• 17/05/2020 15:25
Relatório do Coaf

PF tinha informações sobre movimentações atípicas de Queiroz antes das eleições de 2018

  • 17/05/2020 15:25
  • PorGazeta do Povo
    O ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, em entrevista ao SBT exibida em 26 de dezembro de 2018
    O ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, em entrevista ao SBT exibida em 26 de dezembro de 2018| Foto: SBT/Reprodução

    Relatório do antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) – que apontou movimentações atípicas na conta do ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz – já estava em posse da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF) quando foi deflagrada a operação Furna da Onça, em novembro de 2018. Conforme reportagem do jornal O Globo, porém, o nome de Queiroz não apareceu nos primeiros despachos do processo. A Furna da Onça, que investigou a participação de deputados estaduais do Rio de Janeiro em esquemas de corrupção, é um desdobramento da operação Cadeia Velha, de 2017. Essa primeira investigação, por sua vez, foi chefiada pelo delegado Alexandre Ramagem, que depois seria chefe da segurança de Bolsonaro durante a campanha eleitoral. Hoje diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Ramagem chegou a ser nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro como diretor-geral da Polícia Federal (PF), mas a indicação foi suspensa pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

    Tudo sobre:

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.