Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
voto impresso - manifestações
Manifestantes foram às ruas pedir o voto impresso para fins de auditagem em todo o país| Foto: André Coelho/ EFE

Manifestantes defensores do voto impresso auditável saíram às ruas em todo o país neste domingo (1º) para defender a pauta. Os organizadores esperavam atos em pelo menos 113 municípios pelo país. Pela manhã, foram registradas manifestações em Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro.

Na capital federal, os manifestantes caminharam pela Esplanada dos Ministérios em ato que conta com a presença de parlamentares da base de apoio do presidente Jair Bolsonaro e do embaixador Ernesto Araújo, ex-ministro das Relações Exteriores.

Ao lado de Araújo em um carro de som, a deputada Bia Kicis (PSL-DF) usou as redes sociais para publicar vídeo da manifestação com os dizeres "Brasília tá gigante!". A parlamentar é autora da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/19, que prevê a impressão do voto para fins de auditagem. Bia também disse que a PEC vem perdendo apoio entre os congressistas por pressões de ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e do Supremo Tribunal Federal (STF).

  • Manifestantes saíram em peso no Rio de Janeiro
  • São as primeiras manifestações em âmbito nacional desde 1º de maio
  • Atos demandam a auditagem ao eleitor pelo voto impresso
  • Mesmo rejeitada, é possível que a PEC 135/19 vá à votação no plenário da Câmara
  • PEC do voto impresso auditável será votada na quinta-feira (5)
  • Manifestantes saíram às ruas em todo o país a favor do voto impresso neste domingo (1º). Na imagem, ato no Rio de Janeiro
  • Deputados votarão o substitutivo da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/19
  • Se aprovada, a PEC 135/19 vai à votação no plenário da Câmara dos Deputados
  • Organizadores dos atos deste domingo (1º) destacam a insegurança da urna eletrônica para fins de auditagem ao eleitor

No Rio de Janeiro, manifestantes ocuparam a Avenida Atlântica, em Copacabana. Manifestantes cobraram a aprovação da PEC 135 e criticaram a pressão contrária à pauta exercida pelos ministros do STF. O deputado federal Luiz Lima (PSL-RJ) foi um dos que defendeu a matéria e criticou o lobby contrário do Judiciário.

"Apuração secreta [de votos] é crime. Os mesmos ministros que soltaram Lula são contra o voto impresso e auditável. Precisamos da contagem apenas do voto impresso, ainda que demore dois a três dias para contar", declarou.

  • O boletim de urna emitido em cada seção eleitoral traz diversas informações relativas aos dados registrados, mas não possibilita ao eleitor a auditagem de seu voto específico. Foto: Brasil Sem Medo
  • Manifestantes também saíram em peso à Avenida Paulista. Foto: Brasil Sem Medo
  • TSE alega que o eleitor pode auditar o próprio voto pelo boletim de urna (BU). Foto: Brasil Sem Medo
  • Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e defensores do voto impresso demandam a auditagem do voto. Foto: Brasil Sem Medo

Em São Paulo, os manifestantes ocuparam a Avenida Paulista para apoiar a pauta do voto impresso. A concentração maior ocorreu na região entre o prédio da Fiesp e o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaudriand (Masp).

Bolsonaro falou com os apoiadores e parabenizou "todos que lutam por liberdade e eleições limpas". "É uma obrigação de quem está do lado de cá que tenha contagem pública do voto e uma forma auditável. Ninguém aqui é dono da verdade, ninguém pode fazer uso de governo", disse Bolsonaro em conversa por telefone.

Pela manhã, em Brasília, o presidente também havia se comunicado com os manifestantes. Em filmagem publicada no início da tarde nas suas redes sociais, ele aparece falando em uma transmissão, que foi reproduzida em um carro de som na Esplanada dos Ministérios.

Aos manifestantes, Bolsonaro voltou a afirmar que, "sem eleições limpas e democráticas não haverá eleição" e voltou a falar em "indícios fortíssimos de manipulação" em pleitos anteriores. O discurso tem teor similar à live realizada na última quinta-feira (29), quando apresentou uma série de informações já desmentidas - ainda que existam outros aspectos questionáveis sobre as urnas eletrônicas que precisam ser explicados à população.

  • Em Curitiba, manifestantes reuniram-se na Boca Maldita, tradicional ponto de eventos políticos e manifestações populares da cidade. Foto: Stefani Onesko/ Brasil Sem Medo
  • Em Curitiba, manifestantes reuniram-se na Boca Maldita, tradicional ponto de eventos políticos e manifestações populares da cidade. Foto: Stefani Onesko/Brasil Sem Medo
  • Em Curitiba, manifestantes reuniram-se na Boca Maldita, tradicional ponto de eventos políticos e manifestações populares da cidade. Foto: Stefani Onesko/ Brasil Sem Medo

Curitiba e Londrina também registraram manifestações em defesa do voto impresso auditável. Na capital paranaense, os defensores da pauta reuniram-se na Boca Maldita, tradicional ponto de eventos políticos e manifestações populares da cidade.

Em Londrina, o ato contou com a presença do deputado federal Filipe Barros (PSL-PR), relator da PEC 135. "Lindo de ver o povo na rua clamando por democracia e transparência: voto impresso e apuração pública. Hoje é o dia de exigirmos o direito mais básico numa democracia e que nos foi retirado: o de cada eleitor garantir a integridade de sua vontade, através da verificação do registro de seu voto e sua respectiva apuração pública", declarou o deputado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]