i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Contas públicas

Dívida pública federal sobe quase 10% e passa de R$ 4,2 trilhões

  • Brasília
  • 28/01/2020 14:57
  • Atualizado em 28/01/2020 às 17:49
Dívida pública federal sobe quase 10% e passa de R$ 4,2 trilhões
| Foto: Marcelo Andrade/Arquivo/Gazeta do Povo

O estoque da dívida pública federal, que inclui o endividamento do governo dentro do Brasil e no exterior, atingiu R$ 4,248 trilhões em 2019. O valor é 9,6% maior que o registrado em 2018, quando a dívida alcançou R$ 3,877 trilhões ao fim do ano. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (27), pelo Tesouro Nacional.

Em termos numéricos, a alta da dívida pública no ano passado foi de R$ 371,848 bilhões. Essa alta foi influenciada pelo aumento da dívida interna, em R$ 354,372 bilhões. Já a dívida externa cresceu R$ 17,476 bilhões. Tradicionalmente, a dívida interna é a responsável pelo maior estoque de dívida como um todo do governo federal.

Dos R$ 371 bilhões de alta registrado no ano passado, 89% são referentes ao aumento da despesa com o pagamento dos juros da dívida, tanto interna quanto externa. Somente R$ 42 bilhões foram referentes à emissão e resgate líquido de títulos da dívida.

Em relação ao perfil dos detentores da dívida pública interna federal, 26,7% estão com fundos de investimento; 24,9% com fundos de Previdência; 24,7% com bancos; 10,4% com estrangeiros; 4% com o governo; e 3,9% com seguradoras.

Segundo o subsecretário da Dívida Pública, José Franco Medeiros de Morais, em se mantendo a agenda de reformas estruturais internas, a tendência é que aumente o percentual de estrangeiros investindo em títulos do Tesouro. De 2018 para 2019, houve uma queda de 0,8 ponto percentual.

Governo cumpre meta; valor é recorde

O valor da dívida registrado em 2019 é o maior de toda a série histórica, iniciada em 2004. Desde lá, a dívida pública vem crescendo. Por exemplo, em 2006, ela estava em R$ 1,23 trilhão. Dez anos depois, em 2016, ela ultrapassou pela primeira vez a cada dos R$ 3 trilhões. No ano seguinte, passou para R$ 3,55 trilhões. Agora, supera a casa dos R$ 4 trilhões.

Com o resultado alcançado em 2019, o governo cumpriu a meta estabelecida pelo Plano Anual de Financiamento (PAF). Segundo o PAF, a dívida poderia ficar o ano passado entre R$ 4,1 trilhões e R$ 4,3 trilhões. Para este ano de 2020, a previsão é que a dívida fique entre R$ 4,5 trilhões e R$ 4,75 trilhões.

Necessidade de financiamento em 2020

Para 2020, o Tesouro Nacional estima que o governo federal terá uma necessidade líquida de financiamento de R$ 1,067 trilhão. São R$ 928 bilhões referentes ao vencimento da dívida pública federal neste ano, mais R$ 376,3 bilhões de despesas primárias e mais R$ 11,8 bilhões de honras da garantia (empréstimos que foram feitos com garantias da União), menos R$ 248,6 bilhões já reservados no orçamento deste ano para pagamento da dívida.

Segundo o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, apesar de haver uma necessidade líquida de financiamento de R$ 1 trilhão, não significa necessariamente que o governo vai emitir dívida nessa mesma magnitude. Primeiro, porque o governo tem um colchão de liquidez equivalente a mais de seis meses do valor da dívida pública federal, incluindo o custo com os juros. Também é possível que o Tesouro role (alongue) as dívidas que vão vencer no curto prazo.

O que é a dívida pública federal

A dívida pública federal é a soma de todas as dívidas contraídas pelo governo para financiar seu déficit orçamentário e/ou atividades especificas definidas em lei. Ao pegar dinheiro emprestado para honrar seus compromissos, o governo compromete-se a devolver o dinheiro corrigido. A forma de correção varia conforme cada caso. Grande parte da dívida brasileira é interna, ou seja, paga em reais. Mas há também uma parcela de dívida externa, paga em dólar.

Dívida bruta sai sexta

Além da dívida pública federal, há ainda a dívida bruta, que reflete o endividamento de todo o setor público, ou seja, do governo federal mais estados e municípios.

A dívida bruta será divulgada pelo Banco Central na sexta-feira (31). Segundo o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida é possível que ela tenha caído ou ficado estável, graças ao impacto das devoluções do BNDES e também à redução da taxa básica de juros, a Selic, que está em 4,5%.

7 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 7 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • V

    Valdemar Katayama Kjaer

    ± 0 minutos

    Aí em vez de cortar gastos, privilégios, mordomias, regalias, altos salários, os políticos, juízes e sindicalistas querem mais, mais e mais. Como pagar essa conta? Adivinhem só: tirando da mesa das famílias. Atitude! Queremos MENOS estado, menos impostos, menos contas que não escolhemos pagar!!!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    E F Pereira

    ± 15 horas

    Aumento da dívida as custas dos contribuintes para sustentar um setor público falido...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Fabiana Scornavacca Buzzetto

    ± 15 horas

    Lembrando que o maior crescimento da dívida ocorreu no governo de Dilma. Hj sentimos o reflexo da festa de gestão e inabilidade econômica daquele período.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • F

      Fabiana Scornavacca Buzzetto

      ± 15 horas

      Digo Falta de gestão .

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Celito Medeiros

    ± 16 horas

    Normal com a alta do dólar. O interessante é saber em que Governos esta dívida pública se elevou a tais patamares.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • D

      DIMITRI LEONARDO SANTANA MARTINS DE OLIVEIRA

      ± 15 horas

      O governo brasileiro vem tendo sucessivos déficits primários desde 2014, é por isso que a dívida sobe exponencialmente.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • D

      DIMITRI LEONARDO SANTANA MARTINS DE OLIVEIRA

      ± 15 horas

      "Normal com a alta do dólar." 99,7% da dívida é em reais. Esse valor nada tem a ver com a alta do dólar, e sim com a incapacidade do governo de zerar os seus déficits primários.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]