Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Datafolha
Segundo os números levantados pelo Datafolha, Lula pode ter votos suficientes para vender a eleição ainda no primeiro turno.| Foto: Juan Ignacio Roncoroni/EFE

Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (16) mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue à frente nas intenções de voto para ocupar a Presidência da República em 2022. O petista tem 47% e 48% das intenções de voto em dois cenários pesquisados de forma estimulada. Como a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos, Lula pode ter votos suficientes para vencer ainda no primeiro turno.

O presidente Jair Bolsonaro, que tentará a reeleição, vem em segundo lugar com 21% e 22% da preferência, seguido pelo ex-juiz Sergio Moro, que tem 9% nos dois cenários, e Ciro Gomes, com 7% também nos dois cenários. Veja abaixo os resultados da sondagem do Datafolha:

Cenário A (1º turno)

  • Lula (PT): 48%
  • Jair Bolsonaro (PL): 22%
  • Sergio Moro (Podemos): 9%
  • Ciro Gomes (PDT): 7%
  • João Doria (PSDB): 4%
  • Em branco/nulo/nenhum: 8%
  • Não sabe: 2%

Cenário B (1º turno)

  • Lula (PT): 47%%
  • Jair Bolsonaro (PL): 21%
  • Sergio Moro (Podemos): 9%
  • Ciro Gomes (PDT): 7%
  • João Doria (PSDB): 3%
  • Simone Tebet (MDB): 1%
  • Rodrigo Pacheco (PSD): 1%
  • Aldo Rebelo (sem partido): 0%
  • Alessandro Vieira (Cidadania): 0%
  • Felipe d’Avila (Novo): 0%
  • Em branco/nulo/nenhum: 8%
  • Não sabe: 2%

Metodologia da pesquisa

O Datafolha entrevistou 3.666 eleitores com 16 anos ou mais, entre 13 e 16 de dezembro, em 191 municípios brasileiros. As entrevistas foram presenciais. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Por que a Gazeta publica pesquisas eleitorais?

A Gazeta do Povo publica há anos todas as pesquisas de intenção de voto realizadas pelos principais institutos de opinião pública do país. Você pode conferir os levantamentos mais recentes neste link, além de reportagens sobre o tema.

As pesquisas de intenção de voto fazem uma leitura de momento, com base em amostras representativas da população. Métodos de entrevistas, a composição e o número da amostra e até mesmo a forma como uma pergunta é feita são fatores que podem influenciar o resultado. Por isso é importante ficar atento às informações de metodologias, encontradas no fim das matérias da Gazeta do Povo sobre pesquisas eleitorais. Saiba mais aqui.

Feitas essas considerações, a Gazeta considera que as pesquisas eleitorais, longe de serem uma previsão do resultado das eleições, são uma ferramenta de informação à disposição do leitor, já que os resultados divulgados têm potencial de influenciar decisões de partidos, de lideranças políticas e até mesmo os humores do mercado financeiro.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]