i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Pandemia

8 problemas estruturais do Brasil que foram escancarados pela Covid-19

  • 10/07/2020 09:25
A pandemia da Covid-19 escancarou problemas estruturais do Brasil
Grafite de agente de saúde fazendo higienização contra o coronavírus: pandemia da Covid-19 escancarou problemas estruturais do Brasil| Foto: Mauro Pimentel/AFP

O enfrentamento à pandemia da Covid-19 exige articulação de governo federal, estadual e municipal para a atuação em várias áreas ao mesmo tempo – da estruturação das redes de saúde, passando pelas recomendações de isolamento social e a coordenação do que fecha e do que reabre, além da preocupação com as medidas econômicas. No Brasil, essas ações acabaram escancarando alguns problemas estruturais que o país enfrenta há tempos, mas que se tornaram mais explícitos nesse período.

Hospitais com déficit de leitos e equipamentos, falta de saneamento básico, condições precárias de moradia, transporte coletivo sobrecarregado são alguns exemplos de problemas que existem há tempos no Brasil. A Gazeta do Povo listou oito problemas estruturais que foram escancarados pela pandemia da Covid-19.

1. Redes de saúde deficitárias

Sem um tratamento com eficácia comprovada e sem vacina, a prevenção e medidas de distanciamento social acabaram se tornando o protocolo para evitar a disseminação do coronavírus no país. A intenção nunca foi evitar que as pessoas se contaminassem – o que seria impossível –, mas sim evitar o colapso dos sistemas de saúde público e privados, que precisariam atender muita gente ao mesmo tempo com casos graves.

No começo da pandemia no país, ainda em março, o Ministério da Saúde mostrou que as redes públicas e privadas tinham 424.421 leitos e 55,1 mil de UTIs. As UTIs, por exemplo, já começaram a pandemia com taxa de ocupação de 78%. E, de fato, em algumas cidades e estados, o sistema não deu conta dos atendimentos, nem com a multiplicação dos hospitais de campanha pelo país. Manaus foi a primeira cidade a enfrentar um colapso do sistema de saúde e, mesmo no atual momento em que o país alcançou um platô de mortes, a ocupação dos leitos de UTI preocupa em muitos locais, como no Sul do país, que viu os casos da doença multiplicarem nas últimas semanas.

Além da falta de espaço físico, faltam equipamentos, medicamentos e até mesmo profissionais preparados para atuar em unidades de tratamento intensivo. O Brasil investiu na produção nacional de respiradores, mas as entregas não foram efetuadas no ritmo pretendido pelo Ministério da Saúde. A pasta também fez chamamentos de médicos, inclusive cubanos, para atuarem no programa Mais Médicos. No atual momento, são medicamentos usados para procedimentos de entubação que estão em falta.

2. Moradias precárias

A recomendação de distanciamento social é aplicada tanto para a prevenção da Covid-19 quanto é uma das orientações médicas para o tratamento de quem contraiu a doença. Entre as recomendações para o tratamento de casos leves está ficar em casa e isolado do restante da família – o que significa ficar em um cômodo distinto, usar louça e talheres exclusivos e ter as roupas lavadas separadamente.

À primeira vista, podem parecer instruções simples, mas como cumpri-las em casos de famílias que dividem um único cômodo? Essa era uma preocupação muito presente especialmente em cidades que concentram grandes favelas. A população mais pobre, que vive em moradias bastante precárias não teria como cumprir as orientações, nem que quisessem. No Rio de Janeiro, por exemplo, a prefeitura chegou a ofertar vagas em hotéis para idosos moradores de favelas numa tentativa de conter o avanço da doença nas comunidades, mas a iniciativa encontrou bastante resistência.

3. Saneamento básico não acessível

O saneamento básico é um assunto historicamente negligenciado no Brasil, que não investe o suficiente para universalizar o acesso à água tratada e esgoto. Para a prevenção de uma doença em que lavar as mãos é uma ação muito eficaz, é preocupante saber que muitos brasileiros não tem acesso a esse tipo de serviço.

A pandemia também escancarou os riscos de o país não ter universalizado o sistema de coleta e tratamento de esgoto. A Covid-19, como uma série de outras doenças, também se transmite por meio da fezes – o que representa uma ameaça em comunidades sem acesso a esgoto canalizado.

Apesar disso, o esgoto também trouxe algumas respostas sobre a doença. Pesquisadores rastrearam traços do vírus em redes de esgoto, antes mesmo da confirmação dos primeiros casos no país. Essa informação poderia ajudar os gestores públicos, com apoio de cientistas, a traçar como ocorre a circulação do vírus.

A pandemia da Covid-19 também colocou em xeque investimentos no setor de saneamento para este ano: a inadimplência disparou e praticamente não há espaço para novas captações no mercado. Porém, há esperança de que isso possa mudar daqui para frente, após a aprovação do novo Marco Legal do Saneamento.

4 e 5. Desigualdade e acesso precário à alimentação: o ensinamento das escolas fechadas

Fechadas desde março, as escolas são um tema bastante delicado na discussão da pandemia. A medida foi adotada preventivamente para conter o avanço do coronavírus. Mas pouco se debate sobre o retorno das aulas com a sociedade. Com muitos estados e cidades retomando as atividades comerciais, pais enfrentam o dilema de não ter com quem deixar seus filhos. A discussão sobre a educação foi jogada para o fim da fila.

O fechamento das escolas também expôs as deficiências do país na área de segurança alimentar: famílias pobres são dependentes da merenda escolar para alimentar os filhos. Ao longo da pandemia, houve uma série de relatos de quem não tinha alimentos para dar aos filhos e das dificuldades que enfrentavam por causa da interrupção das aulas presenciais.

O fechamento das escolas também expôs a profunda desigualdade do país, que ficou caracterizada por um aspecto: o acesso a internet de qualidade. Com aulas realizadas pela TV ou pela web, alunos de família sem acesso a banda larga têm tido dificuldades para acompanhar as aulas – criando um fosso ainda maior em relação àqueles que dispõem de uma boa infraestrutura de comunicações em casa.

Também há debates sobre como fazer o nivelamento das crianças quando houver algum retorno das aulas presenciais. Para muitos especialistas, esse pode ser um ano perdido e a decisão de como será encarado – como será feita a reposição do conteúdo e como será trabalhada a entrada no mercado de trabalho desses estudantes no futuro –, pode implicar em perdas significativas para o PIB.

6. Informalidade no mercado de trabalho

O Brasil já sofria com a recuperação patinante da última recessão econômica e não conseguia diminuir a taxa de desemprego da casa dos dois dígitos – já era um sinal da crise do mercado de trabalho anterior à pandemia. Com a adoção do isolamento social e a necessidade imposta de fechamento de vários setores da economia, já havia uma preocupação de a situação se agravar. Os dados de duas pesquisas – a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), do IBGE, e o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia – mostraram a gravidade do cenário brasileiro.

O IBGE mostrou que a taxa de desocupação no trimestre de março, abril e maio deste ano chegou a 12,9% – são 12,7 milhões de pessoas sem trabalho. O número pode ser ainda maior, porque muitos brasileiros simplesmente desistiram de buscar emprego nesse momento.

E isso também explica porque a redução da quantidade de trabalhadores informais é vista com preocupação por analistas: são pessoas que trabalhavam por conta e ganhavam pouco, e agora tiveram a renda zerada. Algumas delas, engrossam a lista dos que pediram ajuda ao governo, por meio do auxílio emergencial.

Além do pagamento de R$ 600 para aqueles trabalhadores que perderam a renda, o governo federal tentou frear o desemprego com a edição da Medida Provisória (MP) 936, que permitiu empresas a fazerem acordos de suspensão de contratos e de redução de jornada, com diminuição salarial, por dois ou três meses, respectivamente. O trabalhador recebia uma compensação pela perda de renda, chamada de Benefício Emergencial. A MP foi prorrogada para mais dois meses, no caso da suspensão de contrato, e um mês para redução de jornada.

7. A invisibilidade da pobreza

Milhões de brasileiros serão submetidos à pobreza por causa da Covid-19: são pessoas que não engrossavam essas estatísticas, mas foram afetadas pela queda da renda. Pelo menos 64,5 milhões de pessoas pediram o auxílio emergencial, de acordo com a Caixa Econômica. Para se ter noção, o Bolsa Família atendia a uma média de 14 milhões de famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza por mês.

O Brasil já registrava retrocessos entre os mais pobres e vulnerabilizados antes da crise do coronavírus – a extrema pobreza avançou 67% entre 2014 e 2018 e a renda dos 5% mais pobres caiu 39%. A tendência é que, com essa nova crise e possível recessão, a classe C seja esvaziada e as classes D e E, infladas. A assistência social entrou no radar prioritário do governo federal, que estuda fundir o Bolsa Família a outros programas, que não são tão bem focalizados quanto. O novo programa é chamado de Renda Brasil.

8. Transporte coletivo sobrecarregado

No início da pandemia da Covid-19 no Brasil, algumas localidades – sobretudo cidades de médio e pequeno porte – optaram pela paralisação dos sistemas de transporte coletivo. A decisão fazia sentido, já que ônibus, trens, metrôs, barcas e terminais são espaços com muita aglomeração e que favoreceriam a disseminação do vírus.

O problema é que, a partir da reabertura gradual e da retomada de atividades econômicas em várias cidades e estados, o transporte público voltou a ser demandado como antes e ficou superlotado, como de costume. Especialistas demonstram preocupação com a possibilidade de o transporte coletivo se tornar o grande vetor do novo coronavírus nas cidades com a retomada do comércio.

20 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 20 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • L

    Luiz Alfredo Viganó

    ± 3 dias

    Sempre fomos um pais miserável, vivemos no mundo da fantasia por uns tempos!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • G

    Glesio Ricardo da Silva

    ± 3 dias

    Na foto imagens de Bolsonaro associada ao virus. Há dias ando descontente com a Gazeta, irei cancelar minha assinatura esse mês....

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Paulo Sérgio de Freitas Mazza do Amaral

    ± 3 dias

    Resultado de mais de 30 anos de desgoverno, políticos de araque, grandes enganadores, como Fernando Henrique Cardoso (PSDB), nunca fizeram nada em benefício dos mais necessitados, sempre dando migalhas e não fazendo o que era necessário: educação, saúde e moradia, com dignidade. Grandes ********, agiram sempre com a conivência da imprensa medíocre, movida pelo interesses das verbas públicas. Agora, ainda temos resistência no congresso, por políticos corruptos, que querem manter o povo subjugado.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Luiz

    ± 3 dias

    Os governos de esquerda destruíram o pouco que tínhamos no sistema de saúde. No Rio de Janeiro, mesmo antes da pandemia, pacientes já morriam nas portas dos hospitais por falta de equipamentos. Os governantes de esquerda preferiram gastar nossos parcos recursos com estádios de futebol e arenas esportivas para a Copa do Mundo e as olimpíadas. Nunca se levou a sério o problema do saneamento básico. Agora insistem no isolamento social. Os pobres tem que continuar trabalhando e se expondo ao risco para que nada falte aos mais abastados em quarentena. O presidente da república foi o primeiro a chamar a atenção para os problemas abordados nesta reportagem e foi amplamente criticado pela imprensa.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    LAUDI CARLOS VEDANA

    ± 3 dias

    Esses 8 problemas revelados pela pandemia têm sua raiz na precariedade da educação.Povo que não tem consciência coletiva de seus direitos e deveres é apenas um rebanho.Democracia se constroi com sociedade que exige seus direitos.É o povo educado que impõe respeito.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    ANDERSON MANN

    ± 3 dias

    Cadê as novidades, tudo mundo que vive no mundo real, já está cansado de saber disso.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • V

    VERONICA AGUIAR DA SILVA SUDO

    ± 3 dias

    Pois é... o governo enviou bilhões para estados e municípios. E o que fizeram? STF tirou a coordenação do governo. E o que aconteceu? Deputados extorquiram o orçamento. Quais deles fiscalizaram o dinheiro? Está muito claro quem é quem nessa história e os responsáveis. A nossa saúde poderiam ter dado um salto, mas na minha cidade, andou pra trás... Aguardando a PF chegar qualquer hora por aqui..

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • V

    VERONICA AGUIAR DA SILVA SUDO

    ± 3 dias

    Pois é... o governo enviou bilhões para estados e municípios. E o que fizeram?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Rogerio Nunes

    ± 3 dias

    Nossos pais esta com esses problemas visíveis ha anos, e podemos facilmente resolver isso. Basta fazer escolhas que nos traga alguma segurança e muita transparência para nossa cidade. O Rio de Janeiro tem uma forte pre-candidata com sabedoria e discernimento, Glória Heloiza Veja mais! https://youtu.be/JAPAYCnzpP0

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Sergio Vianna

    ± 3 dias

    Favor desconsidera o post anterior. O sistema enviou antes da correção e adequação semântica. Aguarde o Pró-Brasil. Vamos encarar daqui para frente pois não é agora que resolveremos problemas que datam da colonização, exploração e Ditaduras Facistas estilo Vargas que ainda não tem 100 anos que saímos dela!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Sergio Vianna

    ± 3 dias

    O tipo de reportagem que em vez de ajudar atrapalha. Como os problemas relatados são de quase todos os Páise em Desenvolvimento, já são conhecidos pela OCDE, inclusive o Brasil coordenará a equipe Pós-Covid da OCDE, então em Outubro entra em vigor o Programa Pró-Brasil. Atém fique com essas reportagens de manutenção empregatícia de Home-Office!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    CESAR CAVALLI SABBAGA

    ± 3 dias

    O manejo de doentes em estado grave de saúde e dos respiradores exigem médicos especializados em terapia intensiva. Hoje são poucos aqueles que decidem fazer Residência Médica por mais 3 a 4 anos após receber o diploma de médico, para esta especialidade que significa lidar com muito sofrimento e com a morte de uma porcentagem significativa de pacientes. Comprar equipamentos na emergência é possível, Formar intensivistas no sufoco é impossível.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    CESAR CAVALLI SABBAGA

    ± 3 dias

    Concordo com a maioria dos comentários abaixo em relação aos 13 anos de governo petista: foi um desastre para a saúde pública no Brasil. Sempre foi precária, mas tornou-se um desastre. Agora, em relação ao colapso do sistema de saúde na pandemia , mesmo os países com sistema de saúde considerados de boa qualidade chegaram, em algum momento ao colapso. Não há como manter uma estrutura ociosa por longos períodos de tempo, à espera de um epidemia ou uma pandemia. Quando a pandemia for controlada no Brasil, muitos hospitais vão ficar com respiradores ociosos. Se não houver um protocolo de conservação e manutenção preventiva vão todos parar no lixo. Outro problema é o de recursos humanos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • Z

    Zyss

    ± 3 dias

    Acharam cocaína, maconha e dinheiro vivo com os membros do mbl e a gazetinha se fazendo de cobra cega.... Pasquim de quinta mesmo!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Rodrigo Favero Celeste

    ± 3 dias

    Em um País civilizado essa constatação teria alguma utilidade: após a pandemia haveria uma mobilização nacional para sanar. No Brasil, na próxima situação como a que está aí vamos constatar que tudo isso esta na mesma ou piorou. Brasil!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • N

    NoobMaster69

    ± 3 dias

    Vamos aos fatos: O Brasil é um problema. Todos sabemos das consequências dos governos de esquerda no mundo todo e aqui não foi diferente, o país é um atraso que dá até dó. Nossos "excelentes" políticos não conseguem fazer nada em prol do país (teve deputado votando contra o marco legal do saneamento, inacreditável). A população também não ajuda, quer viver de assistencialismo votando no quem dá mais. Jeitinho brasileiro? Isso é uma ofensa e não motivo de orgulho, não conseguimos ser minimamente civilizados e respeitar o próximo. Amo meu país, mas que isso aqui é um erro de norte a sul, isso é.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Mitinho

    ± 3 dias

    O erro maior foi desfazer o pacto federativo, esvaziando o Governo Federal e dando autoridade ampla aos governadores e prefeitos. De resto, saneamento, moradias, educação, saúde agonizante, são endemias há décadas. Só um comando central pode controlar o festival de idiotice e rapinagem que reina hoje em Pindorama.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Aldir ribeiro dos santos

    ± 3 dias

    Mas isso já sabíamos. Só não percebe quem é totalmente alienado aos problemas do país.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • B

    Beto

    ± 3 dias

    As elites deste país NUNCA se preocuparam com os pobres desde o descobrimento. Os pobres servem de mão de obra barata. Os governantes, principalmente os populistas NADA fizeram a não ser demagogias. Nas grandes e médias cidades existem os guetos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Paulo Roberto Pinheiro

    ± 3 dias

    Isso depois de mais de 20 anos sob governos tucano-petistas.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]