que promete ser o mais importante aceno de uma relação “ganha-ganha”. Para Castro, é a oportunidade de ganhar capital político e cavar sua permanência à frente do Executivo fluminense. Para Bolsonaro, é a oportunidade de construir um relacionamento político em um estado chave para ele e o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

    A conversa dos dois oficialmente será voltada à renovação do Regime de Recuperação Fiscal (RRF) do Rio — pauta de uma reunião que Castro teve com o ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta quinta-feira (3), em Brasília —, mas tem um pano de fundo mais amplo. O governador interino quer respaldo para permanecer no cargo e não deve medir esforços para isso. Segundo um interlocutor de Guedes, Castro disse que fará os "sacrifícios que forem necessários para colocar o Rio nos trilhos".

    Ainda na quarta-feira (2), o governador intensificou a articulação com o Palácio do Planalto para buscar apoio e conseguir um espaço na agenda de Bolsonaro. Desde o afastamento do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), em 28 de agosto, Castro conversa com ministros de Bolsonaro — sobretudo os palacianos — e alguns de seus principais conselheiros e filhos.

    Flávio foi um dos que trabalhou para convencer o pai a conversar com o governador em exercício. Durante o julgamento de quarta no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que confirmou o afastamento de Witzel, ele voltou a fazer as ligações. “Ele [Castro] atua fortemente para construir pontes com o governo federal, ligando para vários ministros”, admite à Gazeta do Povo um interlocutor do presidente da República.

    O movimento de aproximação de Castro com o Planalto não é feito a esmo. É meticulosamente calculado para conseguir se sustentar, reconhecem interlocutores da Presidência da República. Afinal, a Procuradoria-Geral da República (PGR) suspeita que, em conjunto com Witzel e André Ceciliano, presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), o governador em exercício organizou um esquema criminoso para desvio de sobras do orçamento do Legislativo fluminense em proveito dos deputados.

    Por esse motivo, o governo acena com a construção de uma relação pragmática com Castro. Afinal, se ele não se sustentar no cargo por questões judiciais, o Planalto não sai com a imagem arranhada de alguém que o abraçou como um velho aliado. A permanência no cargo, entretanto, muda o jogo e garante ao governador em exercício um posto de aliado de primeira hora. No frigir dos ovos, é um relacionamento em que o governo também sai ganhando.

    Os interesses de Bolsonaro em compor com Castro

    O cálculo político do Planalto é ter o governador do Rio de Janeiro como aliado para fortalecer a imagem do Executivo para 2022, reconhece um assessor palaciano. “A aproximação [com Castro] é positiva porque o Rio é um estado importante, é a base eleitoral do presidente”, destaca. Com Witzel, Bolsonaro tinha um adversário. Sem ele, o espaço se abre para composições políticas. “Fora que o Rio é um estado conturbado. É interesse do Palácio ter essa aproximação e ajudar a resolver os problemas do estado, ainda mais durante a pandemia”, acrescenta o interlocutor.

    O governo não é o único a ter interesse no relacionamento com o governador em exercício. Bolsonaro e Flávio têm um interesse pessoal. A permanência de Castro no cargo pode levar Bolsonaro a ter influência indireta na escolha do futuro procurador-geral de Justiça do Rio, chefe do Ministério Público fluminense (MP-RJ). A escolha é feita a partir de uma eleição interna da qual o governador é o responsável por escolher os três primeiros colocados de uma lista tríplice. Ou seja, a depender da composição política costurada, presidente da República e governador poderiam escolher um nome consensual.

    O MP-RJ apura um suposto esquema de "rachadinha" na Alerj, do qual Flávio é investigado por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Bolsonaro e Flávio negam aos mais próximos qualquer intenção em influenciar mudanças na procuradoria-geral fluminense. Mas ambos não negam o desejo de uma gestão mais “isenta” do MP. “Você já viu o MP do estado do Rio de Janeiro investigar qualquer pessoa, qualquer corrupção, qualquer deslize, qualquer agente público do Estado? E olha que o Estado mais corrupto do Brasil é o Rio de Janeiro”, criticou Bolsonaro em dezembro do ano passado.

    Recuperação fiscal é prioridade para o governador interino

    A renovação do Regime de Recuperação Fiscal (RRF) promete ser cumprida à risca por Castro. O atual acordo com a União vence no próximo sábado (5), por isso o governador em exercício intensificou as conversas com a equipe econômica e o Planalto para apresentar as cartas. O projeto desenvolvido promete reestruturar o plano de recuperação do Rio, que deve contemplar pontos não cumpridos por Witzel, a exemplo da privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae).

    O deputado federal Felício Laterça (PSL-RJ), primeiro-vice-líder do partido, tem boas expectativas com o início de Castro. “O governador afastado não estava preocupado em fazer a boa política. Tinha uma megalomania que realmente atrapalhava e muito, e depois ainda queria ser bem recebido”, critica.

    Já o governador em exercício, pondera, entendeu o que precisa ser feito. “O governador Castro precisa caminhar com o governo federal. A União ainda é a dona da chave do cofre”, destaca.

    5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 5 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

    • J

      Jorge Padilha

      ± 5 horas

      Vai abrir caminho para os filhoss ao Governo do Rio e aliviar a investigação do Flavio.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • R

        RPM

        ± 9 horas

        Em qual estado não tem rachadinha?

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • T

          TIAGO SILVA

          ± 12 horas

          Detesto o Witzel, acredito que ele seja culpado, deve ser julgado e conseguentemente ser punido. Porem, a velocidade da PF com o processo do GOV fluminense foi bem estranho ate mesmo pq o Governador e quem indicara o Procurador MPRJ, que (vejam so), ira indiciar o filho do PR no processo das rachadinhas. Witzel sendo inimigo dos Bolsos, o vice que assumiu com uma proximidade a famighlia..... isso tudo e ridiculo.....Familia de corruptos..

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          1 Respostas
          • E

            Ernani

            ± 2 horas

            Ah, tá! todos sabem de que bom mesmo era a alma mais honesta do mundo, a ensacadora de vento, o Fgagá da maconha....

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

        • F

          Freitas

          ± 19 horas

          O governador interino é um dos praticantes das rachadinhas.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          Fim dos comentários.