i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Seviço

Correios não pagam impostos: isso atrapalha a privatização | Entenda em 1 Minuto

    • Por Gazeta do Povo
  • 24/12/2020 08:37

Além das dificuldades normais para privatizar uma grande empresa, o governo enfrenta mais um desfio no caso dos Correios: a isenção de impostos.

Entenda o que o governo planeja para privatizar a empresa.

Entenda qual o principal desafio na privatização dos Correios

Na Constituição é prevista a chamada imunidade tributária recíproca que proíbe a União, estados e municípios de cobrarem tributos um dos outros. Os Correios pleitearam na Justiça e após o STF julgar, a estatal não paga impostos.

Os principais objetivos da empresa são o serviço postal e correio aéreo nacional. Mesmo em atividades secundárias, como a entrega de encomendas, ela ficou imune de pagar impostos.

Isso porque a empresa é deficitária, e as atividades paralelas subsidiam as principais. Ao se privatizar, ou mesmo abrir o capital da empresa, essa imunidade acaba.

Mas é justamente o não recolhimento de impostos que ajuda a manter o funcionamento dos Correios. De acordo com o Ministério da Economia, a estatal economiza R$ 1,6 bilhão por ano ao não pagar impostos.

Para resolver o problema, o governo terá que ter algum benefício tributário previsto na lei de privatização. Mas nem mesmo uma concessão dos serviços poderia garantir esses benefícios.

Uma isenção tributária seria aplicada somente em impostos federais, como Imposto de Renda e IOF. Impostos como IPVA e ISS dependeriam de cada estado e município.

O consócio contratado pelo BNDES segue fazendo estudos para saber qual o grau do benefício e se precisará ou não ser mantido.

Conteúdo editado por:Jenifer Ribeiro dos Santos
1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • A

    Ari Borgonovo

    ± 0 minutos

    O governo pôs na cabeça e quer porque quér privatizar os Correios e por isso usa meios sarcasticos pra passar pra populaçào que o serviço dos correios está uma M.....Joga sujo com os funcionários trocando os de setor a quase todos os mêses pra dificultar as entregas das correspondencias. Uma pena foi assim na Telebras O LULA na ancia de presentear o limpador de **** de elefantes deu a ele ametade da OI Lembram ? sö esqueceram que tinha subido o valor dos pulsos telefonicos e, 200% isto ninguem falou. Querem apostar que se privatizar aumenta no minimo e, 100% o valor das postagem? Ë uma sacanagem ou oque é isso?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso